Daniel, nosso contemporâneo

Integridade Moral e Espiritual
O legado do livro de Daniel para a Igreja hoje
DANIEL, NOSSO CONTEMPORÂNEO
Lição 1 - 5 de Outubro de 2014
Texto Áureo: ‘Quando, pois, virdes que a abominação da desolação, de que falou o profeta Daniel, está no lugar santo (quem lê, que entenda)” (Mt 24.15).
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 1.1,2;7.1;12.4

DANIEL NO PASSADO, PRESENTE E FUTURO

I. - A HISTÓRIA POR TRÁS E A HISTÓRIA À FRENTE DO LIVRO DE DANIEL
1. A formação histórica de Israel iniciou na chamada de Abraão para ser pai da grande nação - Visto que Abraão certamente virá a ser uma grande e poderosa nação, e nele serão benditas todas as nações da terra? Gênesis 18:18
2. O governo teocrático foi rejeitado quando Samuel envelheceu e o povo recusou os seus filhos - E disseram-lhe: Eis que já estás velho, e teus filhos não andam pelos teus caminhos; constitui-nos, pois, agora um rei sobre nós, para que ele nos julgue, como o têm todas as nações. 1 Samuel 8:5.
3. O governo monárquico foi instituído não pela vontade soberana de Deus e sim permissiva - E disse o Senhor a Samuel: Ouve a voz do povo em tudo quanto te dizem, pois não te têm rejeitado a ti, antes a mim me têm rejeitado, para eu não reinar sobre eles. 1 Samuel 8:7.
II. OS FATOS QUE PROPICIARAM O CATIVEIRO DOS JUDEUS NA BABILÔNIA
* A degradação política e religiosa dos judeus é que provocaram o juízo de Deus - Daniel 1.1 NO ano terceiro do reinado de Jeoiaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, a Jerusalém, e a sitiou.
* Os judeus viviam como pagãos numa terra santa envergonhando o nome de Deus – Jeremias 25.5 Quando diziam: Convertei-vos agora cada um do seu mau caminho, e da maldade das suas ações, e habitai na terra que o SENHOR vos deu, e a vossos pais, para sempre
* A causa dos judeus serem levados para o exílio babilônico foi o descaso com Deus - Daniel 1.2 E o Senhor entregou nas suas mãos a Jeoiaquim, rei de Judá, e uma parte dos utensílios da casa de Deus, e ele os levou para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e pôs os utensílios na casa do tesouro do seu deus.
* Os judeus viviam como gentios adorando deuses falsos e ignorando a obediência a lei - Jeremias 25:6  E não andeis após outros deuses para os servirdes, e para vos inclinardes diante deles, nem me provoqueis à ira com a obra de vossas mãos, para que não vos faça mal.
III. DANIEL, O PROFETA DE DEUS PARA ATUAR NO CATIVEIRO BABILÔNICO
* O homem Daniel foi estadista na babilônia e um profeta que interpretava sonhos e visões - Daniel 7.1 NO primeiro ano de Belsazar, rei de Babilônia, teve Daniel um sonho e visões da sua cabeça quando estava na sua cama; escreveu logo o sonho, e relatou a suma das coisas.
* Daniel recebia revelações seríssimas da parte de Deus que o deixavam muito abatido - Daniel 10:8 Fiquei, pois, eu só, a contemplar esta grande visão, e não ficou força em mim; transmudou-se o meu semblante em corrupção, e não tive força alguma.
* A importância do livro de Daniel está nas revelações já cumpridas e nas que irão se cumprir - Daniel 12.4 E tu, Daniel, encerra estas palavras e sela este livro, até ao fim do tempo; muitos correrão de uma parte para outra, e o conhecimento se multiplicará.
* Daniel recebeu revelações no seu tempo, para nós entendermos esse mistério em nossos tempos - Dn 12:8 Eu, pois, ouvi, mas não entendi; por isso eu disse: Senhor meu, qual será o fim destas coisas?

* Na autoria está Daniel e as características do livro são marcadas por profecias e revelações - Ap 22:10 E disse-me: Não seles as palavras da profecia deste livro; porque próximo está o tempo.

Aguardem a publicação do Comentário
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/daniel-nosso-contemporaneo.html

A atualidade dos últimos conselhos de Tiago

ATUALIDADE DOS ÚLTIMOS CONSELHOS DE TIAGO
Lição 13 - 28 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos’1 (Tg 5.16).
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 5.7-20
QUATORZE BONS CONSELHOS QUE NÓS DEVEMOS POR EM PRÁTICA
Introdução: Nós cristãos precisamos entender que não basta ser crente para se considerar totalmente garantido quanto a nossa salvação eterna. A bíblia deixou claramente que existem condicionais de conduta em nossa caminhada como cristãos, para que possamos chegar ao alvo fundamental que é Cristo. O que muito crente ignora é que Deus testa a nossa fidelidade em todas as coisas concernentes ao seu reino, como também a nossa fidelidade para com Ele. Nesta carta de Tiago foram abordados vários temas importantes visando regras de conduta, as quais são condicionais a todo cristão que pretende alcançar a sua eternidade com Cristo. Aquele que diz: Uma vez salvo, salvo para sempre deve entender dessa maneira; uma vez salvo procure conservar a salvação em obediência irrestrita a palavra de Deus para que ninguém tome a tua coroa e, aí sim, poderá ser salvo para sempre, caso contrário é perdição eterna. A nossa caminhada cristã envolve ultrapassar vários tipos de provações que são voltadas para a carne, alma e espírito e se não vigiarmos poderemos fracassar em uma delas, ou em todas. Não vamos pensar que tempo como crente, trabalho na obra, posição ou, outra coisa dará algum atenuante quanto a nossa salvação, pois a ida para Cristo, tanto por morte, ou pelo arrebatamento dependerá da nossa conduta presente, e não dos feitos da nossa conduta passada.
1 - NÓS SÓ ALCANÇAREMOS AS PROMESSAS SE AGUARDARMOS COM PACIÊNCIA A VINDA DE CRISTO – Tiago 5.7 Sede, pois, irmãos, pacientes até a vinda do Senhor. Eis que o lavrador espera o precioso fruto da terra, aguardando-o com paciência, até que receba a chuva temporã e serôdia.
A igreja primitiva vivia em constante expectativa da volta de Cristo, isto porque o Senhor disse que viria em breve. O que muitos não entendiam e muitos não entendem nos tempos atuais é que Cristo não disse isso envolvendo o tempo chronos do homem, que é o tempo medido pelo nosso calendário. O tempo de Deus é o tempo kairós, ou seja, o tempo eterno como disse o apóstolo Pedro: (Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. 2 Pedro 3:8). Não devemos e não podemos marcar uma data para dizer quanto tempo a volta de Cristo demorará ainda, mas a atitude de continuar com bom ânimo não deve ser substituída por impaciência ou desanimo.
2 - NÓS PRECISAMOS DE PACIÊNCIA NAS AFLIÇÕES PARA NOS FORTALECEMOS ATÉ A VINDA DO SENHOR – Tiago 5.8 - Sede vós também pacientes, fortalecei o vosso coração, porque Já a vinda do Senhor está próxima.
Não pode haver dúvidas ou incertezas sobre a validade da vinda de Cristo, pois isso poderia provocar desânimos na carreira cristã. Devemos nos fortalecer na fé com exercícios espirituais constantes combatendo qualquer tipo de dúvidas tanto externas, como internas quanto a vinda do Senhor. O ministério da oração e da Palavra de Deus é importante para que o coração seja fortalecido. Um coração não fortalecido não pode dar frutos. (E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração. 1 Pedro 4:7).
3 - NÓS DEVEMOS SABER QUE A VINDA DE JESUS É SÚBITA E NÃO HAVERÁ TEMPO PARA CONSERTOS - Tiago 5.9 - Irmãos, não vos queixeis uns contra os outros, para que não sejais condenados. Eis que o juiz está à porta. 
Crente que vive em rixas, brigas, amargura, falta de perdão ou qualquer maledicência, se por eventual morte física, ou pela inesperada vinda de Cristo e for encontrado assim ficará de fora, ou seja, perderá a sua salvação e entrará em condenação. O juiz está às portas e quando isso subitamente acontecer, haverá a separação do trigo e do joio. A rejeição a uma conduta digna como convém aos santos, implicará num pavoroso juízo. O conhecimento da presença de Cristo não é apenas confortante; ele também pode ser condenador, especialmente quando nós começamos a nos comportar com se Ele estivesse longe. (Bem-aventurado aquele servo que o seu senhor, quando vier, achar servindo assim. Mateus 24:46).
4 - NÓS DEVEMOS SER FIÉIS E OBEDIÊNTES COMO OS PROFETAS E DEUS NOS PRESERVA DO SOFRIMENTO - Tiago 5.10 - Meus irmãos, tomai por exemplo de aflição e paciência os profetas que falaram em nome do Senhor.
Precisamos aprender com os exemplos deixados pelos profetas que falaram em nome do Senhor, os quais com paciência diante do sofrimento não recuaram na missão de proclamar a Palavra do Senhor. Temos o exemplo de Elias perseguido por Jezabel, de Jeremias afligido por reis e religiosos e outros mais que falaram em nome do Senhor. Eles são exemplos de obediência e fidelidade, a despeito das dificuldades que suportaram. A virtude deles era ter a capacidade de perseverar, fosse qual fosse a tribulação. Eles nos mostram que podemos suportar todo tipo de sofrimento e permanecermos fiel.
5 - NÓS, ASSIM COMO FOI COM JÓ PODEMOS NÃO ENTENDER AS PROVAS, MAS SEU FINAL É VITORIOSO - Tiago 5.11 - Eis que temos por bem-aventurados os que sofreram. Ouvistes qual foi a paciência de Jó e vistes o fim que 0 Senhor lhe deu; porque o Senhor é muito misericordioso e piedoso.
Observemos que Jó no final da sua provação pode entender os planos de Deus para com ele dizendo: eu bem sei que nenhuns dos seus propósitos podem ser impedidos. Todo sofrimento que alguém passa está longe de ser atraente, mas Jesus disse que é bem-aventurado os que sofrem por causa das obras de justiça. Os incrédulos do mundo não pensam assim, porém os cristãos devem estar conscientes que todo sofrimento sempre trará algo importante como disse o apóstolo Paulo: (Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; 2 Coríntios 4:17).
6 - NÓS NÃO PODEMOS FAZER JURAMENTOS, POIS A PALAVRA DO CRENTE DEVE SER VERDADEIRA - Tiago 5.12- Mas, sobretudo, meus irmãos, não jureis nem pelo céu nem pela terra, nem façais qualquer outro juramento; mas que a vossa palavra seja sim, sim e não, não, para que não caiais em condenação.
O Senhor exige do crente que ele seja absolutamente fiel e digno de confiança em todas as suas palavras. Não podemos dizer ou afirmar algo que seja diferente daquilo que esta em nosso coração. É importante saber que Deus julgará todas as nossas palavras e o julgamento de Deus é o padrão que os cristãos devem temer e observar. (Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado. Mateus 12:37). O cristão deve observar princípios de honestidade absoluta para que os outros creiam nos seus simples "sim" e "não", evitando as mentiras, as meias-verdades, e as omissões da verdade. Esse é um comportamento e que o crente fica conhecido como uma pessoa digna de confiança.
7 - NÓS NÃO PODEMOS SER TOMADOS PELAS AFLIÇÕES, POIS EM TUDO DEVEMOS DAR GRAÇAS A DEUS - Tiago 5.13 - Está alguém entre vós aflito? Ore. Está alguém contente? Cante louvores.
Quem passa por sofrimento de aprender a suportá-lo, não permitindo que a ira venha arder no seu interior partindo para as queixas e murmurações. A atitude correta para suportar o sofrimento é continuar orando sobre ele, não necessariamente pedindo que ele acabe, mas que Deus de forças e ânimos para suportá-lo. A oração perseverante é a resposta adequada para os males do sofrimento, pois nunca podemos nos resignar em continuar sofrendo, pois as provas são até aonde podemos suportar. Nunca ouse culpar o Senhor por aquilo que você esta passando e sim peça a Ele sabedoria para compreender a situação. Deus pode transformar tribulações em vitórias. Jesus orou no Getsêmani pedindo que o cálice fosse removido, mas isso não aconteceu; no entanto o Pai lhe deu forças necessárias para padecer na cruz e morrer por nossos pecados, conquistando assim a sua grande vitória, que era a salvação para todos que nele cressem.
8 - NÓS DEVEMOS CRER NA ORAÇÃO E NA UNÇÃO DAQUELE QUE CRISTO COMISSIONOU PARA MINISTRAR - Tiago 5.14- Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da igreja, e orem sobre ele, ungindo-o com azeite em nome do Senhor;
O crente enfermo deve confiar e crer na oração dos ministros da Igreja, ou mesmo dos bispos ou presbíteros, os quais tem a autoridade bíblica para isso como ensina Tiago. É com o coração cheio de fé que se pede oração aos oficiais da Igreja, pois se Cristo os comissionou para isso, é evidente que Ele vai honrar a sua palavra operando a cura no doente. O que muitos não entendem é que Deus opera quando Ele quer e como quer. Nem sempre o doente é curado imediatamente e, se assim for irá caracterizar em milagre, porém há muitos casos em que a cura pode acontecer gradativamente e também há casos em que o doente não alcança a cura, ou por falta de fé, ou porque acha que a cura tem que acontecer na hora e não acontecendo ele começa a descrer no que lhe foi ministrado. (E tudo quanto pedirdes em meu nome eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho. João 14:13).
9 - NÓS DEVEMOS SABER QUE NÃO É O PRESBÍTERO OU O AZEITE QUE CURA, E SIM O PODER DE DEUS - Tiago 5.15 - e a oração da fé salvará o doente, e o Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados.
A oração e o óleo são apenas pontos de fé, e não os agentes de cura, pois qualquer cura que venha acontecer sobre o doente é realizada pelo Senhor. Na oração deve-se pronunciar claramente que o poder da cura reside em o nome do Senhor Jesus Cristo. Aquele que ora não pode prometer que Deus fará milagres, sem ter a certeza antecipada dos seus planos. A falta de fé é um grande impedimento para alguém receber o milagre de Deus e, isso é observado que em Nazaré o povo não tinha fé suficiente para Ele operar milagres naquele lugar. Quanto ao perdão dos pecados relacionado a doença, é preciso entender que nem toda enfermidade indica que o doente trouxe sobre si o castigo que tomou forma de doença, pois há doenças que não tem nada que ver com pecados. (Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. João 9:3).
10 - NÓS NÃO PODEMOS NEGLIGENCIAR DE ORAR UNS PELOS OUTROS NA ENFERMIDADE E FRAQUEZA - Tiago 5.16 - Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis; a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos.
O pecado afeta a igreja como um todo. O pecado costuma alastrar-se e infectar a outros. Quando o pecado é tratado há cura física e espiritual. (O que encobre a sua transgressão jamais prosperará; mas o que confessa e deixa alcançará misericórdia. Pv 28.13). Não se deve esconder o pecado e nem adiar a sua confissão. Quando o pecado é contra algum irmão não há necessidade de levar ao Pastor, desde que ele seja resolvido entre as partes envolvidas. Jesus ensinou que a confissão e arrependimento sejam, em primeiro lugar, perante o irmão ofendido. Mas se o ofensor se recusar em fazer assim, então deve ser requisitado o confronto com duas ou três testemunhas. Não havendo acordo, então se leva a Igreja; e se ele recusar a confessar perante a Igreja, trate-o como um pecador e não mais como irmão.
11 - NÓS DEVEMOS VER QUE PROFETAS ANTIGOS MESMO FALHOS, SUAS ORAÇÕES FORAM RESPONDIDAS - Tiago 5.17- Elias era homem sujeito às mesmas paixões que nós e, orando, pediu que não chovesse, e, por três anos e seis meses, não choveu sobre a terra.
Elias era tão humano quanto nós, mas isso não impediu que Deus atendesse a sua oração. Todo cristão, sendo obediente a Deus, detém o mesmo poder. A missão pode ser diferente, mas, se uma simples oração feita por Elias foi atendida para um grande feito, certamente será suficiente para a missão de qualquer crente que tenha visão de reino. O poder da oração é o maior poder que o cristão tem a sua disposição. (E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. Mateus 21:22 ).  
12 - NÓS DEVEMOS ORAR SEMPRE COM PERSISTÊNCIA PARA QUE A VONTADE DE DEUS SEJA FEITA NA TERRA - Tiago 5.18 - E orou outra vez, e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto.
Homens de Deus como Elias são exemplos importantes para nós a serem seguidos. Eles foram falhos assim como nós também somos, mas eles perseveraram e são testemunhos de que podemos viver para servir a Deus e nunca seremos frustrados em nossas missões. (Ele atenderá à oração do desamparado, e não desprezará a sua oração. Salmos 102:17). A nossa oração deve envolver uma fé persistente até alcançar a resposta de Deus. Nem sempre a resposta vem rapidamente e, é isso que faz muita gente desacreditar que haverá a resposta divina. O que precisamos é crer na palavra a qual Deus vela para fazê-la cumprir, pois sempre ele ouvirá as nossas petições. (Eis que a mão do SENHOR não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. Isaías 59:1).
13 - NÓS DEVEMOS SEMPRE ESTAR PRÓXIMO DA VERDADE PARA EVITAR O RISCO DE DESVIAR DO CAMINHO - Tiago 5.19 - Irmãos, se algum de entre vós se tem desviado da verdade, e alguém o converter,
Se desviar da verdade, envolve um esfriamento espiritual, e isso acontece por falta de vigiar ou se afastar do primeiro amor. Quando alguém se desvia, a igreja deve tentar fazê-lo voltar, para que se arrependa e seja restaurado. Os crentes devem se importar profundamente um com os outros, pois isso faz parte da comunhão que deve haver na Igreja. Se o cristão não permanecer próximo da verdade, começará a se desviar. (Portanto, convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas. Hebreus 2:1).
14 - NÓS DEVEMOS PROCURAR GANHAR OS QUE ESTÃO PERDIDOS, COMO TAMBÉM OS SALVOS PERDIDOS - Tiago 5.20 - saiba que aquele que fizer converter do erro do seu caminho um pecador salvará da morte uma alma e cobrirá uma multidão de pecados.

O crente que se desvia para o mundo e se entrega novamente ao lamaçal do pecado vive num perigo incalculável. (porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça, do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado; 2 Pedro 2:21). O crente que se desvia é como o cão que volta ao seu próprio vômito, ou a porca lavada que volta a espojadoro de lama. A bíblia ainda mostra uma situação mais terrível quando diz: (E, chegando, acha-a varrida e adornada. Então vai, e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali; e o último estado desse homem é pior do que o primeiro. Lucas 11:25-26). Por esses motivos devemos empregar todo o nosso esforço para levar o desviado ao arrependimento.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.--------------------
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/a-atualidade-dos-ultimos-conselhos-de.html

Os pecados de omissão e de opressão

OS PECADOS DE OMISSÃO E DE OPRESSÃO 

Lição 12 - 21 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Tiago 4.17 Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado.
Leitura Bíblica em Classe: - Tiago 4.17; 5.1-6



OMISSÃO E OPRESSÃO NÃO É COISA DE CRENTE


Introdução: Omissão é o ato ou efeito de não fazer o que moral ou juridicamente se deveria fazer, e de que resulta, ou pode resultar, prejuízo para o nosso próximo, como também a negligência numa boa ação ou no cumprimento do dever. Já a opressão é sujeição imposta pela força ou abuso de poder de alguém que usa de tirania ou violência para oprimir os outros. No mundo secular encontra-se todo tipo de omissão e opressão e isso se deve as influências malignas que agem nesse sentido em todos aqueles que são possuidores dessa índole perversa. Porém a questão desses ensinamentos é totalmente voltada para os crentes, os quais não podem demonstrar de modo algum serem omissos e opressivos com o seu próximo. Em relação a omissão a bíblia adverte assim: (Não deixes de fazer bem a quem o merece, estando em tuas mãos a capacidade de fazê-lo. Provérbios 3:27), e na questão da opressão a bíblia também adverte assim: (O que oprime ao pobre para se engrandecer a si mesmo, ou o que dá ao rico, certamente empobrecerá. Provérbios 22:16).
A bíblia cita várias passagens a respeito, tanto da omissão, como da opressão, que é algo extremamente grave se o crente praticar, pois Deus não admite esse tipo de coisa. O povo de Israel estava sendo oprimido num regime de escravidão imposto por Faraó, porém como é algo que Deus não suporta, então Ele atendeu o clamor dos filhos de Israel para tirá-los daquele regime de escravidão opressiva, como a bíblia nos mostra: (E agora, eis que o clamor dos filhos de Israel é vindo a mim, e também tenho visto a opressão com que os egípcios os oprimem. Êxodo 3:9). Tiago através dessa carta estava advertindo os crentes que tinham posses para terem o cuidado de não agirem com os demais irmãos usando tanto de omissão como de opressão. Em nossos dias tem muitos líderes que agem como verdadeiros tiranos oprimindo e explorando os incautos a fim de obterem para si grandes patrimônios a custa da pregação de uma falsa fé. 
I - É PECADO DE OMISSÃO QUANDO ALGUÉM DEIXA DE ATENDER O SEU PRÓXIMO
1. A realidade do pecado se concretiza se deixarmos de fazer algo pelo próximo – Provérbios 14:21 O que despreza ao seu próximo peca, mas o que se compadece dos humildes é bem-aventurado. 
Quão miseravelmente estão equivocados os que não somente agem mal, mas são planejadores de todo tipos de maldade se afundando cada vez mais no mais profundo pecado. Pecam com habilidade e astúcia realizando no seu entendimento um trabalho mais lucrativo mesmo que envolva pecado. As suas mentes cauterizadas não permitem entender o quanto estão equivocados, enganando e sendo enganados achando que podem enganar a inteligência e a justiça de Deus. Os que tramam contra o seu próximo erram enormemente, pois isto certamente se converterá sobre si mesmos, e terminará na sua própria ruína. O bem que fizermos ao nosso próximo é agradável a Deus, ao passo que Ele mesmo, posteriormente, refletirá com grande satisfação, e por isso o pobre o bendirá, e seremos abundantemente recompensados.
2. O pecado de comissão traz consequências graves que não ficará sem castigo - Lucas 12:47 - E o servo que soube a vontade do seu senhor, e não se aprontou, nem fez conforme a sua vontade, será castigado com muitos açoites;
A consumação da nossa salvação não consiste somente em vigiar e esperar, Jesus advertiu de várias formas e também encorajou a todos a estar trabalhando quando Ele voltar. Cada um de nós possui determinações sobre o trabalho que temos a fazer neste mundo, é uma comissão recebida de Cristo. Temos de nos manter fiéis em tudo até a sua volta para buscar a sua Igreja. Para que haja um perfeito relacionamento com Deus é preciso que haja um bom relacionamento com os nossos semelhantes. A grande motivação da vida e do serviço cristão deve ser o desejo de agradar ao Senhor para que, em sua volta, ele nos encontre trabalhando fielmente. Cristo separará os cristãos, fiéis dos infiéis; os fiéis serão recompensados com a vida eterna, mas os servos infiéis perderão a recompensa da vida eterna com Ele.
3. O pecado de omissão é consumado se alguém é insensível a necessidade alheia - Marcos 6:36 - Despede-os, para que vão aos lugares e aldeias circunvizinhas, e comprem pão para si; porque não têm que comer.
Os discípulos de Jesus que o acompanhavam em seu ministério terreno tinham muito que aprender com Ele. Um desse aprendizado foi à questão da compaixão aos necessitados a qual estava ausente na vida deles. A multidão que os seguiam estava faminta e os discípulos quiseram mandá-los embora na situação em que se encontravam. Ainda não haviam aprendido a olhar a vida com os olhos de seu Mestre. Para eles, as multidões eram um problema, talvez até mesmo uma inconveniência, mas para Jesus, eram como ovelhas sem pastor, que precisavam ser alimentadas. Para os discípulos aquela multidão era um grande problema, os quais simplesmente queriam se livrar dele, mas para Jesus a multidão não foi considerada um problema e sim uma oportunidade do nome do seu Pai ser glorificado. Se agirmos com sabedoria humana, só veremos o problema, mas não o seu potencial

II- AQUELE QUE OBTEM BENS EXPLORANDO SEU PRÓXIMO SOFRERÁ PELO SEU MAL
1. Aquele que explora os outros nunca escapará do julgamento divino (Tiago 5.1). Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai por vossas misérias, que sobre vós hão de vir.
Tiago adverte os que possuíam riquezas e usavam desta condição para exercer domínio sobre os menos favorecidos. O problema não era possuir riquezas e sim a conduta dos que possuem riquezas, pois do jeito que se comportavam, as suas riquezas eram pecaminosas. Usavam os bens com propósitos egoístas e, ainda o que era mais grave, é que perseguiam e exploravam os pobres. Em nossos dias vemos explicitamente líderes que conquistaram grandes impérios religiosos a custa de incautos na fé que são enganados e ludibriados com todo tipo de heresias. São tão explorados ao ponto de alguns perderem bens e até mesmo se endividarem com empréstimos para cumprir as campanhas maquinadas por esses mercenários da fé. Podem no momento na sua cegueira gananciosa achar que estão bem, mas a bíblia aponta as misérias que sobre eles hão de vir. (Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. Provérbios 15:3).
2. Aquele que explora os outros os seus ganhos reverterão em maldição - (Tiago 5.2). As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas da traça.
Alguém se sentir seguro com aquilo que conquistou a custa da exploração dos incautos é uma grande estupidez, pois toda segurança que sentem, todos os alicerces em que basearam seus sonhos e esperanças cairão por terra. Da transitoriedade da vida ninguém escapa, pois o dinheiro, a sua segurança, o seu luxo e a sua autoindulgência são equivalentes a coisas apodrecidas porque não lhes servirão para nada na eternidade. O maior medo do rico é ficar pobre e isso foi retratado quando o jovem rico se propôs a seguir Jesus por Ele fosse. Mas, no foi reprovado por Jesus quando negou a se desfazer dos seus bens em favor dos pobres. (Disse-lhe Jesus: Se queres ser perfeito, vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, e segue-me. Mateus 19:21).
3. Aquele que explora os outros a sua riqueza será corroída e vai a juízo (Tiago 5.3). 0 vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.
Jesus deixou bem claro a respeito daqueles que buscam as demais coisas e não buscam o seu reino quando disse: (Mateus 19:21 Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mateus 6:19). Quando a riqueza não é usada para ajudar os outros, ela perde o seu valor. O egoísmo e a maldade dos ricos se revelam na avareza e egoísmo. Deixando de fazer o bem com o que tem é pecado. Os crentes dos tempos atuais não podem estar participando da tendência do consumismo sem considerar aqueles que precisam da nossa ajuda. Será que a nossa ferrugem não dará testemunho contra nós nos últimos dias? Não é pecado ser rico desde que os ricos não sejam arrogantes, nem ponham sua esperança na incerteza da riqueza, mas em Deus, que de tudo nos provê ricamente para a nossa satisfação. É preciso praticar o bem, ser ricos em boas obras, generosos e prontos a repartir. Dessa forma eles acumularão um tesouro para si mesmo lá no céu (Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Mateus 6:20).

III- O CRENTE QUE SOFRE NO JUGO DOS OPRESSORES O SEU CLAMOR CHEGA A DEUS
1. Deus está atento ao clamor daqueles que trabalham e recebem salários injustos - (Tiago 5.4). Eis que o salário dos trabalhadores que ceifaram as vossas terras e que por vós foi diminuído clama; e os clamores dos que ceifaram entraram nos ouvidos do Senhor dos Exércitos.
Os pobres que eram explorados pelos ricos gananciosos, só tinham um recurso, o qual era clamar a Deus crendo que seriam atendidos por Ele. Em toda opressão e dificuldade que enfrentarmos devemos usar da nossa fé, mesmo que seja pequena para lembrarmos que temos um Deus que é a nossa força e o nosso defensor. Nenhuma circunstância temporária alterará a soberania de Deus, o qual nos protegerá do mal espiritual nesta vida e nos dará as alegrias que nós desejamos na vida porvir. Ele nos assegurará que a justiça será feita com imparcialidade e julgará aqueles que nos oprimem.
2. A regalia dos ricos que lucram a custa dos menos favorecidos um dia cessará – (Tiago 5.5). - Deliciosamente, vivestes sobre a terra, e vos deleitastes, e cevastes o vosso coração, como num dia de matança.
As riquezas não significarão nada no retorno de Cristo, portanto uma vida de luxo e ostentação não tem qualquer valor diante do Senhor. Os líderes cristãos têm direito a receber os seus salários quando tem o seu tempo integral dedicado a Igreja, o que não pode é passar esse tempo acumulando riquezas para os seus próprios interesses. As igrejas precisam de dinheiro para realizar com eficácia os seus trabalhos, o que não pode é estarem usando esse dinheiro para fazer fortunas pessoais como temos visto como também tem sido denunciado pela mídia provocando verdadeiros escândalos no meio evangélico. Jesus pronunciou um juízo para esses que estão nessa situação: (Ai do mundo, por causa dos escândalos; porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem! Mateus 18:7).
3. O pobre não pode resistir à opressão do rico, mas o rico pagará o seu mal - (Tiago 5.6). Condenastes e matastes o justo; ele não vos resistiu.
Tiago adverte os ricos opressivos em relação aos pobres, os quais muitas vezes não tinham como pagar as suas dívidas e, em alguns casos eram lançados nas prisões ou forçadas a vender suas posses. Não tendo meio de sustento para si e a família, e sem oportunidades até mesmo de trabalhar para pagar suas dívidas, ficavam em situações de grande miséria sem ter o que comer e frequentemente morriam de fome. Para Deus que agia dessa forma opressiva e desumana era considerado um assassino quando alguns desses pequeninos morriam. O único recurso dessas pessoas que entravam em desespero pela condição a qual viviam era clamar a Deus em busca de socorro. Muitos desses líderes que exploram o povo de Deus, não se arrependerão e irá a juízo no determinado tempo que Deus estabeleceu. (Vede, não desprezeis algum destes pequeninos, porque eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêem a face de meu Pai que está nos céus. Mateus 18:10).

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/os-pecados-de-omissao-e-de-opressao.html

O Julgamento e a Soberania Pertencem a Deus

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br


O JULGAMENTO E A SOBERANIA PERTENCEM A DEUS 
Lição 11 - 14 de Setembro de 2014
Texto Áureo: Ha só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem?” (Tg 4.12).
Leitura Bíblica em Classe: Tiago 4.11-17

QUEM JULGA O IRMÃO TRANSGRIDE A PALAVRA DE DEUS

Introdução: O indivíduo ao formar um conceito, emitir parecer, ou dar opinião sobre alguém, de certa forma já o está pré-julgando, ou no sentido condenativo ou absolvitivo. Essa é uma prática que de alguma maneira todos estão enquadrados nela, porém não é uma prática que devemos seguir principalmente como cristãos. No mundo secular a prerrogativa de julgar não está nas mãos do povo, pois a lei condena quem faz justiça pelas próprias mãos, isto porque, existem os juízes credenciados para isso. Acontece que muitas vezes o povo é incontido dessa prática motivado pelas parcialidades da justiça em favor dos que tem o poder do dinheiro, das influências e da política para se livrarem dos seus atos ilícitos e criminosos comprando a benevolência de juízes corruptos e subornáveis. Um país que tem o executivo, judiciário e legislativo que não despertam a confiança do povo por causa das muitas suspeitas de falcatruas que são levantadas pela imprensa é evidente que vai gerar no povo um sentimento revoltoso, os quais não conseguem deixar de julgar e condenar essas ilicitudes. Porém o cristão que crê na justiça soberana de Deus, não deve se envolver em qualquer tipo de julgamento, principalmente entre os irmãos na fé, pois quem assim procede está desacreditando do Deus que não tem o culpado por inocente e que jamais deixará de agir com a sua justiça imparcial.
I. O CRENTE QUE JULGA SEU IRMÃO SE ARRISCA PERDER A SALVAÇÃO
1. Quem fala mal do irmão demonstra ter o coração totalmente desprovido de amor.(Tg 4.11a). Irmãos, não faleis mal uns dos outros. - Por isso, a ira de Deus se manifesta contra toda injustiça que suprime a verdade pela injustiça Romanos 1.18
A harmonia entre os crentes é condicional para uma convivência mútua, pois o amor de Deus que foi implantado em nosso coração ao nos convertermos a Ele, possa se desenvolver continuamente para que possa haver sinais de uma transformação real em nossas vidas. A bíblia adverte que somos mentirosos se dissermos que amamos a Deus e não amamos o nosso irmão. Quando a justiça de Deus foi revelada, também foi revelada a sua ira. O outro lado da justiça de Deus é a sua ira contra o mal. Certas atitudes condenáveis na vida do crente podem provocar a sua ira, a qual é a resposta da sua santidade a toda e rebelião. Se cometermos impiedades e injustiças contra um irmão estaremos afastando de nós à verdade da palavra de Deus. 
2. Quem fala mal do irmão está julgando e quem julga quer tomar o lugar de Deus. (Tg 4.11b). Quem fala mal de um irmão e julga a seu irmão fala maI da lei e julga a lei; e, se tu julgas a lei, já não és observador da lei, mas juiz. - Não julguem, para que vocês não sejam julgados Mateus 7.1
Falar mal confronta o nono mandamento "Não dirás falso testemunho contra o teu próximo Êxodo 20.16. Também infringe uma lei de Cristo: "Amarás o teu próximo como a ti mesmo" Mateus 22.39. Jesus classificou esse mandamento como sendo o segundo maior mandamento. Se um crente fala mal contra outro crente, ele fala mal da lei e julga a lei, porque não está demonstrando o amor exigido por Deus e não trata com os outros como gostaria de ser tratado. Essa desobediência é um desrespeito à lei, pois está julgando a sua legitimidade. Quando alguém faz isso, está se colocando acima de Deus, o qual é o único que tem essa prerrogativa de julgar. Devemos praticar a disciplina da Igreja, mas os seguidores de Cristo não devem ser críticos ou sentenciadores nas suas atitudes em relação aos outros. Quem tem um espírito crítico e arbitrário demonstra uma falta de amor preocupante. A nossa comunhão com Cristo não nos confere licença para tomar o lugar de Deus como Juiz. Quem julga dessa maneira também serão julgados por Deus. Deus tem misericórdia de quem tem misericórdia, mas também condena aqueles que condenam.

3. Quem fala mal do irmão infringe a lei do amor e tenta usurpar a autoridade divina - (Tg 4.12). 12 - Há só um Legislador e um Juiz, que pode salvar e destruir. Tu, porém, quem és, que julgas a outrem? - E por que atentas tu no argueiro que está no olho de teu irmão, e não reparas na trave que está no teu próprio olho? Lucas 6:41
No corpo de Cristo não tem lugar para críticas ásperas e severas, porque por trás do espírito de crítica, está uma atitude que usurpa a autoridade de Deus. Muitos crentes acham fácil preocupar-se com o argueiro que está no olho de outra pessoa, mas não são capazes de ver uma trave no seu próprio olho. É costume as pessoas não enxergarem os seus próprios pecados, mas se preocupam em achar pecados nos outros. A pessoa critica os defeitos de outra pessoa, mas não aplica a mesma observação para si mesmo, pois se a pessoa se preocupa com o cisco que está no olho da outra, antes deve se preocupar com a trave que esta no seu. Significa que se olharmos para a nossa vida veremos muitos defeitos, os quais não nos dão o direito de enxergar defeitos nos outros. (Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós. 1 João 1:10). 
II. A SOBERANIA DIVINA DEVE SER RECONHECIDA ENQUANTO VIVEMOS
1. O cristão deve planejar os seus negócios buscando sempre a orientação divina - (Tg 4.13). Ei a, agora, vós que dizeis: Hoje ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos. - Muitos propósitos há no coração do homem, porém o conselho do Senhor permanecerá. Provérbios 19:21
Todo cristão deve saber que Deus tem um plano para a nossa vida e sendo um Deus de sabedoria e presciente, Ele sabe o que deve acontecer e o que vai acontecer adiante. Precisamos compreender que Deus quer o melhor para os seus filhos e fazer a vontade dele é a atitude mais sensata que devemos fazer. A nossa vida diária envolve sempre tomada de decisões e fora da vontade de Deus, tudo é incerto. Porém quando procuramos fazer a sua vontade todas as coisas começam a fazer sentido. Como cristãos devemos estar certos que Deus proverá todas as nossas dificuldades. Fazendo os nossos próprios projetos eles serão sempre vacilantes, isto porque não devemos ignorar que só Deus tem os conselhos sábios, firmes e uniformes. Devemos entender que todos os propósitos de Deus são justos e bons e serão cumpridos, no devido tempo.
2. O cristão deve saber que o desconhecido amanhã pertence somente ao Senhor – (Tg 4.14). Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece - Não presumas do dia de amanhã, porque não sabes o que ele trará. Provérbios 27:1
A vida não é incerta para Deus, mas o é para nós. Só estaremos seguros do amanhã s estivermos dentro da vontade de Deus, pois sabemos que o Senhor nos conduz por caminhos confiáveis. Deus não nos diz para contar os anos e sim para contar os dias, porque se vive um dia de cada vez, e, à medida que envelhecemos, tais dias passam cada vez mais rapidamente. O nosso amanhã deve ser planejado com submissão à vontade de Deus, pois se assim não o fizermos poderemos ser surpreendido pelos acontecimentos súbitos. Tem aqueles que ao receber a mensagem do evangelho, procuram adiar a sua conversão para mais adiante e essa é uma obra que não pode ser adiada, pois o amanhã é uma incerteza para todos nós. Um pouco de tempo pode produzir mudanças consideráveis, que mal podemos imaginar.
3. O cristão deve estar na vontade de Deus em seu modo de lidar com o futuro - (Tg 4.15). Em lugar do que devíeis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo. – (Mas em breve irei ter convosco, se o Senhor quiser, e então conhecerei, não as palavras dos que andam ensoberbecidos, mas o poder. 1 Coríntios 4.19).
Quase todas as pessoas tem o costume de falar; Se Deus quiser, Se Deus permitir e isso não deve ser apenas uma declaração da boca para fora, mas sim uma atitude constante de todo o coração. Não podemos viver de uma forma independente de Deus; portanto, os nossos planos não podem ignorá-lo. Podemos fazer planos, mas devemos reconhecer a vontade superior de Deus e a soberania divina. Os nossos planos devem ser avaliados pelos padrões e objetivos de Deus e, é isso que agrada a Ele. O apóstolo Paulo sempre usou o termo; se for a vontade de Deus e com isso ele indicava que todos deveriam conscientemente também agir dessa forma. Deus não revela a sua vontade aos curiosos e aos indiferentes, mas sim aos que estão prontos e dispostos a obedecer a Ele.
III. É PECADO O CRENTE SER ARROGÂNTE E TAMBÉM AUTOSSUFICIÊNTE 
1. Quem se gloria do que faz está tirando de Deus o direito honroso que lhe cabe (Tg 4.16a). Mas, agora, vos gloriais em vossas presunções; (Quem fala de si mesmo busca a sua própria glória; mas o que busca a glória daquele que o enviou, esse é verdadeiro, e não há nele injustiça. João 7:18).
Tudo o que o crente faz e são bem sucedidos não pode ser atribuído a si próprio, pois se assim acontece a pessoa está buscando honra e glória para si, e tirando de Deus o direito que só cabe a Ele. O próprio Cristo despojando de toda a sua glória não ousou ser igual a Deus durante a sua missão salvadora em seu ministério terreno. (Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Filipenses 2:6). O apóstolo Paulo mesmo sendo bem sucedido em seu ministério, também deixou lições a esse respeito quando disse: (Porque eu sou o menor dos apóstolos, que não sou digno de ser chamado apóstolo, pois que persegui a igreja de Deus. 1 Coríntios 15:9). Quantos são os que agem dessa maneira chamando a glória para si próprio e deixando Deus de lado, o que é uma grande estupidez. 
2. A malignidade do orgulho das presunções é deixar Deus fora de tudo o que faz (Tg 4.16b). toda glória tal como esta é maligna. (Por amor de mim, por amor de mim o farei, porque, como seria profanado o meu nome? E a minha glória não a darei a outrem. Isaías 48:11).
Aquele que se vangloria e faz propaganda do que não tem capacidade de fazer, ou mesmo que tenha capacidade, mas atribui a si próprio àquilo que conquista, na realidade está se vangloriando com uma vanglória maligna. Pensar que vamos fazer isso ou aquilo sem considerar a vontade de Deus é sinal de arrogância, e essa arrogância nada mais é do que pecado. Todo o plano que o homem faz e que ignoram Deus e seu conselho e sabedoria é de procedência maligna. O problema do orgulho arrogante está no fato de que ele nos leva a acreditar que somos autossuficientes e confiantes em nossos próprios esforços e empreendimentos. Se agirmos assim estamos desconsiderando Deus como o centro dos nossos planejamentos, e isso nos leva a focar o nosso eu deixando Deus de lado. O que deve prevalecer na vida do cristão é à vontade e a dependência de Deus em tudo que fizermos em nossa caminhada cristã, se quisermos verdadeiramente ser bem sucedidos. Deus tem ciúme da honra do seu próprio nome, e não permitirá que a vanglória do homem avance mais do que aquilo que redunde para a sua glória. (E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. Mateus 23:12).
3. O Senhor quer que façamos o bem, a não obediência é pecar contra a palavra - (Tg 4.17). Aquele, pois, que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado. (O que vocês deixaram de fazer a alguns destes mais pequeninos, também a mim deixaram de fazê-lo. Mt 25.45).
Quando deixamos de fazer algo por alguém sabendo que deveríamos fazer e não fazemos passamos a incorrer no pecado de omissão. Se negligenciarmos em atos de caridade, não somente desperdiçamos uma oportunidade de obedecer, como também estaremos pecando. Negligenciar atos de bondade para com um irmão na realidade não testifica a verdadeira salvação, pois a nossa salvação vem pela fé e, é testificada pelas boas obras a qual devemos praticar com espontaneidade. É preciso compreender que Deus separará os seus verdadeiros seguidores dos fingidos e dos infiéis, e os seus destinos serão completamente diferentes. A evidência real da nossa fé é a maneira como agimos para com o nosso próximo.
Pr Adilson Guilhermel
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/o-julgamento-e-soberania-pertencem-deus.html

O Perigo da Busca pela Autorrealização Humana

O PERIGO DA BUSCA PELA AUTORREALIZAÇÃO HUMANA 
Lição 10 - 7 de Setembro de 2014
Texto Áureo: "Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará” (Tg 4.10).
Leitura Bíblica em Classe - Tiago 4.1-10

CARACTERÍSTICAS DE QUEM TEM O ESPÍRITO DE AUTORREALIZAÇÃO


Introdução:
 A autorrealização pode ser definida quando o indivíduo transforma as próprias potencialidades em realidade por decisão, iniciativa e esforços próprios. A questão em si, não é a autorrealização por parte de alguém, pois se autorrealizar são anseios legítimos do ser humano, isso no meio secular, quando se respeita o direito alheio. Já no meio cristão não podemos nutrir esse sentimento de autorrrealização, pois a nossa vida deve ser totalmente dirigida pelo Espírito Santo em toda a nossa caminhada. O perigo da autorrealização é quando os anseios de conquistar algo se tornam uma obsessão com desejos cegamente incontroláveis, e no caso do cristão acabam deixando o Senhor Deus à margem daquilo que se almeja. Ele não somente deixa o Senhor a margem do que busca como também não respeita o seu próximo e ultrapassa todos os limites e direitos sem quaisquer princípios éticos sem se preocupar com as consequências dos seus atos. 
1 - ELE NÃO TEM ESCRÚPULOS PARA ATINGIR OS SEUS OBJETIVOS - Tiago 4.1 - Donde vêm as guerras e pelejas entre vós? Porventura, não vêm disto, a saber, dos vossos deleites, que nos vossos membros guerreiam?
A autorrealização em proveito próprio sem orientação e controle divino conduz o crente em direções conflitantes para alcançar seus propósitos e desejos. Certamente o crente que age com animosidade rancorosa, demonstrando ruindade naquilo que faz não se identifica como um cristão que deve professar amor, alegria, paz, domínio próprio e boas obras diante dos homens. As disputas e brigas não podem fazer parte do corpo de Cristo, pois prejudicam gravemente a transmissão eficiente do Evangelho. Quem está de fora considera a igreja como um lugar de consolação e salvação e não um lugar repleto de discórdias. (Oh! quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união. Salmos 133:1). 
2 - ELE PISA EM QUALQUER UM PARA CONSEGUIR O QUE DESEJA - Tiago 4.2 - Cobiçais e nada tendes; sois invejosos e cobiçosos e não podeis alcançar; combateis e guerreais e nada tendes, porque não pedis.
Se confiarmos apenas em nossos desejos, eles apenas nos levarão às coisas desta terra, e não às coisas de Deus. Quem quer se autorrealizar buscando o prazer de ter mais coisas, de sugar mais do desejo de prosperar e de gozar felicidade para se sobressair acima dos outros é um grande perigo. Acabam não alcançando os seus desejos, pois estão agindo de modo errado que trará grandes frustrações para si próprias, como inimizades e prejuízos a outros. É sempre infeliz aquele que quer se autorrealizar através de desejos egoístas, pois sempre estará em guerra consigo mesmo, como também com os outros. (Não sejamos cobiçosos de vanglórias, irritando-nos uns aos outros, invejando-nos uns aos outros. Gálatas 5:26). 
3 - ELE USA DE ORAÇÕES COM INTENÇÕES SÓ EM PROL DE SI MESMO - Tiago 4.3 - Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites.
Buscar a autorrealização própria se dirigindo a Deus em oração com pedidos errados e egoístas, certamente o que obterá dele é o seu silêncio, pois Deus não atende esse tipo de pedido. Tem aqueles que quando Deus não responde as orações tem a tendência de parar de orar, e não indaga por que Deus não está respondendo. Se não entendermos bem o uso correto da oração, poderemos deixar de orar, ou tentar conseguir as coisas com atitudes erradas sem importar com as suas consequências. Quem não se humilha diante de Deus e não pede às coisas que lhe agradam nunca receberão o que pedem. (E, tudo o que pedirdes em oração, crendo, o recebereis. Mateus 21:22).
4 - ELE IGNORA A EXCLUSIVIDADE QUE O SENHOR EXIGE PARA SI - Tiago 4.4 - Adúlteros e adúlteras, não sabeis vós que a amizade do mundo é inimizade contra Deus? Portanto, qualquer que quiser ser amigo do mundo constitui-se inimigo de Deus.
Quem busca se autorrealizar no meio cristão utilizando de práticas do mundo para atingir seus intentos, está se deixango levar para a prática da apostasia. (Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro). Não podeis servir a Deus e a Mamom. Mateus 6:24. Um convertido a Cristo jamais poderá se utilizar de práticas mundanas nas suas pretensões dentro do contexto de reino, pois um convertido deve testificar que realmente morreu para o mundo. (Porque, se viverdes segundo a carne, morrerá; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis. Romanos 8:13).5 - ELE PROVOCA CIÚMES NO ESPÍRITO SANTO QUE ZELA PELO CRENTE - Tiago 4.5 - Ou cuidais vós que em vão diz a Escritura: O Espírito que em nós habita tem ciúmes?
O perigo daquele que quer se autorrealizar é viver de modo a agradar a velha natureza, o que significa declarar guerra contra Deus. ("O pendor da carne é inimizade contra Deus" Rm 8.7). O Espírito Santo em nosso interior guarda com grande zelo o nosso relacionamento com Deus e se entristece quando pecamos contra o Seu amor. Deus tem por nós um zelo santo e amoroso, como o marido e a esposa têm, devidamente, um pelo outro. Nenhum marido ou esposa se contentaria com menos do que exclusividade total em seu relacionamento conjugal. Assim, Deus jamais tolerará qualquer tipo de divisão entre Ele e o mundo. Quem busca se autorrealizar pensando em si próprio acaba permitindo que a carne controle a sua mente, e com isso vai sofrer a perda da comunhão com Deus.
6 - ELE POR CAUSA DO ORGULHO É DESPOJADO DA GRAÇA DE DEUS - Tiago 4.6 - Antes, dá maior graça. Portanto, diz: Deus resiste aos soberbos, dá, porém, graça aos humildes.
A humildade não é uma fraqueza; ao contrário, é a única maneira pela qual os crentes conseguem coragem para enfrentar todas as suas tentações e provações com o poder de Deus. Deus quer que sejamos dependentes da sua graça, enquanto o diabo quer que sejamos dependentes de nós mesmos. Satanás sempre está por traz de todos os empreendimentos que tentamos realizar por conta própria. Ele procura inchar o ego de que busca fazer as coisas a sua maneira. O perigo nas Igrejas nos dias de hoje, é que muitos querer ser o tal no meio evangélico, se esquivando da condição de ser servo. Não temos coisa alguma para nos orgulhar e quem busca isso, está correndo o grande perigo da autorrealização própria. (Cujo fim é a perdição; cujo Deus é o ventre, e cuja glória é para confusão deles, que só pensam nas coisas terrenas. Filipenses 3:19).
7 - ELE NÃO FAZ A VONTADE DE DEUS, POIS É SEMPRE AUTOCONFIANTE - Tiago 4.7 - Sujeitai-vos, pois, a Deus; resisti ao diabo, e ele fugirá de vós.
O crente que busca se autorrealizar não entrega a Deus todas as áreas da sua vida contrariando a vontade de Deus, o qual exige uma entrega incondicional para que alguém obtenha vitória completa naquilo que faz. Cristãos sem compromisso com Deus não conseguem conviver nem consigo mesmo, como também com os outros. Paulo advertiu em Ef. 4.27 para não dar lugar ao Diabo, pois ele precisa de um ponto de apoio em nossa vida para nos fazer voltar contra Deus, e, se não vigiarmos, nós acabaremos dando esse apoio. Só pode resistir ao diabo, àquele que se sujeita completamente a vontade de Deus. Quando resistimos ao Diabo estamos fazendo o que Jesus fez quando foi tentado no deserto por ele. (Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Efésios 6:11).
8 - ELE NÃO TEM A PUREZA DE CORAÇÃO, POIS SUA ÍNDOLE É HIPÓCRITA - Tiago 4.8 - Chegai-vos a Deus, e ele se chegará a vós. Limpai as mãos, pecadores; e, vós de duplo ânimo, purificai o coração.
Temos que dar a Deus o lugar que Ele deve ocupar em nossas vidas, pois se assim não o fizermos estamos adotando uma fé fingida, a qual leva a um abismo chamando outro abismo. Quando nos conscientizamos que o pecado não pode fazer parte da nossa vida e também que esteja bem distante de nós, o Senhor então se aproxima de nós, pois é o pecado que mantém Deus longe de nós. Precisamos ter uma vida purificada a tal ponto que modifique o nosso comportamento exterior. Deus se importa com a maneira como vivemos e, essa aproximação mútua nos torna consciente de hábitos e atos na nossa vida que não agradam a Ele. Precisamos remover do nosso interior as coisas erradas que impedem a nossa comunhão com Deus. Deve haver modificações em nosso interior, pois não podemos levar uma vida hipócrita continuadamente tentando amar a Deus e o mundo. (Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça. 1 João 1:9).9 - ELE NÃO SE LAMENTA DOS SEUS ERROS, POIS SEU CORAÇÃO É INSENSÍVEL - Tiago 4.9 - Senti as vossas misérias, e lamentai, e chorai; converta- se o vosso riso em pranto, e o vosso gozo, em tristeza.
Quem busca a autorrealização não sente a sua falta de merecimento, pois tentam alcançar tudo pelos seus próprios meios não importando se os meios que usa são ilícitos. Deus pela sua misericórdia procura desmascarar esse tipo de comportamento inapropriado para quem se diz cristão, para levá-los a render-se a uma vida de humildade e dependência irrestrita a Sua vontade. A rendição à vontade de Deus pode não vir com facilidade, pois os desejos arraigados há muito tempo sempre procuram resistir com desobediência. Sem o verdadeiro arrependimento, o futuro que se apresenta é totalmente sombrio, mas com o arrependimento, não haverá o choro mais tarde, pois o arrependimento é a única reação racional que todo crente deve ter. (Ai de vós, os que estais fartos, porque tereis fome. Ai de vós, os que agora rides, porque vos lamentareis e chorareis. Lucas 6:25).
10 - ELE SE JULGA PERFEITO DEMAIS PARA SE HUMILHAR DIANTE DE DEUS - Tiago 4.10 - Humilhai-vos perante o Senhor, e ele vos exaltará.
Por mais que estejamos distantes de Deus motivado pela busca da autorrealização, sempre há uma esperança, se nos humilharmos diante de Deus. Quando tomamos uma posição e nos conscientizamos dos nossos erros e ficamos pesarosos e entristecidos com a verdade sobre o que o pecado faz a aceitação da parte de Deus é garantida. Deus jamais rejeita aqueles que se arrependem de seus pecados e os abandonam. (Ele põe os humildes num lugar alto, e os que choram são levados para a segurança Jó 5.11). Como cristãos devemos entender que não podemos buscar a autorrealização deixando Deus de lado, sem sujeitarmo-nos à sua vontade para a nossa vida. O filho pródigo tentou buscar a autorrealização achando que não precisaria do seu pai em algum momento da vida. O resultado foi desastroso para ele até o momento que se arrependeu e reconheceu a necessidade de estar com o seu pai. A humildade perante Deus será seguida da nossa exaltação.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel  Th.M.

http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/o-perigo-da-busca-pela-autorrealizacao.html

A verdadeira sabedoria se manifesta na prática



A VERDADEIRA SABEDORIA SE MANIFESTA NA PRÁTICA 
Lição 9 - 31 de Agosto de 2014
Texto Áureo: “Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria” (Tg 3.13).
Leitura Bíblica em Classe: - Tiago 3.13-18


QUEM NÃO PRATICA A VERDADEIRA SABEDORIA NÃO É DE DEUS

Introdução
Muitos podem se achar sábios, ou se vangloriar que tem a verdadeira sabedoria, mas se não for a verdadeira sabedoria que vem do céu, é apenas pretensão de cristãos que querem estabelecer ramos de sabedoria para com isso ganhar seguidores que se iludem com os seus ensinos. Na realidade quem se julga sábio aos seus olhos, certamente é dotado de espírito partidário que dá brechas ao maligno para trazer problemas de facções na Igreja. A sabedoria do alto nos ensina a fazer o bem, como também a falar aquilo que é bom aos outros. Quem vive a sabedoria do alto sempre tem uma postura correta, mediante a prática de obras práticas. O verdadeiramente sábio e inteligente se identifica com a sabedoria do alto, quando demonstra que conhece a Deus. A bíblia diz em Provérbios 9.10, que o temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e a ciência do Santo, a prudência. As obras e as ações de quem usa essa sabedoria brotam de uma vida de retidão aperfeiçoada pela obediência a palavra de Deus. Podemos resumir que o verdadeiro sábio e inteligente é aquele que conhece a Deus e vive de acordo com os seus preceitos.

I - A SABEDORIA, SE É DIVINA OU DIABÓLICA É VISTA PELA CONDUTA PESSOAL
1. A sabedoria não se revela em quem discursa se orgulhando dos seus feitos - Tiago 3.13 - Quem dentre vós é sábio e inteligente? Mostre, pelo seu bom trato, as suas obras em mansidão de sabedoria.

Um cristão que gosta de tocar trombetas dos seus feitos e se vangloriar de algum trabalho que realiza, sem atribuir nada a respeito de Deus, certamente não está usando a sabedoria do alto. Esse crente pode ser identificado como aquele que um dia comparecerá ao tribunal de Cristo após o arrebatamento da Igreja e ouvir do Senhor que as suas obras não são consistentes como a palha e a madeira. Quantos vivem nessa condição achando que são superiores em todas as coisas e na realidade estão totalmente enganados quanto a isso, pois Deus não se deixa enganar, pois não dormita o Guarda de Israel. (Os olhos do Senhor estão em todo lugar, contemplando os maus e os bons. Provérbios 15:3).
2. A sabedoria jamais se revelará em quem tem sentimentos de inveja e facção - Tiago 3.14 - Mas, se tendes amarga inveja e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade.

O crente é identificado não por apresentar um comportamento santo, ou pela mansidão humilde, ou pelas boas obras, pois se ele tem esses atributos que seriam importantes e ao mesmo tempo revelar sentimentos de amarga inveja e sentimento faccioso, na realidade o seu quadro de vida é incompleto por essa área negativa. O egoísmo é o desejo de viver para si mesmo e para nada ou ninguém mais, somente para aquilo que se pode aproveitar. É o tipo que só tem confiança no seu próprio conhecimento e comporta-se de maneira arrogante e com superioridade em relação aos outros. Não realidade essas pessoas não são sábias, pois elas são uma mentira.
3. A sabedoria do alto é algo totalmente diferenciado da sabedoria diabólica - Tiago 3.15 - Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica.

O crente que é egocêntrico e superficial iguala-se ao homem natural, ou seja, a pessoa que não tem o Espírito de Deus, ou que não aceita a orientação que vem do Espírito de Deus. É o tipo de pessoa que só entende da sabedoria desta vida, baseada unicamente em sentimentos humanos e no raciocínio humano. Tudo isso que é vivenciado por alguém é de origem diabólica, cujos objetivos são sempre destrutivos e podem produzir grandes prejuízos na igreja, no lar, no trabalho e nos relacionamentos. Isso por que sendo assim cria atmosferas destrutivas por palavra, linguagem e tom de voz.II - O MAL SEMPRE ESTÁ PRESENTE ONDE HÁ INVEJA E SENTIMENTO FACCIOSO
1. A maldade na vida do crente é vista quando ele é tomado por invejas e egoísmo - Tiago 3.16a - Porque, onde há inveja e espírito faccioso, 

Tem crente que não suporta ver outra pessoa despertando atenções por uma conduta excelente, ou ter alguém fazendo sombra sobre o que elas fazem. Pessoas assim são facilmente impelidas por sentimentos de vingança, que por fim, levam a situações desastrosas e prejudiciais a pessoa, ou a obra. Isso demonstra que o crente não tem Cristo reinando no seu coração, e assim todo tipo de podridão floresce em sua vida.
2. A causa de muita confusão na Igreja é decorrente de crentes invejosos e egoístas - Tiago 3.16b ai há perturbação e toda obra perversa.

Tudo na obra deve ser feito com decência e ordem sem ambição egoísta ou politicagem partidária. Qualquer igreja que não combater todo tipo de inveja e rivalidade estará permitindo que se estabeleça a desarmonia e todo tipo de mal entre os membros. Infelizmente há pessoas que promovem tais desordens e ainda se gloria dessas coisas. Há crentes que demonstram esse tipo de comportamento transparecendo ter mentes cauterizadas, pois não mostra qualquer transformação de vida por mais que sejam doutrinados.
III - CARACTERÍSTICAS DA VERDADEIRA SABEDORIA QUE O CRENTE DEVE MOSTRAR 
1. A sabedoria do alto nunca pode ser contaminada por razões e a malícia do homem - Tiago 3.17a. - Mas a sabedoria que vem do alto é, primeiramente, pura, -

A sabedoria pura é livre de iniquidade e de manchas, a qual não tolera qualquer pecado, pois zela pela santidade no seu coração. É uma sabedoria não contaminada pelo raciocínio e filosofia humana. Ela é pura, pois não tem qualquer contaminação moral. 
a. A sabedoria do alto é aquela que vivencia a paz e procura transmiti-la para todos – Tiago 3.17b. - depois, pacífica, 

A pureza da sabedoria do alto também é pacífica, pois não se refere somente a paz interior de cada um, como também a paz em nosso relacionamento com os outros. O cristão verdadeiro espontaneamente procura sempre promover a paz, pois é consciente que essa é uma condição de alcançar as bênçãos divinas, como diz a palavra: (Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus; Mateus 5:9). Essa identificação como verdadeiros filhos de Deus é necessária para todos aqueles que se converteram a Cristo, pois é isso que Deus espera de cada um de nós. 
b. A sabedoria do alto é vista naquele que é bondoso e tem consideração com outros – Tiago 3.17c. - moderada, 

A sabedoria do alto é moderada, pois é o oposto do egoísmo, a qual age tendo os outros em consideração. Ela é temperada com justiça e misericórdia que são ingredientes necessários no tratamento com todos e, é o tipo de tratamento que nós gostaríamos de receber dos outros. Ela indica um espírito aberto ao aprendizado sendo maleável e receptiva ao aprendizado de novas verdades, a qual sempre se submete com alegria e humildade.
c. A sabedoria do alto é vista naquele que é obediente a Deus e aceita a sua correção – Tiago 3.17e. - tratável, 

Essa sabedoria deve ser tratável ou amigável. A sabedoria do alto tem flexibilidade, ou seja, é disposta a ouvir e a mudar comportamentos que não são condizentes com os preceitos divinos. O crente que têm a sabedoria do alto segue voluntariamente as ordens de Deus e aceitam com submissão a sua correção. (Porque o Senhor corrige o que ama, e açoita a qualquer que recebe por filho. Hebreus 12:6).
d. A sabedoria do alto envolve querer ajudar a outrem sem qualquer interesse próprio – Tiago 3.17f. - cheia de misericórdia 

A sabedoria do alto é cheia de misericórdia porque ensina sobre o perdão gracioso de Deus. Ela leva a ações práticas, ajudando e servindo os outros. O crente sábio tende a ser misericordioso, pois ele sabe que serve a um Deus cheio de misericórdia em todas as nossas falhas e está sempre pronto a oferecer seu perdão e isso nos ensina a perdoar mesmo quando estamos enfrentando problemas que são culpa de outras pessoas.
e. A sabedoria do alto é vista naquele que produz as boas obras para a glória de Deus - Tiago 3.17g. - e de bons frutos, 

Quem tem a sabedoria do alto também é produtivo, pois devemos viver na plenitude do Espírito produzindo frutos para a glória de Deus. Portanto o crente que tem a sabedoria do alto não vive uma vida estagnada e vazia, pois ele é consciente das suas responsabilidades em relação ao crescimento do reino de Deus. Os frutos são os resultados daquilo que semeamos e se o que semearmos tiver qualidades, certamente em algum tempo colheremos os resultados dos nossos esforços.
f. A sabedoria do alto tem imparcialidade e deve ser livre de preconceitos entre todos - Tiago 3.17h. - sem parcialidade e sem hipocrisia.

A falsidade ou o fingimento jamais achará lugar no coração de uma pessoa sábia, pois quem é sábio sabe que isso pode prejudicar o relacionamento com Deus e com o próximo. Portanto essa sabedoria é sem hipocrisia, ou seja, ela é sincera. Essa sabedoria do alto é que nos torna pessoas autênticas.
2. O fruto da justiça envolve semear justiça e não o pecado, semear a paz e não a guerra - Tiago 3.18 - Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz. 

A sabedoria do alto nos ensina a compartilhar os frutos de Deus com as outras pessoas, pois se elas forem alimentadas e saciadas, por sua vez, também darão frutos. O cristão que segue sabedoria de Deus semeia a justiça e não o pecado; semeia a paz e não a guerra. A forma que vivemos permite que o Senhor promov justiça e paz na vida dos outros. Se semearmos a justiça e paz certamente iremos colher as bênçãos de Deus. Porém se vivermos segundo a sabedoria do mundo, semearemos coisas ruins e certamente colheremos coisas ruins. (Bem-aventurado o homem que acha sabedoria, e o homem que adquire conhecimento; Provérbios 3:13).



Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel - Th.M.



http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/08/a-verdadeira-sabedoria-se-manifesta-na.html

PERSONALIDADE DO ANO

PERSONALIDADE DO ANO
Responsabilidade Social

ENTRE PARA ESSA GALERIA DE AMIGOS

Mapa do Blogger

 

FAÇA UMA DOAÇÃO PARA ESTA OBRA

SEGUIDORES

Envie solicitação de amizade

link

SIGA-ME POR E-MAIL

 

© 2011 Escola Dominical - Esboços da EBD | Daniel nosso contemporaneo

Template By Adilson Guilhermel - Design Google Blogs - PageNav pastorguilhermel