Os pecados de omissão e de opressão

OS PECADOS DE OMISSÃO E DE OPRESSÃO
Lição 12 - 21 de Setembro de 2014
Tiago 4.17 - Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 4.17; 5.1-6

Tiago 4
Tiago 4.17 - Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado.

Tiago 5
Tiago 4.1 - Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.

Tiago 4.2 - As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas da traça.

Tiago 4.3- 0 vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.

Tiago 4.4 - Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras e que por vós foi diminuído clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos Exércitos.

Tiago 4.5 - Deliciosamente, vivestes sobre a terra, e vos deleitastes, e cevastes o vosso coração, como num dia de matança.

Tiago 4.6 - Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu.

AGUARDEM O ESBOÇO E COMENTÁRIO DO TEXTO ACIMA 

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/os-pecados-de-omissao-e-de-opressao.html

O Julgamento e a Soberania Pertencem a Deus

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br


O JULGAMENTO E A SOBERANIA PERTENCEM A DEUS 
Lição 11 - 14 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Ha só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?” (Tg 4.12).
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 4.11-17

QUEM JULGA O IRMÃO TRANSGRIDE A PALAVRA DE DEUS

Introdução: O indivíduo ao formar um conceito, emitir parecer, ou dar opinião sobre alguém, de certa forma já o está pré-julgando, ou no sentido condenativo ou absolvitivo. Essa é uma prática que de alguma maneira todos estão enquadrados nela, porém não é uma prática que devemos seguir principalmente como cristãos. No mundo secular a prerrogativa de julgar não está nas mãos do povo, pois a lei condena quem faz justiça pelas próprias mãos, isto porque, existem os juízes credenciados para isso. Acontece que muitas vezes o povo é incontido dessa prática motivado pelas parcialidades da justiça em favor dos que tem o poder do dinheiro, das influências e da política para se livrarem dos seus atos ilícitos e criminosos comprando a benevolência de juízes corruptos e subornáveis. Um país que tem o executivo, judiciário e legislativo que não despertam a confiança do povo por causa das muitas suspeitas de falcatruas que são levantadas pela imprensa é evidente que vai gerar no povo um sentimento revoltoso, os quais não conseguem deixar de julgar e condenar essas ilicitudes. Porém o cristão que crê na justiça soberana de Deus, não deve se envolver em qualquer tipo de julgamento, principalmente entre os irmãos na fé, pois quem assim procede está desacreditando do Deus que não tem o culpado por inocente e que jamais deixará de agir com a sua justiça imparcial.
I. O CRENTE QUE JULGA SEU IRMÃO SE ARRISCA PERDER A SALVAÇÃO
1. Quem fala mal do irmão demonstra ter o coração totalmente desprovido de amor.(Tg 4.11a). Irmãos, não faleis mal uns dos outros. - Por isso, a ira de Deus se manifesta contra toda injustiça que suprime a verdade pela injustiça Romanos 1.18
A harmonia entre os crentes é condicional para uma convivência mútua, pois o amor de Deus que foi implantado em nosso coração ao nos convertermos a Ele, possa se desenvolver continuamente para que possa haver sinais de uma transformação real em nossas vidas. A bíblia adverte que somos mentirosos se dissermos que amamos a Deus e não amamos o nosso irmão. Quando a justiça de Deus foi revelada, também foi revelada a sua ira. O outro lado da justiça de Deus é a sua ira contra o mal. Certas atitudes condenáveis na vida do crente podem provocar a sua ira, a qual é a resposta da sua santidade a toda e rebelião. Se cometermos impiedades e injustiças contra um irmão estaremos afastando de nós à verdade da palavra de Deus. 
2. Quem fala mal do irmão está julgando e quem julga quer tomar o lugar de Deus. (Tg 4.11b). Quem fala mal de um irmão e julga a seu irmão fala maI da lei e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. - Não julguem, para que vocês não sejam julgados Mateus 7.1
Falar mal confronta o nono mandamento "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo Êxodo 20.16. Também infringe uma lei de Cristo: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo" Mateus 22.39. Jesus classificou esse mandamento como sendo o segundo maior mandamento. Se um crente fala mal contra outro crente, ele fala mal da lei e julga a lei, porque não está demonstrando o amor exigido por Deus e não trata com os outros como gostaria de ser tratado. Essa desobediência é um desrespeito à lei, pois está julgando a sua legitimidade. Quando alguém faz isso, está se colocando acima de Deus, o qual é o único que tem essa prerrogativa de julgar. Devemos praticar a disciplina da Igreja, mas os seguidores de Cristo não devem ser críticos ou sentenciadores nas suas atitudes em relação aos outros. Quem tem um espírito crítico e arbitrário demonstra uma falta de amor preocupante. A nossa comunhão com Cristo não nos confere licença para tomar o lugar de Deus como Juiz. Quem julga dessa maneira também serão julgados por Deus. Deus tem misericórdia de quem tem misericórdia, mas também condena aqueles que condenam.

3. Quem fala mal do irmão infringe a lei do amor e tenta usurpar a autoridade divina - (Tg 4.12). 12 - Há só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem? - E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Lucas 6:41
No corpo de Cristo não tem lugar para críticas ásperas e severas, porque por trás do espírito de crítica, está uma atitude que usurpa a autoridade de Deus. Muitos crentes acham fácil preocupar-se com o argueiro que está no olho de outra pessoa, mas não são capazes de ver uma trave no seu próprio olho. É costume as pessoas não enxergarem os seus próprios pecados, mas se preocupam em achar pecados nos outros. A pessoa critica os defeitos de outra pessoa, mas não aplica a mesma observação para si mesmo, pois se a pessoa se preocupa com o cisco que está no olho da outra, antes deve se preocupar com a trave que esta no seu. Significa que se olharmos para a nossa vida veremos muitos defeitos, os quais não nos dão o direito de enxergar defeitos nos outros. (Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 1 João 1:10). 
II. A SOBERANIA DIVINA DEVE SER RECONHECIDA ENQUANTO VIVEMOS
1. O cristão deve planejar os seus negócios buscando sempre a orientação divina - (Tg 4.13). Ei a, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos. - Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá. Provérbios 19:21
Todo cristão deve saber que Deus tem um plano para a nossa vida e sendo um Deus de sabedoria e presciente, Ele sabe o que deve acontecer e o que vai acontecer adiante. Precisamos compreender que Deus quer o melhor para os seus filhos e fazer a vontade dele é a atitude mais sensata que devemos fazer. A nossa vida diária envolve sempre tomada de decisões e fora da vontade de Deus, tudo é incerto. Porém quando procuramos fazer a sua vontade todas as coisas começam a fazer sentido. Como cristãos devemos estar certos que Deus proverá todas as nossas dificuldades. Fazendo os nossos próprios projetos eles serão sempre vacilantes, isto porque não devemos ignorar que só Deus tem os conselhos sábios, firmes e uniformes. Devemos entender que todos os propósitos de Deus são justos e bons e serão cumpridos, no devido tempo.
2. O cristão deve saber que o desconhecido amanhã pertence somente ao Senhor – (Tg 4.14). Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece - Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbios 27:1
A vida não é incerta para Deus, mas o é para nós. Só estaremos seguros do amanhã s estivermos dentro da vontade de Deus, pois sabemos que o Senhor nos conduz por caminhos confiáveis. Deus não nos diz para contar os anos e sim para contar os dias, porque se vive um dia de cada vez, e, à medida que envelhecemos, tais dias passam cada vez mais rapidamente. O nosso amanhã deve ser planejado com submissão à vontade de Deus, pois se assim não o fizermos poderemos ser surpreendido pelos acontecimentos súbitos. Tem aqueles que ao receber a mensagem do evangelho, procuram adiar a sua conversão para mais adiante e essa é uma obra que não pode ser adiada, pois o amanhã é uma incerteza para todos nós. Um pouco de tempo pode produzir mudanças consideráveis, que mal podemos imaginar.
3. O cristão deve estar na vontade de Deus em seu modo de lidar com o futuro - (Tg 4.15). Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. – (Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder. 1 Coríntios 4.19).
Quase todas as pessoas tem o costume de falar; Se Deus quiser, Se Deus permitir e isso não deve ser apenas uma declaração da boca para fora, mas sim uma atitude constante de todo o coração. Não podemos viver de uma forma independente de Deus; portanto, os nossos planos não podem ignorá-lo. Podemos fazer planos, mas devemos reconhecer a vontade superior de Deus e a soberania divina. Os nossos planos devem ser avaliados pelos padrões e objetivos de Deus e, é isso que agrada a Ele. O apóstolo Paulo sempre usou o termo; se for a vontade de Deus e com isso ele indicava que todos deveriam conscientemente também agir dessa forma. Deus não revela a sua vontade aos curiosos e aos indiferentes, mas sim aos que estão prontos e dispostos a obedecer a Ele.
III. É PECADO O CRENTE SER ARROGÂNTE E TAMBÉM AUTOSSUFICIÊNTE 
1. Quem se gloria do que faz está tirando de Deus o direito honroso que lhe cabe (Tg 4.16a). Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; (Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça. João 7:18).
Tudo o que o crente faz e são bem sucedidos não pode ser atribuído a si próprio, pois se assim acontece a pessoa está buscando honra e glória para si, e tirando de Deus o direito que só cabe a Ele. O próprio Cristo despojando de toda a sua glória não ousou ser igual a Deus durante a sua missão salvadora em seu ministério terreno. (Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Filipenses 2:6). O apóstolo Paulo mesmo sendo bem sucedido em seu ministério, também deixou lições a esse respeito quando disse: (Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. 1 Coríntios 15:9). Quantos são os que agem dessa maneira chamando a glória para si próprio e deixando Deus de lado, o que é uma grande estupidez. 
2. A malignidade do orgulho das presunções é deixar Deus fora de tudo o que faz (Tg 4.16b). toda glória tal como esta é maligna. (Por amor de mim, por amor de mim o farei, porque, como seria profanado o meu nome? E a minha glória não a darei a outrem. Isaías 48:11).
Aquele que se vangloria e faz propaganda do que não tem capacidade de fazer, ou mesmo que tenha capacidade, mas atribui a si próprio àquilo que conquista, na realidade está se vangloriando com uma vanglória maligna. Pensar que vamos fazer isso ou aquilo sem considerar a vontade de Deus é sinal de arrogância, e essa arrogância nada mais é do que pecado. Todo o plano que o homem faz e que ignoram Deus e seu conselho e sabedoria é de procedência maligna. O problema do orgulho arrogante está no fato de que ele nos leva a acreditar que somos autossuficientes e confiantes em nossos próprios esforços e empreendimentos. Se agirmos assim estamos desconsiderando Deus como o centro dos nossos planejamentos, e isso nos leva a focar o nosso eu deixando Deus de lado. O que deve prevalecer na vida do cristão é à vontade e a dependência de Deus em tudo que fizermos em nossa caminhada cristã, se quisermos verdadeiramente ser bem sucedidos. Deus tem ciúme da honra do seu próprio nome, e não permitirá que a vanglória do homem avance mais do que aquilo que redunde para a sua glória. (E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. Mateus 23:12).
3. O Senhor quer que façamos o bem, a não obediência é pecar contra a palavra - (Tg 4.17). Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado. (O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo. Mt 25.45).
Quando deixamos de fazer algo por alguém sabendo que deveríamos fazer e não fazemos passamos a incorrer no pecado de omissão. Se negligenciarmos em atos de caridade, não somente desperdiçamos uma oportunidade de obedecer, como também estaremos pecando. Negligenciar atos de bondade para com um irmão na realidade não testifica a verdadeira salvação, pois a nossa salvação vem pela fé e, é testificada pelas boas obras a qual devemos praticar com espontaneidade. É preciso compreender que Deus separará os seus verdadeiros seguidores dos fingidos e dos infiéis, e os seus destinos serão completamente diferentes. A evidência real da nossa fé é a maneira como agimos para com o nosso próximo.
Pr Adilson Guilhermel
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/o-julgamento-e-soberania-pertencem-deus.html

O Perigo da Busca pela Autorrealização Humana

O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA 
Lição 10 - 7 de Setembro de 2014
Texto Áureo: "Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará” (Tg 4.10).
Leitura Bíblica em Classe - Tiago 4.1-10

CARACTERÍSTICAS DE QUEM TEM O ESPÍRITO DE AUTORREALIZAÇÃO


Introdução:
 A autorrealização pode ser definida quando o indivíduo transforma as próprias potencialidades em realidade por decisão, iniciativa e esforços próprios. A questão em si, não é a autorrealização por parte de alguém, pois se autorrealizar são anseios legítimos do ser humano, isso no meio secular, quando se respeita o direito alheio. Já no meio cristão não podemos nutrir esse sentimento de autorrrealização, pois a nossa vida deve ser totalmente dirigida pelo Espírito Santo em toda a nossa caminhada. O perigo da autorrealização é quando os anseios de conquistar algo se tornam uma obsessão com desejos cegamente incontroláveis, e no caso do cristão acabam deixando o Senhor Deus à margem daquilo que se almeja. Ele não somente deixa o Senhor a margem do que busca como também não respeita o seu próximo e ultrapassa todos os limites e direitos sem quaisquer princípios éticos sem se preocupar com as consequências dos seus atos. 
1 - ELE NÃO TEM ESCRÚPULOS PARA ATINGIR OS SEUS OBJETIVOS - Tiago 4.1 - Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?
A autorrealização em proveito próprio sem orientação e controle divino conduz o crente em direções conflitantes para alcançar seus propósitos e desejos. Certamente o crente que age com animosidade rancorosa, demonstrando ruindade naquilo que faz não se identifica como um cristão que deve professar amor, alegria, paz, domínio próprio e boas obras diante dos homens. As disputas e brigas não podem fazer parte do corpo de Cristo, pois prejudicam gravemente a transmissão eficiente do Evangelho. Quem está de fora considera a igreja como um lugar de consolação e salvação e não um lugar repleto de discórdias. (Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Salmos 133:1). 
2 - ELE PISA EM QUALQUER UM PARA CONSEGUIR O QUE DESEJA - Tiago 4.2 - Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis.
Se confiarmos apenas em nossos desejos, eles apenas nos levarão às coisas desta terra, e não às coisas de Deus. Quem quer se autorrealizar buscando o prazer de ter mais coisas, de sugar mais do desejo de prosperar e de gozar felicidade para se sobressair acima dos outros é um grande perigo. Acabam não alcançando os seus desejos, pois estão agindo de modo errado que trará grandes frustrações para si próprias, como inimizades e prejuízos a outros. É sempre infeliz aquele que quer se autorrealizar através de desejos egoístas, pois sempre estará em guerra consigo mesmo, como também com os outros. (Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. Gálatas 5:26). 
3 - ELE USA DE ORAÇÕES COM INTENÇÕES SÓ EM PROL DE SI MESMO - Tiago 4.3 - Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.
Buscar a autorrealização própria se dirigindo a Deus em oração com pedidos errados e egoístas, certamente o que obterá dele é o seu silêncio, pois Deus não atende esse tipo de pedido. Tem aqueles que quando Deus não responde as orações tem a tendência de parar de orar, e não indaga por que Deus não está respondendo. Se não entendermos bem o uso correto da oração, poderemos deixar de orar, ou tentar conseguir as coisas com atitudes erradas sem importar com as suas consequências. Quem não se humilha diante de Deus e não pede às coisas que lhe agradam nunca receberão o que pedem. (E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. Mateus 21:22).
4 - ELE IGNORA A EXCLUSIVIDADE QUE O SENHOR EXIGE PARA SI - Tiago 4.4 - Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
Quem busca se autorrealizar no meio cristão utilizando de práticas do mundo para atingir seus intentos, está se deixango levar para a prática da apostasia. (Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro). Não podeis servir a Deus e a Mamom. Mateus 6:24. Um convertido a Cristo jamais poderá se utilizar de práticas mundanas nas suas pretensões dentro do contexto de reino, pois um convertido deve testificar que realmente morreu para o mundo. (Porque, se viverdes segundo a carne, morrerá; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Romanos 8:13).5 - ELE PROVOCA CIÚMES NO ESPÍRITO SANTO QUE ZELA PELO CRENTE - Tiago 4.5 - Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?
O perigo daquele que quer se autorrealizar é viver de modo a agradar a velha natureza, o que significa declarar guerra contra Deus. ("O pendor da carne é inimizade contra Deus" Rm 8.7). O Espírito Santo em nosso interior guarda com grande zelo o nosso relacionamento com Deus e se entristece quando pecamos contra o Seu amor. Deus tem por nós um zelo santo e amoroso, como o marido e a esposa têm, devidamente, um pelo outro. Nenhum marido ou esposa se contentaria com menos do que exclusividade total em seu relacionamento conjugal. Assim, Deus jamais tolerará qualquer tipo de divisão entre Ele e o mundo. Quem busca se autorrealizar pensando em si próprio acaba permitindo que a carne controle a sua mente, e com isso vai sofrer a perda da comunhão com Deus.
6 - ELE POR CAUSA DO ORGULHO É DESPOJADO DA GRAÇA DE DEUS - Tiago 4.6 - Antes, dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes.
A humildade não é uma fraqueza; ao contrário, é a única maneira pela qual os crentes conseguem coragem para enfrentar todas as suas tentações e provações com o poder de Deus. Deus quer que sejamos dependentes da sua graça, enquanto o diabo quer que sejamos dependentes de nós mesmos. Satanás sempre está por traz de todos os empreendimentos que tentamos realizar por conta própria. Ele procura inchar o ego de que busca fazer as coisas a sua maneira. O perigo nas Igrejas nos dias de hoje, é que muitos querer ser o tal no meio evangélico, se esquivando da condição de ser servo. Não temos coisa alguma para nos orgulhar e quem busca isso, está correndo o grande perigo da autorrealização própria. (Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. Filipenses 3:19).
7 - ELE NÃO FAZ A VONTADE DE DEUS, POIS É SEMPRE AUTOCONFIANTE - Tiago 4.7 - Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
O crente que busca se autorrealizar não entrega a Deus todas as áreas da sua vida contrariando a vontade de Deus, o qual exige uma entrega incondicional para que alguém obtenha vitória completa naquilo que faz. Cristãos sem compromisso com Deus não conseguem conviver nem consigo mesmo, como também com os outros. Paulo advertiu em Ef. 4.27 para não dar lugar ao Diabo, pois ele precisa de um ponto de apoio em nossa vida para nos fazer voltar contra Deus, e, se não vigiarmos, nós acabaremos dando esse apoio. Só pode resistir ao diabo, àquele que se sujeita completamente a vontade de Deus. Quando resistimos ao Diabo estamos fazendo o que Jesus fez quando foi tentado no deserto por ele. (Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Efésios 6:11).
8 - ELE NÃO TEM A PUREZA DE CORAÇÃO, POIS SUA ÍNDOLE É HIPÓCRITA - Tiago 4.8 - Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração.
Temos que dar a Deus o lugar que Ele deve ocupar em nossas vidas, pois se assim não o fizermos estamos adotando uma fé fingida, a qual leva a um abismo chamando outro abismo. Quando nos conscientizamos que o pecado não pode fazer parte da nossa vida e também que esteja bem distante de nós, o Senhor então se aproxima de nós, pois é o pecado que mantém Deus longe de nós. Precisamos ter uma vida purificada a tal ponto que modifique o nosso comportamento exterior. Deus se importa com a maneira como vivemos e, essa aproximação mútua nos torna consciente de hábitos e atos na nossa vida que não agradam a Ele. Precisamos remover do nosso interior as coisas erradas que impedem a nossa comunhão com Deus. Deve haver modificações em nosso interior, pois não podemos levar uma vida hipócrita continuadamente tentando amar a Deus e o mundo. (Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 João 1:9).9 - ELE NÃO SE LAMENTA DOS SEUS ERROS, POIS SEU CORAÇÃO É INSENSÍVEL - Tiago 4.9 - Senti as vossas misérias, e lamentai, e chorai; converta- se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo, em tristeza.
Quem busca a autorrealização não sente a sua falta de merecimento, pois tentam alcançar tudo pelos seus próprios meios não importando se os meios que usa são ilícitos. Deus pela sua misericórdia procura desmascarar esse tipo de comportamento inapropriado para quem se diz cristão, para levá-los a render-se a uma vida de humildade e dependência irrestrita a Sua vontade. A rendição à vontade de Deus pode não vir com facilidade, pois os desejos arraigados há muito tempo sempre procuram resistir com desobediência. Sem o verdadeiro arrependimento, o futuro que se apresenta é totalmente sombrio, mas com o arrependimento, não haverá o choro mais tarde, pois o arrependimento é a única reação racional que todo crente deve ter. (Ai de vós, os que estais fartos, porque tereis fome. Ai de vós, os que agora rides, porque vos lamentareis e chorareis. Lucas 6:25).
10 - ELE SE JULGA PERFEITO DEMAIS PARA SE HUMILHAR DIANTE DE DEUS - Tiago 4.10 - Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
Por mais que estejamos distantes de Deus motivado pela busca da autorrealização, sempre há uma esperança, se nos humilharmos diante de Deus. Quando tomamos uma posição e nos conscientizamos dos nossos erros e ficamos pesarosos e entristecidos com a verdade sobre o que o pecado faz a aceitação da parte de Deus é garantida. Deus jamais rejeita aqueles que se arrependem de seus pecados e os abandonam. (Ele põe os humildes num lugar alto, e os que choram são levados para a segurança Jó 5.11). Como cristãos devemos entender que não podemos buscar a autorrealização deixando Deus de lado, sem sujeitarmo-nos à sua vontade para a nossa vida. O filho pródigo tentou buscar a autorrealização achando que não precisaria do seu pai em algum momento da vida. O resultado foi desastroso para ele até o momento que se arrependeu e reconheceu a necessidade de estar com o seu pai. A humildade perante Deus será seguida da nossa exaltação.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel  Th.M.

http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/o-perigo-da-busca-pela-autorrealizacao.html

A verdadeira sabedoria se manifesta na prática



A VERDADEIRA SABEDORIA SE MANIFESTA NA PRÁTICA 
Lição 9 - 31 de Agosto de 2014
Texto Áureo: “Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria” (Tg 3.13).
Leitura Bíblica em Classe: - Tiago 3.13-18


QUEM NÃO PRATICA A VERDADEIRA SABEDORIA NÃO É DE DEUS

Introdução
Muitos podem se achar sábios, ou se vangloriar que tem a verdadeira sabedoria, mas se não for a verdadeira sabedoria que vem do céu, é apenas pretensão de cristãos que querem estabelecer ramos de sabedoria para com isso ganhar seguidores que se iludem com os seus ensinos. Na realidade quem se julga sábio aos seus olhos, certamente é dotado de espírito partidário que dá brechas ao maligno para trazer problemas de facções na Igreja. A sabedoria do alto nos ensina a fazer o bem, como também a falar aquilo que é bom aos outros. Quem vive a sabedoria do alto sempre tem uma postura correta, mediante a prática de obras práticas. O verdadeiramente sábio e inteligente se identifica com a sabedoria do alto, quando demonstra que conhece a Deus. A bíblia diz em Provérbios 9.10, que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo, a prudência. As obras e as ações de quem usa essa sabedoria brotam de uma vida de retidão aperfeiçoada pela obediência a palavra de Deus. Podemos resumir que o verdadeiro sábio e inteligente é aquele que conhece a Deus e vive de acordo com os seus preceitos.

I - A SABEDORIA, SE É DIVINA OU DIABÓLICA É VISTA PELA CONDUTA PESSOAL
1. A sabedoria não se revela em quem discursa se orgulhando dos seus feitos - Tiago 3.13 - Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria.

Um cristão que gosta de tocar trombetas dos seus feitos e se vangloriar de algum trabalho que realiza, sem atribuir nada a respeito de Deus, certamente não está usando a sabedoria do alto. Esse crente pode ser identificado como aquele que um dia comparecerá ao tribunal de Cristo após o arrebatamento da Igreja e ouvir do Senhor que as suas obras não são consistentes como a palha e a madeira. Quantos vivem nessa condição achando que são superiores em todas as coisas e na realidade estão totalmente enganados quanto a isso, pois Deus não se deixa enganar, pois não dormita o Guarda de Israel. (Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. Provérbios 15:3).
2. A sabedoria jamais se revelará em quem tem sentimentos de inveja e facção - Tiago 3.14 - Mas, se tendes amarga inveja e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade.

O crente é identificado não por apresentar um comportamento santo, ou pela mansidão humilde, ou pelas boas obras, pois se ele tem esses atributos que seriam importantes e ao mesmo tempo revelar sentimentos de amarga inveja e sentimento faccioso, na realidade o seu quadro de vida é incompleto por essa área negativa. O egoísmo é o desejo de viver para si mesmo e para nada ou ninguém mais, somente para aquilo que se pode aproveitar. É o tipo que só tem confiança no seu próprio conhecimento e comporta-se de maneira arrogante e com superioridade em relação aos outros. Não realidade essas pessoas não são sábias, pois elas são uma mentira.
3. A sabedoria do alto é algo totalmente diferenciado da sabedoria diabólica - Tiago 3.15 - Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.

O crente que é egocêntrico e superficial iguala-se ao homem natural, ou seja, a pessoa que não tem o Espírito de Deus, ou que não aceita a orientação que vem do Espírito de Deus. É o tipo de pessoa que só entende da sabedoria desta vida, baseada unicamente em sentimentos humanos e no raciocínio humano. Tudo isso que é vivenciado por alguém é de origem diabólica, cujos objetivos são sempre destrutivos e podem produzir grandes prejuízos na igreja, no lar, no trabalho e nos relacionamentos. Isso por que sendo assim cria atmosferas destrutivas por palavra, linguagem e tom de voz.II - O MAL SEMPRE ESTÁ PRESENTE ONDE HÁ INVEJA E SENTIMENTO FACCIOSO
1. A maldade na vida do crente é vista quando ele é tomado por invejas e egoísmo - Tiago 3.16a - Porque, onde há inveja e espírito faccioso, 

Tem crente que não suporta ver outra pessoa despertando atenções por uma conduta excelente, ou ter alguém fazendo sombra sobre o que elas fazem. Pessoas assim são facilmente impelidas por sentimentos de vingança, que por fim, levam a situações desastrosas e prejudiciais a pessoa, ou a obra. Isso demonstra que o crente não tem Cristo reinando no seu coração, e assim todo tipo de podridão floresce em sua vida.
2. A causa de muita confusão na Igreja é decorrente de crentes invejosos e egoístas - Tiago 3.16b ai há perturbação e toda obra perversa.

Tudo na obra deve ser feito com decência e ordem sem ambição egoísta ou politicagem partidária. Qualquer igreja que não combater todo tipo de inveja e rivalidade estará permitindo que se estabeleça a desarmonia e todo tipo de mal entre os membros. Infelizmente há pessoas que promovem tais desordens e ainda se gloria dessas coisas. Há crentes que demonstram esse tipo de comportamento transparecendo ter mentes cauterizadas, pois não mostra qualquer transformação de vida por mais que sejam doutrinados.
III - CARACTERÍSTICAS DA VERDADEIRA SABEDORIA QUE O CRENTE DEVE MOSTRAR 
1. A sabedoria do alto nunca pode ser contaminada por razões e a malícia do homem - Tiago 3.17a. - Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, -

A sabedoria pura é livre de iniquidade e de manchas, a qual não tolera qualquer pecado, pois zela pela santidade no seu coração. É uma sabedoria não contaminada pelo raciocínio e filosofia humana. Ela é pura, pois não tem qualquer contaminação moral. 
a. A sabedoria do alto é aquela que vivencia a paz e procura transmiti-la para todos – Tiago 3.17b. - depois, pacífica, 

A pureza da sabedoria do alto também é pacífica, pois não se refere somente a paz interior de cada um, como também a paz em nosso relacionamento com os outros. O cristão verdadeiro espontaneamente procura sempre promover a paz, pois é consciente que essa é uma condição de alcançar as bênçãos divinas, como diz a palavra: (Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Mateus 5:9). Essa identificação como verdadeiros filhos de Deus é necessária para todos aqueles que se converteram a Cristo, pois é isso que Deus espera de cada um de nós. 
b. A sabedoria do alto é vista naquele que é bondoso e tem consideração com outros – Tiago 3.17c. - moderada, 

A sabedoria do alto é moderada, pois é o oposto do egoísmo, a qual age tendo os outros em consideração. Ela é temperada com justiça e misericórdia que são ingredientes necessários no tratamento com todos e, é o tipo de tratamento que nós gostaríamos de receber dos outros. Ela indica um espírito aberto ao aprendizado sendo maleável e receptiva ao aprendizado de novas verdades, a qual sempre se submete com alegria e humildade.
c. A sabedoria do alto é vista naquele que é obediente a Deus e aceita a sua correção – Tiago 3.17e. - tratável, 

Essa sabedoria deve ser tratável ou amigável. A sabedoria do alto tem flexibilidade, ou seja, é disposta a ouvir e a mudar comportamentos que não são condizentes com os preceitos divinos. O crente que têm a sabedoria do alto segue voluntariamente as ordens de Deus e aceitam com submissão a sua correção. (Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho. Hebreus 12:6).
d. A sabedoria do alto envolve querer ajudar a outrem sem qualquer interesse próprio – Tiago 3.17f. - cheia de misericórdia 

A sabedoria do alto é cheia de misericórdia porque ensina sobre o perdão gracioso de Deus. Ela leva a ações práticas, ajudando e servindo os outros. O crente sábio tende a ser misericordioso, pois ele sabe que serve a um Deus cheio de misericórdia em todas as nossas falhas e está sempre pronto a oferecer seu perdão e isso nos ensina a perdoar mesmo quando estamos enfrentando problemas que são culpa de outras pessoas.
e. A sabedoria do alto é vista naquele que produz as boas obras para a glória de Deus - Tiago 3.17g. - e de bons frutos, 

Quem tem a sabedoria do alto também é produtivo, pois devemos viver na plenitude do Espírito produzindo frutos para a glória de Deus. Portanto o crente que tem a sabedoria do alto não vive uma vida estagnada e vazia, pois ele é consciente das suas responsabilidades em relação ao crescimento do reino de Deus. Os frutos são os resultados daquilo que semeamos e se o que semearmos tiver qualidades, certamente em algum tempo colheremos os resultados dos nossos esforços.
f. A sabedoria do alto tem imparcialidade e deve ser livre de preconceitos entre todos - Tiago 3.17h. - sem parcialidade e sem hipocrisia.

A falsidade ou o fingimento jamais achará lugar no coração de uma pessoa sábia, pois quem é sábio sabe que isso pode prejudicar o relacionamento com Deus e com o próximo. Portanto essa sabedoria é sem hipocrisia, ou seja, ela é sincera. Essa sabedoria do alto é que nos torna pessoas autênticas.
2. O fruto da justiça envolve semear justiça e não o pecado, semear a paz e não a guerra - Tiago 3.18 - Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. 

A sabedoria do alto nos ensina a compartilhar os frutos de Deus com as outras pessoas, pois se elas forem alimentadas e saciadas, por sua vez, também darão frutos. O cristão que segue sabedoria de Deus semeia a justiça e não o pecado; semeia a paz e não a guerra. A forma que vivemos permite que o Senhor promov justiça e paz na vida dos outros. Se semearmos a justiça e paz certamente iremos colher as bênçãos de Deus. Porém se vivermos segundo a sabedoria do mundo, semearemos coisas ruins e certamente colheremos coisas ruins. (Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; Provérbios 3:13).



Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.



http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/08/a-verdadeira-sabedoria-se-manifesta-na.html

O CUIDADO COM A LÍNGUA

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br

O CUIDADO COM A LÍNGUA
Lição 8 - 24 de Agosto de 2014
Texto Áureo: 
’’Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo” (Tg 3.2).
Leitura Bíblica em Classe: -
 Tiago 3.1-12

IR PARA O CÉU OU PARA O INFERNO DEPENDE DO CUIDADO COM A LÍNGUA

1 - A LÍNGUA DE QUEM QUER ENSINAR SEM PREPARO O CONDUZIRÁ AOS MAIS DUROS JUÍZOS 
- Tiago 3.1 - Meus irmãos, muitos de vós não sejam mestres, sabendo que receberemos mais duro juízo.

2 - SAIBA CONTROLAR A LÍNGUA COM SABEDORIA, POIS ELA É A MARCA DO CRISTÃO MADURO 
- Tiago 3.2 - Porque todos tropeçamos em muitas coisas. Se alguém não tropeça em palavra, o tal varão é perfeito e poderoso para também refrear todo o corpo.

3 - QUEM CONSEGUE CONTROLAR A SUA LÍNGUA CONSEGUE CONTROLAR TODO O SEU CORPO 
- Tiago 3.3 - Ora, nós pomos freio nas bocas dos cavalos, para que nos obedeçam; e conseguimos dirigir todo o seu corpo.

4 - A LÍNGUA INCONTROLADA É COMO UM LEME INCONTROLADO NA VIDA DOS ORGULHOSOS - Tiago 3.4 - Vede também as naus que, sendo tão grandes e levadas de impetuosos ventos, se viram com um bem pequeno leme para onde quer a vontade daquele que as governa.

5 - PENSE BEM ANTES DE USAR A LÍNGUA, POIS NÃO HÁ MEIOS FAZER A PALAVRA VOLTAR -
 Tiago 3.5 - Assim também a língua é um pequeno membro e gloria-se de grandes coisas. Vede quão grande bosque um pequeno fogo incendeia.

6 - QUEM NÃO TEM A LÍNGUA DOMINADA CONTAMINA OUTROS COM SUA SUJEIRA INTERIOR - Tiago 3.6 - A língua também é um fogo; como mundo de iniquidade, a língua está posta entre os nossos membros, e contamina todo o corpo, e inflama o curso da natureza, e é inflamada pelo inferno.

7 - A LÍNGUA SÓ PODE SER CONTROLADA SE FORMOS CONTROLADOS PELO ESPÍRITO SANTO 
- Tiago 3.7 - Porque toda a natureza, tanto de bestas-feras como de aves, tanto de répteis como de animais do mar, se amansa e foi domada pela natureza humana;

8 - SE A LÍNGUA NÃO FOR CONTROLADA SE TORNA PERIGOSA E MORTÍFERA COMO VENENO 
- Tiago 3.8 - mas nenhum homem pode domar a língua. É um mal que não se pode refrear; está cheia de peçonha mortal.

9 - A LÍNGUA DEVE BENDIZER, POIS NÃO SE MALDIZ QUEM É FEITO A SEMELHANÇA DIVINA -
 Tiago 3.9 - Com ela bendizemos a Deus e Pai, e com ela amaldiçoamos os homens, feitos à semelhança de Deus:

10 - QUEM USA A LÍNGUA PROFERINDO BÊNÇÃO E MALDIÇÃO O DIABO TERÁ SEU CONTROLE 
- Tiago 3.10 - de uma mesma boca procede bênção e maldição. Meus irmãos, não convém que isto se faça assim.

11 - A LÍNGUA DE QUEM TEM O CORAÇÃO RENOVADO SÓ PODE PRODUZIR PALAVRAS PURAS -
 Tiago 3.11 — Porventura, deita alguma fonte de um mesmo manancial água doce e água amargosa?

12 - A LÍNGUA DO CRISTÃO DEVE SER COMO UMA ÁRVORE QUE SÓ PRODUZ BONS FRUTOS 
- Tiago 3.12- Meus irmãos, pode também a figueira produzir azeitonas ou a videira, figos? Assim, tampouco pode uma fonte dar água salgada e doce.


O COMENTÁRIO DO ESBOÇO ACIMA ESTÁ SENDO ELABORADO. AGUARDEM.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/08/o-cuidado-com-lingua.html

A Fé se Manifesta em Obras

Lições Bíblicas  
  EBD: 3º trimestre 2014 - Fé e obras
Ensinos de Tiago para uma Vida Cristã Autêntica

Siga-me para acompanhar as publicações - https://www.facebook.com/pastorguilhermel
A FÉ SE MANIFESTA EM OBRAS 
Lição 7 - 17 de Agosto de 2014
TEXTO ÁUREO: "Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus”(Mt 5.16).
LEITURA BÍBLICA EM CLASSE - Tiago 2.14-26


A FÉ QUE NÃO SE MANIFESTA EM OBRAS É UMA LUZ ESCONDIDA


Introdução: A boas obras serão confirmadas como boas, se o que fizermos não venha se refletir para nós mesmos, mas que essas boas obras apontem para o Pai Celestial e fazendo assim renderemos todas as honras e glórias a Ele. Podemos definir obras com um conjunto das ações de alguém ou dos efeitos de alguma coisa em vista de certo resultado. No caso do cristão as obras requeridas por parte de Deus, são obras num sentido diversificado que trazem resultados em prol do reino de Deus. As obras que realizamos devem ser coerentes com a nossa profissão de fé, de modo que glorifique a Deus. As pessoas não devem apenas ouvir falar das nossas boas obras, mas devem ver as nossas boas obras, para que possam se convencer de que a religião é muito mais do que meras palavras. As nossas boas obras devem levar as pessoas não a glorificar a nós mesmos, mas ao nosso Pai que está nos céus. (Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém administrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence à glória e poder para todo o sempre. Amém. 1 Pedro 4:11).
1 - SE A NOSSA FÉ SE RESUME APENAS A PRÁTICAS RELIGIOSAS ESTAMOS PERDIDOS - Tiago 2.14 - Meus irmãos, que aproveita se alguém disser que tem fé e não tiver as obras? Porventura, a fé pode salvá-lo? - Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. Efésios 2:10
Tem muito crente que acha que a sua vida espiritual se resume apenas a ir aos cultos, cantar, louvar ouvir a palavra, dar a sua oferta e ir para casa já é o suficiente, ou que isso é obra. Pensa que fazendo isso já o completa como crente e essa rotina viciosa já basta para garantir a sua salvação. Está redondamente enganado quem pensa assim, pois não imagina que a sua salvação está completamente comprometida, pois os que se comportam dessa maneira se igualam as virgens néscias a qual Jesus alertou que ficarão de fora. Nos somos salvos não apenas para nosso próprio benefício, mas para servir a Cristo e edificar a igreja. (Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Efésios 4:12).
2 - SE AFIRMARMOS UMA FÉ SEM AS OBRAS NÃO SEREMOS ACEITOS DIANTE DE DEUS - Tiago 2.15 - E, se o irmão ou a irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, - Quem, pois, tiver bens do mundo, e, vendo o seu irmão necessitado, lhe cerrar as suas entranhas, como estará nele o amor de Deus? 1 João 3:17
O amor deve ser exibido por obras e não basta falar de amor se não estivermos sempre dispostos a ajudar um irmão necessitado. Falar é fácil, de modo que somente dizer que amamos uns aos outros não é suficiente. A fé não acompanhada do amor é inútil. Jesus na parábola do bom Samaritano enfatizou com palavras fortes a necessidade absoluta de se mostrar a fé com boas obras. Ele ilustra o mau testemunho dado pelo levita e pelo sacerdote que ignoraram a condição daquele que ferido precisava de ajuda, até que foi socorrido pelo Bom Samaritano. 
3 - SE PROFESSARMOS A FÉ DA BOCA PARA FORA NÃO SOMOS CRENTES AUTÊNTICOS - Tiago 2.16 - e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentar-vos e fartai-vos; e lhes não derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá dai? - Tendo o vosso viver honesto entre os gentios; para que, naquilo em que falam mal de vós, como de malfeitores, glorifiquem a Deus no dia da visitação, pelas boas obras que em vós observem. 1 Pedro 2:12
Não bastam boas intenções ou boas conversas se elas não se converterem em boas obras. Nós fomos chamados para honrar a Deus, e isso só se concretizará se o nosso modo de viver se refletir de uma maneira correta, honrada e moral neste mundo profano. E se nesse mundo profano as nossas atitudes forem honestas e exemplares, até mesmo as pessoas contrárias a nossa fé poderão no final, louvar a Deus. Um comportamento atrativo, gracioso e correto por parte dos cristãos revelará certamente que a fé que professamos é verdadeira. 
4 - SE MOSTRARMOS UMA FÉ SEM OBRAS ELA É MORTA E A SALVAÇÃO É APENAS ILUSÃO - Tiago 2.17- Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma. - Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. 1 Timóteo 1:5
Somente a fé que conduz a ação é a que salva. Que ninguém pense que as obras é somente uma questão opcional, muito pelo contrário; as obras necessariamente devem estar integradas e ajustadas a nossa fé, caso contrário à salvação é apenas uma ilusão. As nossas boas ações revelam em nós o fruto de uma fé viva e não morta. Um coração puro revela o verdadeiro amor, e uma boa consciência envolve fazermos as coisas com espontaneidade e, é isso que identificará se a nossa fé é uma fé verdadeira. 
5 – É UM ENGANO ALGUÉM DIZER QUE A FÉ E AS OBRAS PODEM SER INDEPENDENTES. - Tiago 2.18 - Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras. - Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que crêem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens. Tito 3:8
A fé é um substantivo que precisa ser verbalizado para crer, e crer é ação. Desse modo precisamos ter uma fé movida pela ação e ação é fazer algo e no caso dos crentes esse algo, são obras que agradem a Deus. Portanto a fé e as boas obras são expressões alternadas, mas que são inseparáveis, pois se assim não for, elas deixam de estar vivas. Devemos entender que a fé vive nas ações que ela mesma gera, e as ações exigem fé para que haja bons resultados. A fé de uma vida sem transformação, não praticará boas obras que uma fé genuína realiza. Ninguém com uma fé só de boca, poderão provar se ela é verdadeira se não for acompanhada de obras.
6 - A FÉ SEM OBRAS É SIMILAR A DOS DEMÔNIOS QUE CREÊEM, MAS SEM AS BOAS OBRAS - Tiago 2.19 - Tu crês que há um só Deus? Fazes bem; também os demônios o creem e estremecem. - E também de muitos saíam demônios, clamando e dizendo: Tu és o Cristo, o Filho de Deus. E ele, repreendendo-os, não os deixava falar, pois sabiam que ele era o Cristo. Lucas 4:41
Muitos crentes são insubmissos a Deus em vários aspectos e que adianta esse tipo de fé que não o leva a ser submisso. Esse tipo de fé sem dependência de Deus, na verdade é uma fé inferior à fé dos demônios, que pelo menos acredita que Deus existe como também tremem diante do seu nome. O que pesa sobre eles, é que estão eternamente destituídos da glória de Deus e serão levados a condenação eterna. Agora, os crentes que não praticam obras correm o risco de serem levados à condenação eterna. É bom lembrar que Jesus na parábola dos talentos mostrou que aquele, a qual recebeu um talento e não negociou (não fez obras) foi lançado nas trevas exteriores. Jesus disse: Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dará muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma Jo 15.5.
7 - SE A FÉ NÃO FOR DIRECIONADA PARA UM OBJETIVO CERTO ELA É TOTALMENTE INATIVA
 - Tiago 2.20 - Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? - Então respondeu Jesus, e disse-lhe: Ó mulher, grande é a tua fé! Seja isso feito para contigo como tu desejas. E desde aquela hora a sua filha ficou sã. Mateus 15:28
Para podermos demonstrar que a nossa salvação é real, precisamos testificar uma transformação do nosso coração através de obras consistentes. Um exemplo maravilhoso foi esse de uma mãe desesperada pela condição da sua filha que era possuída por um espírito maligno. Nesse caso a obra que ela fazia era em favor da filha que precisava de libertação e essa mãe não mediu esforços e humilhações para alcançar o seu objetivo. Ela sabia que Jesus era o único que poderia lhe socorrer com resultados positivos e, essa certeza envolveu uma grande fé para alcançar o milagre. Baseado no esforço e na sua fé, Jesus curou a sua filha.
8 - A FÉ NOS DECLARA COMO SALVOS DIANTE DE DEUS E AS OBRAS DIANTE DOS HOMENS - Tiago 2.21 - Porventura Abraão, o nosso pai, não foi justificado pelas obras, quando ofereceu sobre o altar o seu filho lsaque? - Pois zelamos do que é honesto, não só diante do Senhor, mas também diante dos homens. 2 Coríntios 8:21
A fé de Abraão o justificou diante de Deus e a sua justiça foi declarada e pelas obras a sua justiça foi demonstrada e justificado diante dos homens. O apóstolo Paulo além de todas as suas responsabilidades em propagar o evangelho, também sensibilizado com as dificuldades dos crentes de Jerusalém que sofriam perseguições e a perda dos seus bens, se propôs a arrecadar recursos nas igrejas para tal necessidade. Isso envolvia certos cuidados, pois envolvia dinheiro e ele procurou agir para que ninguém achasse que estaria se aproveitando da situação em benefício próprio. Isso envolveu fé em alcançar o necessário para os crentes necessitados, como também as obras, pois sem as obras ficaria estagnado só na fé.
9 - A FÉ NÃO BASTA APENAS SER ACRESCIDA DE OBRAS, ELA DEVE SER TAMBÉM OPERANTE - Tiago 2.22 - Bem vês que a fé cooperou com as suas obras e que, pelas obras, a fé foi aperfeiçoada, - Fiel é a palavra, e isto quero que deveras afirmes, para que os que creem em Deus procurem aplicar-se às boas obras; estas coisas são boas e proveitosas aos homens. Tito 3:8
Não basta fazer uma obra, ou algumas de quando em quando e achar que isso é o suficiente para garantir que a sua salvação já está completa. Fomos salvos, estamos sendo salvos e seremos salvos se a nossa fé e as nossas obras forem operantes e contínuas. Não adianta dizer que já fez muito pelo reino e cruzar os braços achando que as suas obras já estão de bom tamanho. Esse é um comportamento de uma ignorância absurda quanto à fé e as obras. Os crentes devem exibir a sua fé por meio do seu comportamento. Eles devem aplicar-se as boas obras constantemente, pois se assim não for correm sérios riscos de não subirem para Cristo.
10 - A FÉ E AS OBRAS PRATICADAS EM OBEDIÊNCIA É QUE PRODUZ INTIMIDADE COM DEUS - Tiago 2.23 - e cumpriu-se a Escritura, que diz: E creu Abraão em Deus, e foi-Ihe isso imputado como justiça, e foi chamado o amigo de Deus. - Porque o perverso é abominável ao Senhor, mas com os sinceros ele tem intimidade. Provérbios 3:32 
O que leva o cristão a ser amigo de Deus, assim como foi com Abraão e outros, é a condição que demonstra obediência com uma fé fiel e ativa. Não podemos ser insubordinados quanto a realização de obras para o reino de Deus, pois isso na realidade já é, uma rebelião contra Deus. Uma coisa que desliga o homem de Deus é contradizer a sua vontade, fazendo as coisas conforme aquilo que queremos o que não terá valor algum diante Dele. Se quisermos ser recompensada na vida além-terra, precisamos nos enquadrar e nos harmonizar com a perfeita vontade de Deus. 
11 - A FÉ SALVADORA SÓ SERÁ APERFEIÇOADA QUANDO ACOMPANHADA DE BOAS OBRAS - Tiago 2.24 - Vedes, então, que o homem é justificado pelas obras e não somente pela fé. – Pela fé ofereceu Abraão a Isaque, quando foi provado; sim, aquele que recebera as promessas ofereceu o seu unigênito. Hebreus 11:17
Uma pessoa realiza obras de obediência por causa da sua fé que o levou ao arrependimento e, por conseguinte a salvação. Quem confia na sua ocupação religiosa para a sua salvação como também em seus méritos diante de Deus deve lembrar que essas obras não são suficientes para garantir a sua salvação. Abraão obedeceu a ordem de Deus para sacrificar o seu filho Isaque, sem qualquer questionamento e isso caracterizou o seu feito como uma verdadeira obra de fé, pois mesmo não entendendo o propósito de Deus, a sua obediência foi imediata e completa. 
12 - A FÉ DE RAABE NÃO FOI O SUFICIENTE PARA SALVÁ-LA E SIM O QUE ELA FEZ - Tiago 2.25- Ede igual modo Raabe, a meretriz, não foi também justificada pelas obras, quando recolheu os emissários e os despediu por outro caminho? - Pela fé Raabe, a meretriz, não pereceu com incrédulos, acolhendo em paz os espias. Hebreus 11.31
Raabe fez uma obra que resultou da sua fé e isso foi fundamental para que ela ganhasse a proteção divina quando na destruição de Jericó. Vemos que a sua fé não foi suficiente para salvá-la, pois a salvação veio quando ela agiu de acordo com essa fé acolhendo os espias mesmo com os riscos a qual se expos. Uma fé isolada não a teria poupado, mas, quando a fé a levou a ação, os espias a declararam justa. Raabe poderia ter demonstrado uma fé morta, ou poderia ter demonstrado uma fé maligna, no entanto ela mostrou uma fé conscienciosa ao acreditar no Deus de Israel e o seu coração foi tocado por essa verdade. Assim ela provou sua fé por meio das suas obras.
13 – AQUELE QUE DEMONSTRA UMA FÉ SEM OBRAS É COMO UM CORPO SEM O ESPÍRITO - Tiago 2.26 - Porque, assim como o corpo sem o espirito está morto, assim também a fé sem obras é morta. - Porque os vivos sabem que hão de morrer, mas os mortos não sabem coisa nenhuma, nem tampouco terão eles recompensa, mas a sua memória fica entregue ao esquecimento. Eclesiastes 9:5
Um corpo sem o espírito não passa de um cadáver, inerte, sem possibilidade de se movimentar, pensar, agir ou mostrar qualquer sinal de vida. Assim fé sem obras pode ser ilustrada dessa maneira, pois como um corpo morto não pode produzir ações, também a fé sem obras não produz coisa alguma. Os vivos sabem aquilo que os mortos não têm conhecimento algum, particularmente sabem que vão morrer. Agora quem tem a certeza da salvação porque se enquadra dentro dos preceitos divinos vivem preparados para a grande mudança que certamente virá repentinamente. Só haverá recompensa para aqueles que realizam ações santas, ou seja, boas obras.

Elaborado pelo Pr Adilson Guilhermel Th.M
Aqui o Texto da Coluna da Direita
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/08/a-fe-se-manifesta-em-obras.html

A Verdadeira Fé Não Faz Acepção de Pessoas

A VERDADEIRA FÉ NÃO FAZ ACEPÇÃO DE PESSOAS
Lição 6 - 10 de Agosto de 2014
Texto Áureo: ’’Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores” (Tg 2.8,9).
Leitura Bíblica em Classe - Tiago 2.1-13

JESUS CONSIDERA OS RICOS E OS POBRES, MAS CENSURA A PARCIALIDADE

Introdução: Entende-se que acepção de pessoas é a escolha, predileção por alguém; inclinação, tendência em favor de pessoa(s) por sua classe social, privilégios, títulos em detrimento a outrem. “A bíblica adverte que se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso; pois aquele que não ama a seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê” (1 Jo 4:20). Isso mostra que não se pode separar a comunhão humana da comunhão divina. A porta de entrada da Igreja é liberada a qualquer um, seja conhecido ou estranho que queira entrar para o culto a Deus. Em razão disso o crente deve estar alerta sobre a maneira como recebe um estranho na igreja. O calor e a honra da acolhida não pode ser determinado pela aparência ou condição da pessoa. Qualquer demonstração de favoritismo com base na posição social de alguém é totalmente condenável pela Palavra de Deus. Também em relação a ordenação ou separação para uma função na Igreja, jamais alguém pode ser preferido ou separado pela sua condição social, pois isso se enquadraria como acepção de pessoa, o que é uma transgressão gravíssima, porque esse é uma ato condenável por Deus. É preocupante saber que em muitas igrejas existe esse tipo de preferência e acabam prejudicando pessoas menos favorecidas com talento para a obra. 
1 - JESUS NUNCA ENSINOU SOBRE UMA FÉ QUE FAÇA ACEPÇÃO DE PESSOAS
a - Se fizermos acepção de pessoas a nossa fé em Jesus Cristo é totalmente ausente - Tiago 2.1 - Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas.
Tiago quando escreveu esta carta, essa questão já estava acontecendo, pois aparentemente os crentes estavam avaliando as pessoas pela parte exteriorizada, ou seja: aparência, riqueza e poder. Como resultado estava fazendo concessões a pessoas que tinham posição social de prestígio. Samuel foi à casa de Jessé a mando do Senhor para ungir a rei um dos seus filhos. Samuel se focou na aparência dos filhos de Jessé que estavam na casa e nenhum deles foi aprovado e Deus dá a seguinte orientação mostrando que Ele não faz acepção de pessoas: Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração. 1 Samuel 16:7. Assim Samuel compreendeu que não devia escolher pela aparência e Davi o mais humilde é que foi o escolhido. b - Se julgarmos a aparência exterior de alguém com parcialidade cometemos pecado - Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com vestes preciosas, e entrar também algum pobre com sórdida vestimenta,
Jesus ensinou na prática a questão de não fazer acepção de pessoas em várias incursões que fez na sua obra evangelística. A viúva pobre que ofertou duas pequenas moedas foi maior aos seus olhos do que os que contribuíam com ostentação, como era o caso dos fariseus - (E, chamando os seus discípulos, disse-lhes: Em verdade vos digo que esta pobre viúva deitou mais do que todos os que deitaram na arca do tesouro; Marcos 12:43). Aprendemos também na passagem da mulher samaritana que a salvação é oferecida a todos sem qualquer acepção de pessoas (Disse-lhe, pois, a mulher samaritana: Como, sendo tu judeu, me pedes de beber a mim, que sou mulher samaritana? (porque os judeus não se comunicam com os samaritanos). João 4:9
c - Se atentarmos com distinção entre o rico e pobre estamos ignorando a Cristo - Tiago 2.3 - e atentardes para o que traz a veste preciosa e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui, num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé ou assenta-te abaixo do meu estrado,
Jesus não aprovava o pecado, mas isso não o impedia de sentar-se com os pecadores. A compaixão pelas almas é que o levava a fazer isso. Não podemos julgar as pessoas pelo seu passado como a Igreja de Jerusalém fez com Saulo, que após se converter passou a ser o apóstolo Paulo. Foi preciso que Barnabé, o qual acreditava na conversão de Saulo, rompesse as barreiras da acepção de pessoas. (Então Barnabé, tomando-o consigo o trouxe aos apóstolos, e lhes contou como no caminho ele vira ao Senhor e lhe falara, e como em Damasco falara ousadamente no nome de Jesus. Atos 9:27).
d - Se julgarmos alguém pela sua situação econômica nossa atitude é condenável - Tiago 2.4 - porventura não fizestes distinção dentro de vós mesmos e não vos fizestes juízes de maus pensamentos?
Não podemos honrar uma pessoa apenas porque ela se veste bem, pois assim estamos considerando a aparência como algo mais importante do que o caráter. Jesus advertiu os líderes religiosos: (Não julgueis pela aparência, e sim pela reta justiça Jo 7.24) Tem crentes que procuram agradar os ricos, com pretensão de obter alguma vantagem, ou obter algo deles. Temos que olhar com os olhos de Cristo para não errarmos nessa questão da acepção de pessoas. No caso de receber um visitante, se ele for cristão, devemos aceitá-lo e recebê-lo porque Cristo vive nele. Se ele não for cristão, devemos aceitá-lo porque Cristo morreu por ele.
2 - JESUS ESCOLHEU OS POBRES PARA VAROLIZA-LOS AOS OLHOS DO MUNDO 
a - Jesus escolhe e transforma um pobre em rico com as riquezas da sua graça - Tiago 2.5 - Ouvi, meus amados irmãos. Porventura, não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé e herdeiros do Reino que prometeu aos que o amam?
Somos salvos pela obra redentora de Cristo na cruz, não em função de alguma coisa que somos ou que temos. Se a salvação fosse baseada em méritos pessoais é lógico que não seria pela graça divina. Vemos a graça divina alcançando um gentio chamado Cornélio, o qual aos olhos dos judeus não poderia fazer parte da Igreja de Cristo. Mas Deus que não faz acepção de pessoas e estendeu a salvação para todos os povos da terra agiu prontamente para que Pedro visitasse a casa desse gentil e lhe pregasse o evangelho (E eis que diante de mim se apresentou um homem com vestes resplandecentes, e disse: Cornélio, a tua oração foi ouvida, e as tuas esmolas estão em memória diante de Deus. Atos 10:31). 
b - Jesus repreende aquele que despreza o pobre, pois se iguala aos ricos incrédulos - Tiago 2.6 - Mas vós desonrastes o pobre. Porventura, não vos oprimem os ricos e não vos arrastam aos tribunais?
A exploração aos pobres por parte dos ricos é algo que sempre existiu, tanto no passado como no presente. O poder da riqueza acontece em muitas vezes pela exploração dos menos favorecidos onde os ricos tinham influência tanto no meio religioso como no meio secular. Eles desprezavam os pobres, arrastavam os pobres aos tribunais para tirar algum bem deles injustamente e blasfemavam o bom nome do Senhor Jesus que foi invocado sobre os crentes. Jesus foi pobre e também foi injustiçado pelos líderes de seu tempo. Tanto que após a sua vitória na cruz Ele derrubou o muro de separação entre os judeus e os gentios (Portanto, lembrai-vos de que vós noutro tempo éreis gentios na carne, e chamados incircuncisão pelos que na carne se chamam circuncisão feita pela mão dos homens; Que naquele tempo estáveis sem Cristo, separados da comunidade de Israel, e estranhos às alianças da promessa, não tendo esperança, e sem Deus no mundo. Efésios 2:11-12).
c - Jesus rejeita Igrejas de uma só classe social, pois elas não exaltam sua graça - Tiago 2.7 - Porventura, não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?
Quando os crentes favorecem os ricos e detrimento dos pobres, estão agindo de modo contrário aos métodos de Deus porque Ele honra aos pobres. Os que oprimem os pobres pelo poder da sua riqueza não podem ser favorecidos pelos crentes pela sua condição que julga superior. A igreja jamais pode estar favorecendo os ricos com interesses e para obterem proveitos com segundas intenções. Seriam uma inversão moral aqueles que professaram o nome de Cristo passar a agir semelhantemente com os que blasfemam o nome de Cristo.
3 - JESUS MOSTRA QUE O BEM QUE FIZERMOS DEVE SER SEGUNDO A PALAVRA
a - Qualquer pessoa que precisar de nossa ajuda é o nosso próximo - Tiago 2.8 - Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis.
Tratar irmãos com parcialidade, é cometer pecado. A palavra condena os transgressores como condena ladrões, idólatras e adúlteros. O amor capacita-nos a obedecermos à Palavra de Deus e a tratarmos as pessoas com Deus ordena que façamos. Não devemos obedecer a lei de Deus por medo, mas sim por amor. Em Lucas 10:25-37, Jesus ensina a lei do amor que não faz acepção de pessoas, através da parábola do Bom Samaritano. Mostra através dessa parábola que não podemos ser indiferentes a alguém que precisa da nossa ajuda. Não podemos passar de largo como fizeram os dois religiosos, mas socorrer o necessitado como fez o Bom Samaritano. Se fosse um rico que estivesse caído no chão após o assalto certamente haveria um grande ajuntamento para ajudá-lo, mas como era um pobre todos passaram de largo fazendo de conta que não viam.
b - Quem faz acepção de pessoas está transgredindo toda a Palavra de Deus - Tiago 2.9 - Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado e sois redarguidos pela lei como transgressores.
Quem age com acepção de pessoas está rejeitando a Palavra de Deus, e rumando para a direção errada. Quando se transgride uma única lei de Deus, está se transgredindo toda a lei, pois ao transgredirmos uma lei, mostramo-nos capazes de desobedecer a todas elas e, ao nos rebelarmos num único ponto já o fizemos. Exercitar o amor cristão significa tratar as pessoas como Deus nos trata. Toda a lei se resume em amar o próximo como a nós mesmos. (Porque vós, irmãos, fostes chamados à liberdade. Não useis então da liberdade para dar ocasião à carne, mas servi-vos uns aos outros pelo amor. Gálatas 5:13).
c - Aquele que transgride um ponto da lei passa estar em desobediência a toda lei - Tiago 2.10 - Porque qualquer que guardar toda a lei e tropeçar em um só ponto tornou-se culpado de todos.
A quebra de um dos mandamentos significa ser culpado de ser transgressor de todos os mandamentos, uma vez que a lei divina está acima de todas as coisas. Todos os pecados são igualmente graves sobre as consequências de alguns pecados são maiores do que outros, mas todos os pecados são igualmente graves e qualquer pecado é uma violação da vontade de Deus. O juízo divino é de acordo com as nossas obras, portanto se praticarmos iniquidades mais graves e não nos arrependermos dele para obter o perdão divino o julgamento será de acordo com isso.
d - Obedecer um mandamento e transgredir outro não tornará o culpado em inocente - Tiago 2.11 - Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu, pois, não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.
Infringir qualquer um dos mandamentos é uma transgressão da lei que gera o pecado. A única maneira de mantermos longe dessas coisas é guardando e obedecendo a lei como disse o salmista (escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti. Salmos 119:11). Estamos em processo de aperfeiçoamento espiritual trabalhado pelo Espírito Santo, pois a meta é atingirmos a completa perfeição quando chegarmos a glória celestial. É ali onde compartilharemos de toda a plenitude de Deus e da própria natureza divina.
e - A confissão de pecados alcança o perdão de Deus, mas não muda suas consequências - Tiago 2.12 - Assim falai e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade.
O nosso tratamento com o próximo e o que dizemos a ele e a forma como dizemos será colocado diante de Deus. Até mesmo as nossas palavras serão julgadas (Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado. Mateus 12:37). Em nossa conversão os nossos pecados foram perdoados e Deus não se lembra mais deles, porém na sequencia da nossa caminhada cristão temos que nos comportar de modo a não infringirmos a palavra de Deus e praticar coisas que venham afetar o nosso caráter e as nossas obras. Não é possível praticar pecados por mais leves que sejam e, ao mesmo tempo servi-lo com fidelidade. Deus perdoa nossos pecados quando confessamos a Ele, mas não muda as suas consequências. 
f - A obediência a palavra se dá por compulsão interior e não por coação exterior - Tiago 2.13 - Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa sobre o juízo.
Não podemos agir com misericórdia com um e com outro não usar de misericórdia, pois Deus é misericordioso com quem tem misericórdia (Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia; Mateus 5:7) Se não demonstrarmos misericórdia, sairemos da aliança de Deus, e ao mesmo tempo expondo a sermos julgados pelos padrões da severidade dos juízos divinos. Todo cristão deve ter o temos do julgamento de Deus e entender que a justiça e o amor de Deus só podem ser alcançados quando se exerce a imparcialidade no tratamento com o nosso próximo, sem distinguir sob hipóse alguma a condição social da pessoa.
http://www.pastorguilhermel.com.br/escola,biblica,dominical,,,,,.htm
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/08/a-verdadeira-fe-nao-faz-acepcao-de.html

O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA

O CUIDADO AO FALAR E A RELIGIÃO PURA
Lição 5 - 3 de Agosto de 2014
Texto Áureo: “Mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar” (Tg 1.19).
Leitura Bíblica em Classe - Tiago 1.19-27

O CUIDADO AO FALAR É A MARCA DE UM CRENTE SENSATO 

Introdução: Uma coisa muito feia de se ver é alguém, principalmente os que professam a fé cristã, não tendo cuidado naquilo que fala e com isso se expondo ao ridículo diante dos outros. Quem usa a sua língua desenfreadamente certamente não pensa o que fala e com isso pode com o seu procedimento provocar grandes estragos, tanto a si próprio como a outrem. Em Provérbios 13.3 diz que o que guarda a sua boca preserva a sua alma, mas o que muito abre os seus lábios tem perturbação. Uma boa forma de demonstrar sabedoria é saber ouvir os outros e considerar tudo com reflexão para então falar racionalmente e com moderação. Um cristão tem por obrigação que demonstrar uma conduta diferenciada principalmente no seu falar, pois a nossa fala também identifica o nosso caráter, o qual é sempre analisado por outros através daquilo que falamos. Quem anda tagarelando sempre acaba revelando segredos, ou seja, coisas que alguém, ou por confidencia, ou desabafo lhe contou e que deveria guardar para si. Esse tipo de pessoa é extremamente perigoso, pois acaba não falando somente o que ouviu como também aumenta e distorce tudo que lhe foi confidenciado provocando com isso grandes confusões.
1- O FALAR DO CRISTÃO ENVOLVE OUVIR, REFLETIR E SABER RESPONDER PRUDENTEMENTE - Tiago 1.19 - Sabeis isto, meus amados irmãos; mas todo o homem seja pronto para ouvir, tardio para falar, tardio para se irar. - A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um. Colossenses 4:6
Dizer aquilo que pensamos ou precipitarmos em opinar sem ouvir e aprender é algo que não pode fazer parte da vida do cristão. Isto porque, de uma maneira geral as nossas opiniões valem muito pouco, ou quase nada se não pararmos primeiro para ouvir e refletir sobre a verdade. Mentes impacientes em comunicar as suas opiniões certamente não saberão distinguir com presteza o certo do errado. Aquele que fala tagarelando sem parar usa isso como meio para não ouvir aquilo que precisa ouvir. Quando falamos demais e ouvimos pouco, mostramos aos outros que pensamos que as nossas ideias são mais importantes que a deles. A palavra falada é o meio de comunicação mais usado por todos; portanto, os crentes devem ser sábios em seu modo de falar. Comunicação também envolve diálogos e não somente monólogos, pois a pessoa que força o monólogo é uma pessoa sem graça, cansativa e prepotente. O crente deve sempre manter um diálogo agradável e gentil sabendo ouvir e discutir com moderação e sabedoria.  
2- O FALAR DO CRISTÃO SE FOR IMPENSADO NÃO PRODUZ AQUILO QUE DEUS APROVA - Tiago 1.20 - Porque a ira do homem não opera a justiça de Deus. - Irai-vos, e não pequeis; não se ponha o sol sobre a vossa ira. Efésios 4:26
Os sentimentos de ira, uma vez liberados e expressos, são por natureza imoderada e incontrolável. Jesus ensinou para amarmos os nossos inimigos e condenou o ódio entre irmãos. Somente Deus é juiz e não podemos usurpar esta função que é uma prerrogativa exclusiva dele. Irai-vos e não pequeis, não diz que não podemos nos irar, mas mostra que devemos controlar adequadamente a nossa ira. Não devemos ceder aos nossos sentimentos de ira ou permitir que eles nos levem ao ódio com demonstração de orgulho e hipocrisia. Jesus ficou irado com os mercadores do templo, porém a sua atitude que envolvia ira e indignação era justa e não o levou a pecar. Portanto se ficarmos irados, que seja por uma causa justa para que não sejamos levados a pecar. Um dos cuidados a tomar é que a nossa ira, mesmo que seja por uma causa justa, não deve se prolongar para que ela não venha a ser um ponto de apoio para o Diabo agir.
3- O FALAR DO CRISTÃO SEM SEGUNDAS INTENÇÕES PROGRIDE A SUA VIDA ESPIRITAL - Tiago 1.21 - Pelo que, rejeitando toda imundícia e acúmulo de malícia, recebei com mansidão a palavra em vós enxertada, a qual pode salvar a vossa alma. - Irmãos, não sejais meninos no entendimento, mas sede meninos na malícia, e adultos no entendimento. 1 Coríntios 14:20
O progresso da nossa vida espiritual envolve também rejeitar toda imundícia e acúmulo de malícia. Devemos nos livrar dos maus hábitos e sempre receber com mansidão a palavra de Deus, procurando viver de acordo com ela, porque se ela realmente foi enxertada em nosso coração tem então que fazer parte do nosso ser. Quando absorvemos aquilo que a palavra nos ensina, certamente expressaremos isso em nosso modo de viver. Nenhuma tentação poderá nos derrotar se estivermos aplicando as verdades de Deus em nossas vidas. Não existe lugar para a imaturidade constante na vida cristão. Os crentes devem crescer e amadurecer para poderem caminhar com entendimento e sempre tomando decisões sábias em todo seu modo de viver.
4- O FALAR DO CRISTÃO QUE OBEDECE A PALAVRA DEVE DEMOSTRAR CONHECIMENTO - Tiago 1.22 - E sede cumpridores da palavra e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos. - E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; Mateus 7:26
Não adianta ler, estudar e ouvir a palavra de Deus se não cumprirmos o que ela diz. A palavra de Deus não é apena para ser conhecida, mas também para ser obedecida. Tudo que aprendermos a respeito da palavra de Deus, se não for colocada em prática, todo esforço que tivemos em aprendê-la terá sido completamente inútil. O que vale é o que o crente faz, não apenas o que ele sabe, portanto se o que faz não tiver embasamento nos preceitos bíblicos está enganando a outros e a si próprio. Ouvir a palavra sem praticar, não passa de loucura e autoengano. Em contraste com a pessoa sábia, a pessoa insensata ouve o ensino da palavra e o ignora. Quem constrói a sua casa sem os fundamentos bíblicos esta sujeita a qualquer momento a desabar, principalmente quando as lutas que são inevitáveis acontecerem. O nosso caráter é revelado pelos frutos que demonstramos, e a nossa fé é revelada pelas lutas que enfrentamos. O sábio procura agir de acordo com a palavra de Deus, e procura edificar a sua vida para que possa enfrentar qualquer tipo de dificuldade. 
5- O FALAR DO CRISTÃO É QUE MOSTRA SE SUAS IMPERFEIÇÕES FORAM CORRIGIDAS - Tiago 1.23 - Porque, se alguém é ouvinte da palavra e não cumpridor, é semelhante ao varão que contempla ao espelho o seu rosto natural; - Mas todos nós, com rosto descoberto, refletindo como um espelho a glória do Senhor, somos transformados de glória em glória na mesma imagem, como pelo Espírito do Senhor. 2 Coríntios 3:18
Assim como um espelho revela o nosso lado exterior, também a palavra de Deus revela o nosso interior, podendo ilustra-la como o espelho da alma. É a atenção e compreensão constante da palavra de Deus, que permite que uma pessoa veja as suas imperfeições e procure corrigir a sua vida de acordo com os preceitos divinos. Quando a palavra de Deus nos mostra que algo em nós precisa de correção, nós devemos ouvir e agir para que ela prospere em nossa vida. Moisés tinha que cobrir o rosto quando descia do monte porque o brilho da glória de Deus era tão ofuscante que as pessoas não poderiam olhar para o seu rosto, então era necessário ele cobrir o rosto diante do povo. Agora sob o regime da nova aliança todos os crentes podem refletir, como um espelho, a glória do Senhor, em contraste com o antigo concerto. Lembremos que o Espírito Santo trabalha em nossa vida nos ajudando a nos aproximar cada vez mais do modo de vida perfeito de Deus.
6- O FALAR DO CRISTÃO DEVE DEMONSTRAR QUE A PALAVRA ELIMINOU SEUS VÍCIOS - Tiago 1.24 - porque se contempla a si mesmo, e foi-se, e logo se esqueceu de como era. - Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 2 Coríntios 5:17
Temos que nos esquecer de como éramos e procurarmos nos lembrar de como devemos ser após o novo nascimento. É bom lembra que não fomos reformados, reabilitados, ou reeducados, isto porque nos fomos é recriado, através do novo nascimento. Quando nos convertemos estamos dando inicio a uma nova vida, sob um novo mestre que quer nos ensinar verdadeiramente o que realmente é importante para as nossas vidas. A velha natureza não pode de maneira alguma ressurgir em nenhum momento da nossa caminhada. As antigas formas de pensamento, os antigos vícios devem ter sido todos abolidos, pois no seu lugar tudo se fez novo. 
7- O FALAR DO CRISTÃO O IDENTIFICA COMO TAL, SE É CONTÍNUO FAZEDOR DA OBRA - Tiago 1.25 - Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecido, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito. - Como livres, e não tendo a liberdade por cobertura da malícia, mas como servos de Deus. 1 Pedro 2:16
A lei da liberdade não significa que somos livres para fazer tudo àquilo que quisermos fazer, porque nos somos livres sim, para obedecer a Deus. Como cristãos nós fomos salvos pela graça de Deus, e libertos do controle do pecado. Nós somos livres, porém devemos entender que somos servos, e a nossa liberdade deve ser usada para render glórias ao nome do Senhor. Liberdade não é libertinagem, mas a capacidade para viver e cumprir os preceitos divinos. O crente que cumpre e vive essa liberdade é o que será abençoado por Deus e não aquele que ouve e não pratica.
8- O FALAR DO CRISTÃO MOSTRA SE A SUA FÉ É REAL, QUANDO SABE REFREAR A LÍNGUA - Tiago 1.26 - Se alguém entre vós cuida ser religioso e não refreia a sua língua, antes, engana o seu coração, a religião desse é vã. - E ao servo do Senhor não convém contender, mas sim, ser manso para com todos, apto para ensinar, sofredor; 2 Timóteo 2:24
Saber falar bem não é um dom que todos possuem, porém isso não é tão importante como ter o controle das próprias palavras. É preciso saber como falar, quando falar, e onde falar. Uma forma que as pessoas identificam se a nossa fé é ou não real é pelas coisas que falamos e pela maneira como falamos. Um cristão que não possui ética quando fala está enganando-se a si mesmo. Nunca seremos obedientes se não pudermos controlar a nossa boca. O salmista disse: (Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; guarda a porta dos meus lábios. Salmos 141:3). Tudo que nós falamos é pesado em balanças fiéis e poderá ser bênção ou maldição para a nossa vida. Um exemplo de conduta a ser imitado é a do próprio Jesus que sempre procurava responder com uma pergunta sobre aquilo que era inquirido. Algumas pessoas gostam de contender porque nunca foram ouvidas antes; e Cristo sempre procurava ouvir atentamente e sabiamente sempre tinha uma resposta a contento.
9- O FALAR DO CRISTÃO DEVE ESTAR COMPROMETIDO NAQUILO QUE É ÚTIL AO PRÓXIMO - Tiago 1.27 - A religião pura e imaculada para com Deus, o Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e guardar-se da corrupção do mundo. - Ninguém busque o proveito próprio; antes cada um o que é de outrem. 1 Coríntios 10:24
A religião pura não é apenas fazer caridade e boas obras, cuidando dos necessitados, mas também temos a necessidade de nos guardar livres de tudo aquilo que pode manchar corromper, contaminar a nossa vida. Para nos protegermos da corrupção do mundo, precisamos nos comprometer com o sistema ético estabelecido por Deus e não com o do mundo. Devemos usar a nossa liberdade não para proveito próprio, mas para pensar em outros cristãos e sempre ter as mãos estendidas dentro das nossas possibilidades para ajudar alguém. Devemos usar da nossa liberdade para ganhar mais pessoas para o reino de Deus, pois sempre é mais importante evitar atos inúteis que não levam a nada e procurar fazer aquilo que é útil e produtivo.


Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.
Contribua com Este Ministério
Realizo esta obra com poucos recursos e preciso do seu apoio para mantê-lo e expandi-lo. Ajude-me a alcançar mais pessoas com a Palavra de Deus!
Aqui o Texto da Coluna da Direita


O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/07/o-cuidado-ao-falar-e-religiao-pura.html

PERSONALIDADE DO ANO

PERSONALIDADE DO ANO
Responsabilidade Social

ENTRE PARA ESSA GALERIA DE AMIGOS

Mapa do Blogger

 

FAÇA UMA DOAÇÃO PARA ESTA OBRA

SEGUIDORES

Envie solicitação de amizade

link

SIGA-ME POR E-MAIL

 

© 2011 Escola Dominical - Esboços da EBD | Os pecados de omissão e de opressão

Template By Adilson Guilhermel - Design Google Blogs - PageNav pastorguilhermel