Os impérios mundiais e o reino do Messias

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br

OS IMPÉRIOS MUNDIAIS E O REINO DO MESSIAS

Lição 8 
- 23 de novembro de 2014
Texto Áureo: E o reino, e o domínio, e a majestade dos reinos debaixo de todo o céu serão dados ao povo dos santos do Altíssimo; o seu reino será um reino eterno, e todos os domínios o servirão, e lhe obedecerão.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 7.3-8,13,14

Daniel 7
3 E quatro animais grandes, diferentes uns dos outros, subiam do mar.

4 O primeiro era como leão, e tinha asas de águia; enquanto eu olhava, foram-lhe arrancadas as asas, e foi levantado da terra, e posto em pé como um homem, e foi-lhe dado um coração de homem.

5 Continuei olhando, e eis aqui o segundo animal, semelhante a um urso, o qual se levantou de um lado, tendo na boca três costelas entre os seus dentes; e foi-lhe dito assim: Levanta-te, devora muita carne.

6 Depois disto, eu continuei olhando, e eis aqui outro, semelhante a um leopardo, e tinha quatro asas de ave nas suas costas; tinha também este animal quatro cabeças, e foi-lhe dado domínio.

7 Depois disto eu continuei olhando nas visões da noite, e eis aqui o quarto animal, terrível e espantoso, e muito forte, o qual tinha dentes grandes de ferro; ele devorava e fazia em pedaços, e pisava aos pés o que sobejava; era diferente de todos os animais que apareceram antes dele, e tinha dez chifres.

8 Estando eu a considerar os chifres, eis que, entre eles subiu outro chifre pequeno, diante do qual três dos primeiros chifres foram arrancados; e eis que neste chifre havia olhos, como os de homem, e uma boca que falava grandes coisas.

13 Eu estava olhando nas minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem; e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele.

14 E foi-lhe dado o domínio, e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem; o seu domínio é um domínio eterno, que não passará, e o seu reino tal, que não será destruído.

Aguardem a publicação do Esboço e Comentário
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.

http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/11/os-imperios-mundiais-e-o-reino-do.html

Integridade em tempos de crise

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br

INTEGRIDADE EM TEMPOS DE CRISE
Lição 7 - 16 de novembro de 2014
Texto Áureo: Daniel 6.4 Então, os príncipes e os presidentes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum vício nem culpa.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 6.3-5,10,11,15,16,20

A INTEGRIDADE SÓ É AUTÊNTICA SE MANTIDA EM QUALQUER CIRCUNSTÂNCIA

Introdução: Integridade significa a qualificação de um indivíduo, que possui uma conduta reta, sendo justo e perfeito, com pureza de alma e de espírito. Um indivíduo íntegro não se vende por situações momentâneas, infringindo as normas e leis, ou prejudicando alguém por motivos fúteis ou incoerentes. Assim foi Daniel um grande exemplo de pessoa íntegra, com um alto cargo dentro do reino babilônico. Diante de vários desafios enfrentados por Daniel, a sua integridade foi notável pelo seu comportamento firme diante de qualquer circunstância. Daniel agora com aproximadamente oitenta anos permaneceu fiel à sua religião em meio a todas as tentações dos reinos anteriores, por isso, neste novo governo ele estava sendo tão respeitado como antes. Ser íntegro é uma grande virtude, que tanto é respeitada, como também é invejada ao ponto de sofrer todo tipo de perseguições e ciladas. Contudo se a integridade é mantida em qualquer circunstância, haverá intervenções de toda sorte da parte de Deus, o qual se agrada sobremaneira de um servo fiel e íntegro. (Disse-lhe o seu senhor: Bem está, bom e fiel servo. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor. Mateus 25:23).  Ser íntegro em tempos prósperos é fácil, agora ser íntegro em tempos de crises é muito difícil. Só os que mantêm o equilíbrio de fidelidade nas duas condições é que podem ser chamados de íntegros.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE É DIIFERENCIADA EM QUALQUER POSIÇÃO - Daniel 6.3 Então o mesmo Daniel sobrepujou a estes presidentes e príncipes; porque nele havia um espírito excelente; e o rei pensava constituí-lo sobre todo o reino. - E disse o Senhor a Satanás: Observaste tu a meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus, e que se desvia do mal. Jó 1:8
Daniel era fiel à confiança que lhe era depositada, comportava-se irrepreensivelmente tanto com o rei, como com os seus súditos. Isso o credenciava como uma pessoa de espírito excelente, o qual se sobrepujava aos demais. Por ser visto pelo rei com essas qualificações foi elevado a uma posição elevada dentro do reino, o que gerou invejas movidas por ódios dos que receberam posições inferiores a dele. Isso é algo que acontece tanto no mundo secular, como também, no meio cristão. O próprio satanás se envolveu numa crise de inveja quando ao passear pela terra observava o servo de Deus chamado Jó. O ódio de satanás por Jó era nutrido pelo fato da integridade de Jó vivendo no meio de uma geração corrompida e, ele, Jó mantinha a sua fidelidade com Deus nessas circunstâncias, sendo um sacrificador do Deus eterno. E na continuidade da história, Jó pode provar através de duras provações pelo qual passou, que a sua integridade era verdadeira. 
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE SEMPRE PROVOCA INVEJA E PERSEGUIÇÃO - Daniel 6.4 Então os presidentes e os príncipes procuravam achar ocasião contra Daniel a respeito do reino; mas não podiam achar ocasião ou culpa alguma; porque ele era fiel, e não se achava nele nenhum erro nem culpa. - Também vi eu que todo o trabalho, e toda a destreza em obras, traz ao homem a inveja do seu próximo. Também isto é vaidade e aflição de espírito. Eclesiastes 4:4
O rei Dario coletou informações a respeito de Daniel e assim pode saber sobre a reputação, honestidade e sabedoria, o qual podia ser identificado como um homem de espírito excelente. Daniel mostrou-se ser um servidor tão exemplar que o rei resolveu fazer dele seu maior administrador sobre todo o reino. Isso exasperou os demais servidores do rei e planejaram contra Daniel sem obter sucesso, pois ele não deixou qualquer brecha onde os invejosos pudessem se apoiar. Porém ao tramar contra Daniel, esses homens estavam atraindo para si o juízo de Deus. Deus não colocou esse elemento do egoísmo no serviço de alguém; ele é decorrente do pecado do coração humano. Muitos têm a tendência de cobiçar aquilo que outros têm, e não apenas querem essas coisas, como também desejam ir além e ter mais do que os outros. A cobiça, a competição e a inveja andam juntas. A competição em si, não é errada, mas quando ser o primeiro é mais importante do que ser honesto, as coisas se complicam ao ponto dos bons valores serem deixados de lado.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE NÃO DÁ LUGAR A QUALQUER ACUSAÇÃO - Daniel 6.5 Então estes homens disseram: Nunca acharemos ocasião alguma contra este Daniel, se não a acharmos contra ele na lei do seu Deus. - O furor é cruel e a ira impetuosa, mas quem poderá enfrentar a inveja? Provérbios 27:4
Daniel mostrou ter um caráter tão impecável a ponto de não ser acusado de mal algum, só restava à possibilidade de ser incriminado por sua fé. Os conspiradores tentaram por todos os meios achar alguma coisa ilegal em Daniel, mas foi algo impossível de conseguir, pois Daniel era um homem íntegro e acima de qualquer suspeita. A inveja transformada em ira é cruel, e faz muitas coisas bárbaras, e a raiva é deplorável; mas uma inimizade secreta por outra pessoa que está subindo na vida e obtendo prosperidade é um sentimento nocivo que envenena a própria pessoa. Quem nutre esse tipo de sentimento nocivo, acaba não resistindo a ele, e isso o perseguira e o dominará ao ponto de tentar fazer grandes maldades contra o seu próximo. Aquele que lamenta a prosperidade dos outros está sempre planejando assim fazer-lhe algum mal, direta ou indiretamente, porque a sua ira vai continuamente se acumulando.

A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE NÃO CESSA A COMUNICAÇÃO COM DEUS - Daniel 6.10 Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como também antes costumava fazer. -  Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. Mateus 6:33
A única estratégia dos conspiradores para tirar Daniel da sua posição e levá-lo a morte, era agindo na fé desse servo de Deus, pois sabiam que ele não interromperia a sua comunhão com Deus, a qual intensificava orando três vezes ao dia. Os conspiradores sabiam disso e elaboraram um decreto em que todos ficariam durante um período de trinta dias de buscarem os seus deuses, e no caso de Daniel ficaria impedido de buscar o seu Deus. Quem desobedecesse a esse decreto seria lançado na cova dos leões. Todos obedeceram, porém Daniel manteve a sua integridade e fidelidade com Deus, e nenhum decreto o impediria de manter a sua comunhão constante com Deus. Daniel continuou orando como de costume, pois ele temia somente ao Senhor; e quando se teme ao Senhor, não há mais nada a temer. Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens At 5.29. Todo crente deve priorizar a vontade de Deus em primeiro lugar a fim de glorificá-lo. Se tivermos essa conduta de fé para com o nosso Deus e o colocarmos no primeiro plano, Ele suprirá todas as nossas necessidades.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE SOFREDORA QUE VENCE ATRAVÉS DA ORAÇÃO - Daniel 6.11 Então aqueles homens foram juntos, e acharam a Daniel orando e suplicando diante do seu Deus. - Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mateus 10:32
Daniel sabia do decreto que o rei havia assinado e que não poderia ser revogado, segundo a lei dos medos e persas, porém ele não se intimidou com a gravidade do decreto que instituía a pena de morte se fosse desobedecido. Um crente íntegro jamais pode se intimidar diante de qualquer situação por mais perigosa que seja. Confessar ao Senhor não é apenas declarar seu nome da boca para fora. A verdadeira confissão está centralizada em nossa conduta e o nosso modo de viver. Não basta dizer que Jesus Cristo é o Senhor, e sim render-se a Ele e obedecer à sua vontade. O discurso e a prática devem andar juntos, caso contrário seremos um falso crente.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE LEVA O CRENTE FIEL ENFRENTAR CILADAS - Daniel 6.15 Então aqueles homens foram juntos ao rei, e disseram-lhe: Sabe, ó rei, que é lei dos medos e dos persas que nenhum edito ou decreto, que o rei estabeleça, se pode mudar. - Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; 1 Pedro 5:8
A armadilha foi preparada e ao surpreenderem Daniel orando, não hesitaram em cobrar do rei o cumprimento do decreto, a qual ele assinou e não poderia ser revogado. Porém na cegueira movida pelo ódio e inveja, não mediram as consequências a qual estavam expostos. (Armaram uma rede aos meus passos; a minha alma está abatida. Cavaram uma cova diante de mim, porém eles mesmos caíram no meio dela. Salmos 57:6). Muitos crentes ignoram que satanás é um inimigo perigoso. É como uma serpente que pode picar quando menos esperamos. Tem grande poder e inteligência e uma hoste de demônios para atacar o povo de Deus. Por ser um inimigo sutil e cheio de ardis, precisamos estar sempre vigilantes  estar sempre de guarda. Quanto melhor conhecermos a Palavra, mais aguçados serão nossos sentidos espirituais para detectar a atuação de satanás.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE VISTA EM QUEM SERVE A DEUS CONTINUAMENTE - Daniel 6.16 Então o rei ordenou que trouxessem a Daniel, e lançaram-no na cova dos leões. E, falando o rei, disse a Daniel: O teu Deus, a quem tu continuamente serves, ele te livrará. - Levantarei os meus olhos para os montes, de onde vem o meu socorro. Salmos 121:1
Os inimigos de Daniel estavam atentos ao cumprimento da sentença de morte e lembraram ao rei que a lei deveria ser cumprida querendo ou não querendo. Não restou alternativa ao rei, e com isso ordenou muito a contragosto que Daniel fosse lançado na cova dos leões. Algo importante que é visto nesse rei, é que ele tinha grande esperança de um livramento de Deus para com Daniel. O rei pronunciou palavras de encorajamento dizendo que deveria confiar em Deus. (o teu Deus, a quem continuamente serves, ele te livrará). Deus sempre preserva continuamente aqueles que O serve com fidelidade. O Senhor Deus é o criador dos céus e da terra, e toda obra da criação mostra o seu poder, sabedoria e glória, e por isso não temos nada a temer em qualquer circunstância. Satanás e o seu exército demoníaco podem estar trabalhando contra os cristãos, mas esse mundo e tudo que nele há pertencem ao Senhor.
A INTEGRIDADE É UMA VIRTUDE QUE CONTA COM TODO LIVRAMENTO DO SENHOR - Daniel 6.20 E, chegando-se à cova, chamou por Daniel com voz triste; e disse o rei a Daniel: Daniel, servo do Deus vivo, dar-se-ia o caso que o teu Deus, a quem tu continuamente serves, tenha podido livrar-te dos leões? - O nosso Deus é o Deus da salvação; e a DEUS, o Senhor, pertencem os livramentos da morte. Salmos 68:20
O nosso Deus é uma realidade que se impõe como quer e onde quer. Ele é um Deus grande e soberano, por ser um Deus vivo. E, porque Deus é vivo, podemos falar dele como um ser vivo, e como falamos dele como um ser vivo, nunca podemos deixar de lembrar que Ele está vivo. Quando o rei pergunta por Daniel na cova e obteve resposta, certamente o seu coração se encheu de alegria, livrando-se também de um grande peso de culpa que ficaria na sua consciência. O Senhor poderia ter fechado a boca dos leões, mas em vez disso, mandou um anjo para realizar esta tarefa. O anjo controlou aquietando as feras famintas, com também fez companhia para Daniel. Devemos confiar que a presença de Deus é garantida em qualquer situação que enfrentarmos. Ele sempre será o socorro quando formos oprimidos ou estivermos em perigo. Mantendo a nosso integridade podemos ter a certeza que o Senhor estará conquistando grandes vitórias para cada um de nós.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/11/integridade-em-tempos-de-crise.html

A queda do império babilônico

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br

A QUEDA DO IMPÉRIO BABILÔNICO
Lição 6 - 9 de novembro de 2014
Texto Áureo: Daniel 5.23 E te levantaste contra o Senhor do céu, {...} além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de cobre, de ferro, de madeira e de pedra, que não veem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida e todos os teus caminhos, a Ele não glorificaste.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 5.1,2,22-30

AQUELE QUE ESTÁ DE PÉ CUIDE PARA QUE NÃO CAIA

Introdução: Ao longo da história impérios se levantaram e impérios caíram e, essa é uma condição que continuará também para tempos futuros. Todos os impérios dominantes quando caem dão lugar a outro império que será o próximo dominante. Por toda essa sequencia de impérios dominantes caindo e dando lugar para que outro império tome o poder podemos presumir, é bom entender, digo presumir e não confirmar, que o próximo império a cair será os E.U.A., isso no tempo do arrebatamento da Igreja, pois no início da grande tribulação existem indicações que a Rússia e seus aliados invadirão o oriente médio para apossar-se das suas riquezas. Se é a Rússia que a bíblia indica ser o poder dominante na primeira metade da grande tribulação, pela lógica os E.U.A. deixará de ser o poder dominante, pois a Rússia que é hoje o segundo poder dominante no mundo não poderia se levantar se os E.U.A., não cair. A Rússia quando invadir o oriente médio e investir contra Israel, será destruída pelos aliados do anticristo e também com intervenção divina, embora as honras da vitória sejam para o anticristo e isso por permissão divina, pois está dentro dos seus planos. Na segunda metade da grande tribulação já no seu final, se levantará o terceiro poder dominante que no mundo de hoje é a China, a qual se tornará o primeiro poder dominante após a destruição da Rússia e seus aliados. Assim a China e seus aliados marcharão junto com o anticristo para destruírem Jerusalém na conhecida batalha do armagedom onde o império chinês e o império do anticristo serão derrotados por Cristo. Assim inicia-se o império de Cristo, ou seja, o seu reino milenar, o qual jamais será destruído, pois é sempiterno.  
1 - Nunca se sinta em segurança quando o inimigo opera ao derredor - Daniel 5..1 O REI Belsazar deu um grande banquete a mil dos seus senhores, e bebeu vinho na presença dos mil. 
O rei Belsazar orgulhava-se tanto de ter um reino considerado invencível aos seus olhos e aos olhos de muitos. Ele sabia que o exército dos medos e persas estava acampado fora da cidade de Babilônia, mas mostrou total descaso para o perigo que o inimigo representava, tanto que despreocupadamente promovia um grande banquete para ostentar sua riqueza e esplendor do seu reino. Porém o rei não imaginava que o Senhor frustra os desígnios das nações e anula os intentos dos povos. Todos participantes daquela festa concentravam-se em satisfazer a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida. Belsazar não considerou a revelação sobre a cabeça de ouro (Babilônia), a qual seria substituída pelo peito e braços de prata (os medos e persas). Assim em sua arrogância e falsa segurança, desafiava a vontade de Deus. Só encontramos segurança quando estamos sujeitando-nos a vontade de Deus, pois o inimigo está sempre ao derredor tentando nos derrotar.
2 - Nunca seja insano de profanar coisas sagradas que pertencem a Deus – Daniel 5.2   Havendo Belsazar provado o vinho, mandou trazer os vasos de ouro e de prata, que Nabucodonosor, seu pai, tinha tirado do templo que estava em Jerusalém, para que bebessem neles o rei, os seus príncipes, as suas mulheres e concubinas.
Há um limite para as pessoas desafiarem a vontade de Deus e blasfemar contra o seu nome. É preciso lembra que Deus é amor, mas também é fogo consumidor e, de Deus não se zomba. O comportamento de Belsazar e seus convidados usando desavergonhadamente os utensílios sagrados era uma afronta ao Deus de Israel. Porém o júbilo dos perversos não dura para sempre, pois a alegria do ímpio é momentânea. Belsazar não teve nenhum respeito por aquilo que era santo e profanou os vasos santificados. A reação divina diante dos desafios profanos que lhe faziam, seria interrompida, pois Belsazar provocou a ira divina com a sua conduta insensata. A palavra adverte, dizendo: não erreis; Deus não se deixa escarnecer.
3 - Nunca ouse a desafiar os justos juízos que são decretados pelo Senhor - Daniel 5.22 E tu, Belsazar, que és seu filho, não humilhaste o teu coração, ainda que soubeste tudo isto.
Belsazar não se humilhou, para que a misericórdia de Deus viesse sobre ele. Mesmo tendo sido advertido pela Palavra de Deus e ciente do que poderia acontecer ao seu reino, ele não se arrependeu e com isso o castigo foi inevitável. Ao usar os utensílios do Deus verdadeiro para louvar os ídolos da Babilônia, o rei cometeu os pecados de blasfêmia e de idolatria. Belsazar agiu como se estivesse no controle e como se sua vida fosse durar ainda muitos anos mais ignorando que seu próprio folego era controlado pela mão de Deus. Pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos. Temos visto no meio evangélico muitos líderes usando e abusando das coisas de Deus, induzindo o povo leigo a idolatria com heresias e objetos introduzidos nos cultos com a única finalidade de explorar o povo incauto.
4 - Nunca faça aquilo que pode vir a ofender a santidade do Deus eterno - Daniel 5..23 E te levantaste contra o Senhor do céu, pois foram trazidos à tua presença os vasos da casa dele, e tu, os teus senhores, as tuas mulheres e as tuas concubinas, bebestes vinho neles; além disso, deste louvores aos deuses de prata, de ouro, de bronze, de ferro, de madeira e de pedra, que não vêem, não ouvem, nem sabem; mas a Deus, em cuja mão está a tua vida, e de quem são todos os teus caminhos, a ele não glorificaste.
O rei se deixara cegar ante o castigo divino, pois se exaltou contra o Deus de Israel. Ele provocou intencionalmente o Senhor, com arrogância que chegou aos limites do extremo intolerável. Ao usar os utensílios do templo numa festa idólatra, constituiu-se uma profanação e sacrilégio imperdoável. Todos devem saber que a nossa vida está nas mãos de Deus e tudo aquilo que possuímos ou dependemos dizendo ser nosso, na realidade não é, pois todas as coisas pertencem a Deus.  Se o homem reconhece isso, então ele demonstra que realmente é humilde, caso não reconheça, então demonstra que é soberbo e orgulhoso. Persistindo nessa condição um dia perderá tudo o que tem como diz a palavra: (Mas Deus lhe disse: Louco! esta noite te pedirão a tua alma; e o que tens preparado para quem será? Lucas 12.20).
5 - Nunca esqueça que Deus castiga com destruição repentina seja quem for - Daniel 5.24 Então dele foi enviada aquela parte da mão, que escreveu este escrito.
Em toda história mundial de todos os tempos, Deus continua a levantar e a derrubar com destruição repentina seja quem for não importante o poderio que esse reino possa ter. Quando a soberba de Belsazar se tornou irrecuperável e sua incredulidade intolerável, Deus não hesitou em lançar mão de seus instrumentos para executar o castigo desse rei que ousou desafiá-lo. A mão que apareceu sobrenaturalmente mostrava que a vingança do céu havia chegado, pois encheu a medida da longanimidade e misericórdia divina. Tem muitos líderes evangélicos que estão provocando a Deus com as suas heresias e orgulhosa soberba, mas esquece-se que os olhos do Senhor, estão sobre os justos e os injustos e aquele que usa de engano não ficará na sua casa.
6 - Nunca subestime o Deus de amor, pois Ele também é um Deus de juízo - Daniel 5.25 Este, pois, é o escrito que se escreveu: MENE, MENE, TEQUEL, UFARSIM.
Para que o rei Belsazar compreendesse que o seu tempo havia chegado ao fim, Deus escreveu palavras enigmáticas que só seria compreendida na revelação feita a Daniel. Assim Deus fixa um tempo definido para todos os reinos, assim também como para cada indivíduo.  
7 - Nunca confiem no seu próprio pedestal, pois Deus poderá derrubá-lo - Daniel 5.26 Esta é a interpretação daquilo: mene: Contou Deus o teu reino, e o acabou.
O que muitos duvidam e não deveriam, é que não só reis e indivíduos vivem e morre segundo a vontade de Deus, como também qualquer império que se julgue o mais poderoso da terra. Diante desse fato devemos nos consolar e saber que os tiranos que tomam conta de um país, não perdurarão por muito tempo.
8 - Nunca esqueça que se formos faltosos Deus nos pesa em balanças fiéis - Daniel 5.27 TEQUEL: Pesado foste na balança, e foste achado em falta.
Deus pesa tudo, ou seja, a nossa fidelidade, o nosso andar, a nossa sinceridade, a nossa obediência e muito mais. Se o peso de tudo isso for positivo e agradar a Deus certamente viveremos debaixo das bênçãos divinas. Porém se o peso for negativo e desagradar a Deus, então o castigo divino poderá chegar subitamente. Assim Deus regula seus próprios juízos como segurasse a balança em suas mãos. Deus não faz nada de maneira confusa, e sim com moderação que não encontraremos nem a mais, nem a menos, pois Deus faz tudo na medida exata. Há homens que acham que podem pesar as suas vidas nas suas próprias balanças, mas somente a balança imparcial de Deus é que pesa e pesará todos os homens.
9 - Nunca confiem em tuas posses, pois Deus a tira e entrega a quem quer - Daniel 5.28 peres: Dividido foi o teu reino, e dado aos medos e aos persas.
Belsazar confiou na grandiosidade do seu reino, o qual jugava se intransponível e isso era o que aumentava o seu orgulho e a sua soberba. A Babilônia foi um dos impérios que dominou o mundo da época por muitos anos e com isso nem sequer imaginavam que poderiam ser derrotados. Desafiar e afrontar a Deus são a pior coisa que um reino, ou um líder pode fazer. Todos que usaram dessa ousadia caíram por terra e continuarão caindo todos os que agirem dessa maneira. O mundo com todos os seus impérios que existiram e os que existem, já souberam e saberão que é o Deus Altíssimo que reina no céu e na terra e cumpre sempre os seus propósitos. Ninguém, nação, líder ou indivíduo pode resistir por muito tempo ao Deus Altíssimo e vencer a batalha.
10 - Nunca pensem que pode se livrar do juízo divino agradando seu profeta - Daniel 5.29 Então mandou Belsazar que vestissem a Daniel de púrpura, e que lhe pusessem uma cadeia de ouro ao pescoço, e proclamassem a respeito dele que havia de ser o terceiro no governo do seu reino.
Belsazar mesmo sendo informado por Daniel do duro juízo que lhe sobreviria agiu contrariamente ao que poderia fazer com Daniel por lhe dar uma notícia tão terrível. Isto porque o rei poderia ter-se irado contra Daniel, porém estranhamente ele procurou honrar a Daniel e certamente pensando em si mesmo visando a sua própria segurança. Porém o que Deus proclamou a respeito do rei e do reino, era irrevogável e nenhum agrado ao seu profeta, o faria voltar a trás. A Bem Aventurança da nossa participação no reino celestial depende da nossa obediência e humildade de nos deixar governar pelo Todo Poderoso Deus.
11 - Nunca tente resistir a Deus, pois Ele pode levantar e também derrubar - Daniel 5.30 Naquela noite foi morto Belsazar, rei dos caldeus.

Naquela mesma noite enquanto Belsazar e os seus convidados se banqueteavam, o reino foi tomado por Ciro o rei da Pérsia e transferido para o rei dos medos, chamado Dario. O tempo de Belsazar havia acabado aqui na face da terra e de uma forma desonrosa por sua soberba e afronta ao Deus de Israel. Todos aqueles que cometem erros similares a esses não escaparão do juízo divino. Mais cedo, ou mais tarde o castigo vem e horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo. (Assim diz o Senhor: Maldito o homem que confia no homem, e faz da carne o seu braço, e aparta o seu coração do Senhor! Jeremias 17:5). 

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.

http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/11/a-queda-do-imperio-babilonico.html

Deus abomina a soberba

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br

DEUS ABOMINA A SOBERBA
Lição 5 - 2 de novembro de 2014
Texto Áureo: Daniel 4.37 Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, e exalço, e glorifico ao Rei dos céus; porque todas as suas obras são verdades; e os seus caminhos, juízo, e pode humilhar aso que andam na soberba.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 4.10-18


NOVE RAZÕES PARA ABOMINARMOS A SOBERBA, ASSIM COMO DEUS ABOMINA

Introdução: 
A soberba é um sentimento negativo caracterizado pela pretensão de superioridade sobre as demais pessoas. Esse sentimento pode ser encontrado em pessoas individualmente ou coletivamente. A soberba não é um privilégio dos ricos, pois os pobres também experimentam esse sentimento quando buscam fingir serem o que não são. O soberbo se sente auto realizado e procura mostrar-se para os outros a todo preço, querendo despertar a inveja e a admiração dos outros para elevar sua alta estima buscando prazer nisso. A correção da soberba vem através da humildade sincera, pois o excesso de humildade pode denotar uma soberba focada na inferioridade. No mundo secular podemos notar que em vários segmentos da sociedade existem muitos soberbos, mas isso não é de se estranhar porque como a bíblia diz: “o mundo jaz no maligno”. Agora o que é de se estranhar é que no meio evangélico encontramos Igrejas, líderes e pessoas impregnadas com esse sentimento que Deus abomina. 

1 - O SOBERBO PODE CRESCER COMO UMA GRANDE ÁRVORE, MAS COMO ELA PODE SER DERRUBADO - Daniel 4.10 Eis, pois, as visões da minha cabeça, estando eu na minha cama: Eu estava assim olhando, e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande;
O rei Nabucodonosor foi designado por Deus a fim de levar cativo o povo judeu para a Babilônia, onde ficariam neste reino por um período de setenta anos, por causa da sua desobediência. Dada à grandiosidade dessa missão que Deus havia lhe atribuído, a soberba subiu a cabeça desse rei, o qual entendeu ser ele quem estava impondo o juízo aos judeus, não entendendo que era apenas um instrumento nas mãos de Deus para que o juízo fosse executado. Na sua soberba não compreendeu que esse juízo estava sendo imposto pelo Deus desse povo. Entendemos que Deus não iria permitir que esse rei continuasse nesse orgulho ascendente e, através de um sonho dado a ele iria mostrar a condição de altives deplorável, a qual se achava por causa do orgulho. Figuradamente Deus mostrou nesse sonho que uma árvore pode ser muito grande, mas com todo o seu tamanho pode ser facilmente derrubada. Assim também esse rei com toda a sua grandeza e poder, poderia ser facilmente derrubado pelo Deus de Israel. (Mas Deus é o Juiz: a um abate, e a outro exalta. Salmos 75:7).

2 - O SOBERBO PODE QUERER SE ERGUER ATÉ O CÉU, PORÉM A SUA ENTRADA LÁ, É SÓ POR CRISTO - Daniel 4.11 Crescia esta árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra.
Quanto maior é a árvore, maior será a sua queda e quanto maior quer ser o homem na sua soberba, maior também será a sua queda. (A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda. Provérbios 16:18). O reino da Babilônia exerceu a supremacia sobre todos os povos da terra subjugando-os como tributária. Com todo esse domínio sobre os povos, o sucesso lhe subiu a cabeça, nascendo assim uma soberba tão abominável aos olhos do Senhor que chegou ao ponto de ser revelada a esse rei através desse sonho, a indignação divina. Vemos uma situação com alguma semelhança no episódio da torre de babel; (Gn 11.4 Eia, edifiquemos para nós uma cidade e uma torre cujo cume toque os céus). Todos os que tentaram construir essa torre foram humilhados, assim como Nabucodonosor também foi humilhado por querer ser grande demais. Esse rei soberbo precisava saber que o altíssimo tem o domínio sobre o reino dos homens; e o dá a quem quer e até ao mais humilde dos homens constitui sobre eles.

3 - O SOBERBO QUER TODOS SENDO DEPENDENTES DELE E DOMINIO DAS PESSOAS PARA SÍ PRÓPRIO - Daniel 4.12 A sua folhagem era formosa, e o seu fruto abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e toda a carne se mantinha dela.
No reino de Nabucodonosor era tudo grande em magnificência: grande em extensão, grande em crueldade, grande em soberba, grande em idolatria e muito mais. É bem verdade que é preferível viver sob um regime tirânico a sem nenhum governo, pois o povo sem governo transformaria tudo na mais terrível anarquia. O rei Nabucodonosor não era excepcionalmente reto e justo. Entretanto, sob essa figura, Deus o designou para dominar todos os reinos da terra e manter cativo o povo judeu naquele reino. Tudo isso Deus não abominou; o que Deus abominou foi à soberba desse rei que após ter conquistado tudo, o seu coração se exaltou a tal ponto, que provocou a ira de Deus. Assim será com todos os líderes tanto do mundo secular como do mundo religioso. Eles podem crescer, mas não podem deixar esse crescimento lhe subir a cabeça ao ponto de menosprezar os outros. (Toda a alma esteja sujeita às potestades superiores; porque não há potestade que não venha de Deus; e as potestades que há foram ordenadas por Deus. Romanos 13:1).

4 - O SOBERBO NÃO SABE QUE DEUS É UM VIGIA ETERNO O QUAL NÃO SE CANSA E NEM SE AFADIGA/strong> - Daniel 4.13 Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu,
O Deus que nunca dorme não se cansa, nem se afadiga. Não dormita em nem dormitará o guarde de Israel (Não sabes, não ouviste que o eterno Deus, o Senhor, o Criador dos fins da terra, nem se cansa nem se fatiga? É inescrutável o seu entendimento. Isaías 40:28). Deus tem um ministério de anjos sempre a sua mão, às suas ordens, chamados de vigilantes. Correm daqui para acolá em velocidade que para nós é incompreensível, e voam do céu para a terra, de um extremo para o outro, do leste para o oeste. Com todos esses atributos eles se dispõem e se prontificam de tal forma a executar as ordens divinas. Nabucodonosor não foi capaz de compreender isso sozinho, pois a ele foi dado apenas o sonho e não a interpretação do sonho. O rei iria saber que a queda da sua árvore não seria causada por homens, mas pela determinação divina. (Aquele, pois, que cuida estar em pé, olhe para que não caia. 1 Coríntios 10:12).
5 - O SOBERBO NA SUA INSENSATEZ NÃO COMPREENDE QUE DEUS DÁ, MAS TAMBÉM QUE DEUS TIRA - Daniel 4.14 Clamando fortemente, e dizendo assim: Derrubai a árvore, e cortai-lhe os ramos, sacudi as suas folhas, espalhai o seu fruto; afugentem-se os animais de debaixo dela, e as aves dos seus ramos.
O vigia eterno anunciou com grande poder a queda da grande árvore, ou seja, Nabucodonosor. Lembrando que as autoridades são constituídas por Deus, o qual exalta se merecer, como também humilha quando for necessário. Deus é infinitamente bom, mas também é infinitamente justo e, por essa razão, Ele sempre dá a colheita de acordo com a semeadura. Nabucodonosor confiando em todo o seu poder e glória, não seria nada diante do poder do Deus verdadeiro. Esse rei, assim como muitos líderes seculares e religiosos, quando pensarem que são alguém, Deus mostrará a eles que não são ninguém.

6 - O SOBERBO QUE PERSISTE NA SUA EXALTAÇÃO SOFRERÁ OS JUÍZOS DIVINOS E NÃO FICARÁ IMPUNE - Daniel 4.15 Mas deixai na terra o tronco com as suas raízes, atada com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; e seja molhado do orvalho do céu, e seja a sua porção com os animais na erva da terra;
O juízo ao rei foi determinado por Deus e, ele não conseguiria escapar do seu castigo. (Ainda antes que houvesse dia, eu sou; e ninguém há que possa fazer escapar das minhas mãos; agindo eu, quem o impedirá? Isaías 43:13). Pode-se perceber pelo texto que Deus usaria de misericórdia para com esse rei, pois indicou que o juízo seria por um tempo. Ele seria cortado, mas seria restaurado ao reino. (Porque há esperança para a árvore que, se for cortada, ainda se renovará, e não cessarão os seus renovos). Se envelhecer na terra a sua raiz, e morrer o seu tronco no pó, ao cheiro das águas brotará, e dará ramos como a planta. A promessa de restauração e restituição do reino foi porque Deus encontrou lugar no coração desse rei para agir com juízo e misericórdia.

7 - O SOBERBO QUANDO MERGULHA NA INSANIDADE DEUS O FARÁ ENXERGAR A SUA IRRACIONALIDADE - Daniel 4.16 Seja mudado o seu coração, para que não seja mais coração de homem, e lhe seja dado coração de animal; e passem sobre ele sete tempos.
Se o rei tivesse tido um verdadeiro arrependimento de todos os seus pecados e principalmente da sua soberba, certamente a sentença teria sido mudada. Mas isso não seria fácil para aquele rei que demonstrava ter um coração duro. Ninguém muda o seu coração com facilidade e muitas vezes precisarão passar por uma grande humilhação para poder enxergar a sua real situação diante de Deus. Quantas almas soberbas e arrogantes só se convertem a Cristo depois de passar por uma dura prova.
8 - O SOBERBO PELOS JUÍZOS ENTENDERÁ QUE DEUS DÁ PODER A QUEM QUER E TAMBÉM TIRA O PODER - Daniel 4.17 Esta sentença é por decreto dos vigias, e esta ordem por mandado dos santos, a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer, e até ao mais humilde dos homens constitui sobre ele. -
Deus não perdoou a culpa desse rei ímpio, senão que se restringiu de aplicar-lhe um castigo mais duro, em virtude de ele aparentar algum sinal de arrependimento. Todos os homens devem saber que o Altíssimo é o soberano no reino dos homens. Porém muitos pela sua ignorância e cegueira espiritual, imaginam que pelo uso da sua própria força, recursos e outros meios, são capazes de também preservar seus reinos e seus ministérios neste mundo. (Não é do oriente, não é do ocidente, mas dos céus que vem o poder).

9 - O SOBERBO PRECISA IRRADIAR UM MOMENTO DE HUMILDADE E DAR OUVIDOS AOS PROFETAS DE DEUS - Daniel 4.18 Este sonho eu, rei Nabucodonosor vi. Tu, pois, Beltessazar, dize a interpretação, porque todos os sábios do meu reino não puderam fazer-me saber a sua interpretação, mas tu podes; pois há em ti o espírito dos deuses santos. Deus tem o homem certo para cada coisa que Ele mesmo determinou. Daniel era o homem certo para estar naquela corte de tantos segredos. Como se tratava de um segredo e que envolvia a aplicação de juízo sobre o rei o Senhor não deixaria antes de revelar o porquê estava aplicando esse juízo, como diz a palavra: (Certamente o Senhor DEUS não fará coisa alguma, sem ter revelado o seu segredo aos seus servos, os profetas. Amós 3:7). Nabucodonosor também pode conhecer através de Daniel, quem era o verdadeiro profeta de Deus e que todos os seus adivinhos do seu reino eram falsos. No meio evangélico também há muitos profetas, mas nem todos são verdadeiros e por isso é necessário ter o discernimento para saber e distinguir o falso do verdadeiro. 

O esboço e o comentário é elaborado pelo texto da leitura bíblica em classe.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/10/deus-abomina-soberba.html

A PROVIDÊNCIA DIVINA NA FIDELIDADE HUMANA

O blogger do professor da escola dominical e do pregador da palavra de Deus em www.pastorguilhermel.com.br


DEUS ABOMINA A SOBERBA
Lição 5 - 2 de novembro de 2014
Texto Áureo: Daniel 4.37 Agora, pois, eu, Nabucodonosor, louvo, e exalço, e glorifico ao Rei dos céus; porque todas as suas obras são verdades; e os seus caminhos, juízo, e pode humilhar aso que andam na soberba.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 4.10-18

NOVE RAZÕES PARA ABOMINARMOS A SOBERBA, ASSIM COMO DEUS ABOMINA

1 - O SOBERBO PODE CRESCER COMO UMA GRANDE ÁRVORE, MAS COMO ELA PODE SER DERRUBADO - Daniel 4.10 Eis, pois, as visões da minha cabeça, estando eu na minha cama: Eu estava assim olhando, e vi uma árvore no meio da terra, cuja altura era grande;

2 - O SOBERBO PODE QUERER SE ERGUER ATÉ O CÉU, PORÉM A SUA ENTRADA LÁ, É SÓ POR CRISTO - Daniel 4.11 Crescia esta árvore, e se fazia forte, de maneira que a sua altura chegava até ao céu; e era vista até aos confins da terra.

3 - O SOBERBO QUER TODOS SENDO DEPENDENTES DELE E DOMINIO DAS PESSOAS PARA SÍ PRÓPRIO - Daniel 4.12 A sua folhagem era formosa, e o seu fruto abundante, e havia nela sustento para todos; debaixo dela os animais do campo achavam sombra, e as aves do céu faziam morada nos seus ramos, e toda a carne se mantinha dela.

4 - O SOBERBO NÃO SABE QUE DEUS É UM VIGIA ETERNO O QUAL NÃO SE CANSA E NEM SE AFADIGA - Daniel 4.13 Estava vendo isso nas visões da minha cabeça, estando eu na minha cama; e eis que um vigia, um santo, descia do céu,

5 - O SOBERBO NA SUA INSENSATEZ NÃO COMPREENDE QUE DEUS DÁ, MAS TAMBÉM QUE DEUS TIRA - Daniel 4.14 Clamando fortemente, e dizendo assim: Derrubai a árvore, e cortai-lhe os ramos, sacudi as suas folhas, espalhai o seu fruto; afugentem-se os animais de debaixo dela, e as aves dos seus ramos.

6 - O SOBERBO QUE PERSISTE NA SUA EXALTAÇÃO SOFRERÁ OS JUÍZOS DIVINOS E NÃO FICARÁ IMPUNE - Daniel 4.15 Mas deixai na terra o tronco com as suas raízes, atada com cadeias de ferro e de bronze, na erva do campo; e seja molhado do orvalho do céu, e seja a sua porção com os animais na erva da terra;

7 - O SOBERBO QUANDO MERGULHA NA INSANIDADE DEUS O FARÁ ENXERGAR A SUA IRRACIONALIDADE - Daniel 4.16 Seja mudado o seu coração, para que não seja mais coração de homem, e lhe seja dado coração de animal; e passem sobre ele sete tempos.

8 - O SOBERBO PELOS JUÍZOS ENTENDERÁ QUE DEUS DÁ PODER A QUEM QUER E TAMBÉM TIRA O PODER - Daniel 4.17 Esta sentença é por decreto dos vigias, e esta ordem por mandado dos santos, a fim de que conheçam os viventes que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer, e até ao mais humilde dos homens constitui sobre ele. - 

9 - O SOBERBO PRECISA IRRADIAR UM MOMENTO DE HUMILDADE E DAR OUVIDOS AOS PROFETAS DE DEUS - Daniel 4.18 Este sonho eu, rei Nabucodonosor vi. Tu, pois, Beltessazar, dize a interpretação, porque todos os sábios do meu reino não puderam fazer-me saber a sua interpretação, mas tu podes; pois há em ti o espírito dos deuses santos. 

Aguardem a publicação do Comentário
O esboço e o comentário é elaborado pelo texto da leitura bíblica em classe.
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/10/a-providencia-divina-na-fidelidade.html

O Deus que intervém na história

 Acesse aqui o site oficial - www.pastorguilhermel.com.br       

O DEUS QUE INTERVÉM NA HISTÓRIA
Lição 13 - 19 de outubro de 2014
Texto Áureo: Daniel 2.20,21 Falou Daniel e disse: Seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque dele é a sabedoria e a força; Ele muda os tempos e as horas; Ele remove os reis e estabelece os reis; Ele dá sabedoria aos sábios e ciência aos inteligêntes.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 2.12-23

DEUS SEMPRE INTERVÉM QUANDO O HOMEM TENTA MUDAR A SUA HISTÓRIA


IntroduçãoDesde o princípio de todas as coisas, Deus escreveu uma história para a humanidade, não uma história de ficção, mas sim uma história real e, isso foi registrado nas Escrituras Sagradas, onde ela relata o princípio dessa história e o final dessa história a qual Ele escreveu. No transcorrer dessa história divina, se fez necessário Deus fazer várias intervenções para coloca-la no curso a qual Ele a escreveu conforme as Escrituras nos revelam. A cada dispensação e durante o seu período de duração, o Senhor Deus precisou fazer intervenções, dado ao fato do homem sob a influência de Satanás ter tentado mudar o curso da história, a qual Deu escreveu. Foi assim no Éden com a queda do homem, na corrupção do período antediluviano, quando Deus manda fazer a arca para que Noé e sua família fossem salvos, no governo humano com a torre de babel, na chamada de Abraão, no período da lei do Egito a Canaã, com as tribos de Israel, encerrando o período da lei com a missão de Jesus aqui na terra foi consumada, no período da graça com o arrebatamento da Igreja, na grande tribulação, no milênio, no julgamento do trono branco e com a criação dos novos céus e novas terras, que é até aonde chega o final da sua história. O texto que estamos abordando envolve uma revelação que faz parte dessa história, e para surpresa de muitos, Deus mostrou em sonho para um rei ímpio chamado Nabucodonosor, uma estátua, porém não revelou a este rei, o significado do sonho. Essa estátua tinha uma cabeça de ouro que significava a Babilônia de Nabucodonosor, a qual iria cair; o peito e os braços de prata, os Medos e Persas de Dario e Ciro; o ventre e quadris a Grécia de Alexandre; as pernas de ferro, a Roma dos Imperadores; os pés em parte de barro e de ferro, a Roma sem o poder político, mas sustentada ainda pelo poder religioso do Papa; e os dez dedos da estátua referem-se aos dez países que serão comandados pelo anti-cristo no período da grande tribulação. Revelava também uma pedra que foi cortada sem o auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de barro e de ferro e os esmiuçou. Esta pedra refere-se ao Senhor Jesus Cristo, que intervirá fazendo isso no final da grande tribulação. 
1 - DEUS DÁ SONHOS A QUEM QUER, MAS A INTERPRETAÇÃO NÃO É PARA QUALQUER UM - Daniel 2.12 Por isso o rei muito se irou e enfureceu; e ordenou que matassem a todos os sábios de Babilônia.
Vemos aqui uma situação extremamente complicada para os sábios e adivinhos da Babilônia. Isto porque o rei Nabucodonosor esqueceu o que sonhou, porém chamou os sábios e adivinhos para revelarem não somente o significado do sonho, mas o que ele havia sonhado. Não puderam contar com a ajuda do Diabo, pois este só sabe daquilo que falamos, pois o que pensamos ou sonhamos, ele não tem como saber, pois esta é uma prerrogativa que pertence somente a Deus. Se o rei lembra-se e contasse o sonho, os sábios e adivinhos poderiam dar qualquer interpretação para satisfazer o rei, porém tendo que descobrir o sonho que o rei sonhou era algo impossível para eles. Diante disso o rei se irou, e tendo o poder absoluto determinou que todos os sábios e adivinhos fossem mortos por não revelarem o seu sonho. 
2 - A INJUSTIÇA NUNCA PREVALECERÁ CONTRA AQUELES AO QUAL DEUS CONSIDERA JUSTO - Daniel 2.13 E saiu o decreto, segundo o qual deviam ser mortos os sábios; e buscaram a Daniel e aos seus companheiros, para que fossem mortos.
Com o decreto expedido, a qual todos os sábios deveriam ser mortos, também Daniel e seus companheiros estava incluídos nisso. Aqueles que enganavam os homens, ao fingirem fazer o que não podiam, são agora sentenciados à morte por não serem capazes de fazer algo que sequer fingiram poder fazer. A diferença nesse caso é que os sábios não serviam ao Deus verdadeiro, e sim ao Diabo, porém Daniel e seus companheiros eram servos do Deus verdadeiro, e esse Deus não os deixaria desamparados naquela situação tão perigosa, na qual foram envolvidos os seus servos. Daniel confiava que Deus estava no controle de todas as coisas e que os guardaria de qualquer injustiça praticada contra as suas vidas.
3 – SATANÁS TEM SEUS SERVOS COMO DISPENSÁVEIS, MAS DEUS CUIDA DOS SEUS SERVOS FIÉIS - Daniel 2.14 Então Daniel falou avisada e prudentemente a Arioque, capitão da guarda do rei, que tinha saído para matar os sábios de Babilônia.
Ao longo da história se observa que Satanás só quer as pessoas para usá-las como seus instrumentos e quando não serve mais ele simplesmente abandona e descarta. Mesmo tendo sido abandonados pelo maligno esses sábios seriam poupados por Deus através do seu servo Daniel. Isto porque Daniel foi extremamente prudente ao lidar com o executor das ordens do rei, e a prudência é algo fundamental quando estamos envolvidos em situações complicadas. 
4 - QUEM É DIRIGIDO PELO ESPÍRITO É PRUDENTE PARA LIDAR COM SITUAÇOES GRAVES - Daniel 2.15 Respondeu, e disse a Arioque, capitão do rei: Por que se apressa tanto o decreto da parte do rei? Então Arioque explicou o caso a Daniel.
Daniel teve a prudência e tranquilidade para manter o equilíbrio, e sabiamente não reprovou a atitude do rei Nabucodonosor, pois isso poderia ser perigoso para ele. Simplesmente perguntou ao executor, o porquê de tanta pressa em cumprir o mandato do rei. Falou isso com tanta confiança que Arioque se tranquilizou e passou a dar atenção a Daniel, isto porque Daniel já havia conquistado com a sua sabedoria muitos oficiais do palácio. Assim Daniel se compromete dar ao rei toda satisfação que ele desejava, pois tinha confiança no Deus que ele servia.
5 - É A DEUS QUE DEVEMOS CONSULTAR QUANDO SE TRATA DE INTERPRETAR REVELAÇÕES - Daniel 2.16 E Daniel entrou; e pediu ao rei que lhe desse tempo, para que lhe pudesse dar a interpretação.
Daniel foi diante do rei com muita confiança, pois tinha a certeza que Deus ia revelar-lhe o sonho esquecido pelo rei; e, na prontidão desta certeza, evitou qualquer precipitação pedindo ao rei um tempo para voltar à sua presença, com o sonho e a sua interpretação. Era um momento de ousadia, e não de humildade, pelo que o profeta agiu com grande decisão e confiança na providência divina. Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Salmos 125:1
6 - DEVEMOS PROCURAR A UNIÃO DE FORÇAS COM QUEM PODE NOS AJUDAR NAS ORAÇÕES - Daniel 2.17 Então Daniel foi para a sua casa, e fez saber o caso a Hananias, Misael e Azarias, seus companheiros;
Como servos de Deus em qualquer situação difícil que enfrentarmos é preciso procurar estar unidos em tudo, pois essa união é muito importante para fortalecermos os nossos vínculos espirituais. A bíblia nos ensina a nos comportar dessa maneira: E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa. Eclesiastes 4:12 - Embora Daniel tivesse dons especiais, ele não se estribou nisso e com toda humildade procurou os seus companheiros para que se unissem com ele em oração, até que obtivessem a resposta de Deus. Essa é uma atitude que deve ser imitada por todos os cristãos. 
7 - É PRECISO CONTAR COM AS MISERICÓRIDIAS DIVINAS CRENDO QUE ELE SEMPRE NOS OUVE - Daniel 2.18 Para que pedissem misericórdia ao Deus do céu, sobre este mistério, a fim de que Daniel e seus companheiros não perecessem, juntamente com o restante dos sábios de Babilônia.
Eles estavam longe de casa, mas, pela fé, podiam continuar olhando para os montes de Sião de onde lhes viria o socorro. O Deus do céu ouviria as orações de seus servos e lhes responderia para a sua glória. Deus havia ocultado uma verdade profética no sonho e capacitou seu servo para que conhecesse tanto o sonho quanto sua interpretação e para que compreendesse os planos de Deus para o futuro. "Muito pode pela sua eficácia, a súplica do justo. Tiago 5.16". A oração fervorosa e eficaz dos justos é algo de grande proveito. Há mistérios e segredos a que somos levados pela oração. Com essa chave os segredos dos céus são destrancados. Batei, batei e abrir-se-vos-á.8 - QUANDO AS NOSSAS ORAÇÕES SÃO RESPONDIDAS NÓS DEVEMOS TRANSFORMÁ-LAS EM LOUVOR - Daniel 2.19 Então foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; então Daniel louvou o Deus do céu.
Daniel ao receber a revelação do sonho de Nabucodonosor transformou imediatamente as suas orações em louvores. Ele havia orado com toda certeza de que Deus o atenderia lhe dando a revelação, que também deu graças pelo favor a qual recebeu de Deus. É através da oração que hora da necessidade alcançamos orientações especial que vem por meio da inspiração mística. Em determinadas situações precisamos de orientação especial por meio de eventos extraordinários. Assim aconteceu com Daniel e seus amigos; eles oraram e a resposta chegou e assim acontece com todos que buscam a Deus nos momentos de grande dificuldade.
9 - SÓ DEUS TEM SABEDORIA INFINITA DE CRIAR, E PLANEJAR E PODER DE EXECUTAR E REALIZAR - Daniel 2.20 Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força;
Deus intervém na história humana, e nós agradecemos e O louvamos por isso. Essa foi a atitude de Daniel ao celebrar a grande vitória alcançada através da oração. O segredo revelado foi a grande vitória, pois Deus é aquele que sabe todas as coisas. A importância desse segredo revelado é que além de livrar Daniel e seus amigos da morte, juntamente com todos os sábios, também o elevaria no conceito do rei, o qual os designou para cargos mais altos no seu reino.
10 - NENHUMA MUDANÇA ACONTECE POR ACASO, MAS SEMPRE PELA VONTADE E CONSELHO DIVINO - Daniel 2.21 E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos.
Deus é o Deus que no momento certo intervém na história humana, individual e coletiva. Ele levanta reis e derruba reis, determinando o curso das nações dentro da história que Ele escreveu, e tudo que Ele escreveu aconteceu, está acontecendo e acontecerá. Quando a verdadeira sabedoria é encontrada entre os homens, ela é um dom de Deus, que os capacita a entender o tempo e o modo das coisas.
11 - SÓ DEUS PODE REVELAR MISTÉRIOS E ILUMINAR AS NOSSAS MENTES PARA COMPREENDE-LOS - Daniel 2.22 Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.
Deus revela o que está escondido no oculto e no profundo; conhece todos os segredos e os transmite a homens em necessidade. Deus é a luz e reside n luz, onde todos os mistérios são esclarecidos e a mente dos homens é iluminada. Para o crente fiel a Deus, Ele está sempre revelando algo novo em sua vida. Deus não só mora na luz, como também exige que os seus filhos andem na luz. Deus é o Pai das luzes, de todas as luzes. Daniel louva ao Senhor por ter lhe concedido essa revelação e porque Ele é a fonte de toda a sabedoria e força.
12 - A SABEDORIA E FORÇA QUE RECEBEMOS DE DEUS DEVEM SER RECONHECIDAS COMO DÁDIVAS - Daniel 2.23 Ó Deus de meus pais, eu te dou graças e te louvo, porque me deste sabedoria e força; e agora me fizeste saber o que te pedimos, porque nos fizeste saber este assunto do rei.
Ter fé é viver sem tramar, e a fé glorifica a Deus. Daniel e seus três amigos não podiam receber o crédito por aquilo que aconteceu, pois veio das mãos de Deus. A fé pode tudo que Deus pode, e a oração pode tudo aquilo que a fé pode, se a oração for feita com fé. "Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. Tiago 1:6". A oração feita com fé chega ao Deus onipotente e o traz para dentro das nossas circunstâncias, e quando Deus entra em nossas circunstâncias é o momento em que recebemos a nossa vitória.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.

Aguardem a publicação do Esboço e Comentário
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.                                                                                                                                                                         
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/10/o-deus-que-intervem-na-historia.html

A FIRMEZA DO CARÁTER MORAL E ESPIRITUAL DE DANIEL

         

O DEUS QUE INTERVÉM NA HISTÓRIA
Lição 13 - 19 de outubro de 2014
Texto Áureo: Daniel 2.20,21 Falou Daniel e disse: Seja bendito o nome de Deus para todo o sempre, porque dele é a sabedoria e a força; Ele muda os tempos e as horas; Ele remove os reis e estabelece os reis; Ele dá sabedoria aos sábios e ciência aos inteligêntes.
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 2.12-23

DEUS SEMPRE INTERVÉM QUANDO O HOMEM TENTA MUDAR A SUA HISTÓRIA
IntroduçãoDesde o princípio de todas as coisas, Deus escreveu uma história para a humanidade, não uma história de ficção, mas sim uma história real e, isso foi registrado nas Escrituras Sagradas, onde ela relata o princípio dessa história e o final dessa história a qual Ele escreveu. No transcorrer dessa história divina, se fez necessário Deus fazer várias intervenções para coloca-la no curso a qual Ele a escreveu conforme as Escrituras nos revelam. A cada dispensação e durante o seu período de duração, o Senhor Deus precisou fazer intervenções, dado ao fato do homem sob a influência de Satanás ter tentado mudar o curso da história, a qual Deu escreveu. Foi assim no Éden com a queda do homem, na corrupção do período antediluviano, quando Deus manda fazer a arca para que Noé e sua família fossem salvos, no governo humano com a torre de babel, na chamada de Abraão, no período da lei do Egito a Canaã, com as tribos de Israel, encerrando o período da lei com a missão de Jesus aqui na terra foi consumada, no período da graça com o arrebatamento da Igreja, na grande tribulação, no milênio, no julgamento do trono branco e com a criação dos novos céus e novas terras, que é até aonde chega o final da sua história. O texto que estamos abordando envolve uma revelação que faz parte dessa história, e para surpresa de muitos, Deus mostrou em sonho para um rei ímpio chamado Nabucodonosor, uma estátua, porém não revelou a este rei, o significado do sonho. Essa estátua tinha uma cabeça de ouro que significava a Babilônia de Nabucodonosor, a qual iria cair; o peito e os braços de prata, os Medos e Persas de Dario e Ciro; o ventre e quadris a Grécia de Alexandre; as pernas de ferro, a Roma dos Imperadores; os pés em parte de barro e de ferro, a Roma sem o poder político, mas sustentada ainda pelo poder religioso do Papa; e os dez dedos da estátua referem-se aos dez países que serão comandados pelo anti-cristo no período da grande tribulação. Revelava também uma pedra que foi cortada sem o auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de barro e de ferro e os esmiuçou. Esta pedra refere-se ao Senhor Jesus Cristo, que intervirá fazendo isso no final da grande tribulação. 
1 - DEUS DÁ SONHOS A QUEM QUER, MAS A INTERPRETAÇÃO NÃO É PARA QUALQUER UM - Daniel 2.12 Por isso o rei muito se irou e enfureceu; e ordenou que matassem a todos os sábios de Babilônia.
Vemos aqui uma situação extremamente complicada para os sábios e adivinhos da Babilônia. Isto porque o rei Nabucodonosor esqueceu o que sonhou, porém chamou os sábios e adivinhos para revelarem não somente o significado do sonho, mas o que ele havia sonhado. Não puderam contar com a ajuda do Diabo, pois este só sabe daquilo que falamos, pois o que pensamos ou sonhamos, ele não tem como saber, pois esta é uma prerrogativa que pertence somente a Deus. Se o rei lembra-se e contasse o sonho, os sábios e adivinhos poderiam dar qualquer interpretação para satisfazer o rei, porém tendo que descobrir o sonho que o rei sonhou era algo impossível para eles. Diante disso o rei se irou, e tendo o poder absoluto determinou que todos os sábios e adivinhos fossem mortos por não revelarem o seu sonho. 
2 - A INJUSTIÇA NUNCA PREVALECERÁ CONTRA AQUELES AO QUAL DEUS CONSIDERA JUSTO - Daniel 2.13 E saiu o decreto, segundo o qual deviam ser mortos os sábios; e buscaram a Daniel e aos seus companheiros, para que fossem mortos.
Com o decreto expedido, a qual todos os sábios deveriam ser mortos, também Daniel e seus companheiros estava incluídos nisso. Aqueles que enganavam os homens, ao fingirem fazer o que não podiam, são agora sentenciados à morte por não serem capazes de fazer algo que sequer fingiram poder fazer. A diferença nesse caso é que os sábios não serviam ao Deus verdadeiro, e sim ao Diabo, porém Daniel e seus companheiros eram servos do Deus verdadeiro, e esse Deus não os deixaria desamparados naquela situação tão perigosa, na qual foram envolvidos os seus servos. Daniel confiava que Deus estava no controle de todas as coisas e que os guardaria de qualquer injustiça praticada contra as suas vidas.
3 – SATANÁS TEM SEUS SERVOS COMO DISPENSÁVEIS, MAS DEUS CUIDA DOS SEUS SERVOS FIÉIS - Daniel 2.14 Então Daniel falou avisada e prudentemente a Arioque, capitão da guarda do rei, que tinha saído para matar os sábios de Babilônia.
Ao longo da história se observa que Satanás só quer as pessoas para usá-las como seus instrumentos e quando não serve mais ele simplesmente abandona e descarta. Mesmo tendo sido abandonados pelo maligno esses sábios seriam poupados por Deus através do seu servo Daniel. Isto porque Daniel foi extremamente prudente ao lidar com o executor das ordens do rei, e a prudência é algo fundamental quando estamos envolvidos em situações complicadas. 
4 - QUEM É DIRIGIDO PELO ESPÍRITO É PRUDENTE PARA LIDAR COM SITUAÇOES GRAVES - Daniel 2.15 Respondeu, e disse a Arioque, capitão do rei: Por que se apressa tanto o decreto da parte do rei? Então Arioque explicou o caso a Daniel.
Daniel teve a prudência e tranquilidade para manter o equilíbrio, e sabiamente não reprovou a atitude do rei Nabucodonosor, pois isso poderia ser perigoso para ele. Simplesmente perguntou ao executor, o porquê de tanta pressa em cumprir o mandato do rei. Falou isso com tanta confiança que Arioque se tranquilizou e passou a dar atenção a Daniel, isto porque Daniel já havia conquistado com a sua sabedoria muitos oficiais do palácio. Assim Daniel se compromete dar ao rei toda satisfação que ele desejava, pois tinha confiança no Deus que ele servia.
5 - É A DEUS QUE DEVEMOS CONSULTAR QUANDO SE TRATA DE INTERPRETAR REVELAÇÕES - Daniel 2.16 E Daniel entrou; e pediu ao rei que lhe desse tempo, para que lhe pudesse dar a interpretação.
Daniel foi diante do rei com muita confiança, pois tinha a certeza que Deus ia revelar-lhe o sonho esquecido pelo rei; e, na prontidão desta certeza, evitou qualquer precipitação pedindo ao rei um tempo para voltar à sua presença, com o sonho e a sua interpretação. Era um momento de ousadia, e não de humildade, pelo que o profeta agiu com grande decisão e confiança na providência divina. Os que confiam no SENHOR serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre. Salmos 125:1
6 - DEVEMOS PROCURAR A UNIÃO DE FORÇAS COM QUEM PODE NOS AJUDAR NAS ORAÇÕES - Daniel 2.17 Então Daniel foi para a sua casa, e fez saber o caso a Hananias, Misael e Azarias, seus companheiros;
Como servos de Deus em qualquer situação difícil que enfrentarmos é preciso procurar estar unidos em tudo, pois essa união é muito importante para fortalecermos os nossos vínculos espirituais. A bíblia nos ensina a nos comportar dessa maneira: E, se alguém prevalecer contra um, os dois lhe resistirão; e o cordão de três dobras não se quebra tão depressa. Eclesiastes 4:12 - Embora Daniel tivesse dons especiais, ele não se estribou nisso e com toda humildade procurou os seus companheiros para que se unissem com ele em oração, até que obtivessem a resposta de Deus. Essa é uma atitude que deve ser imitada por todos os cristãos. 
7 - É PRECISO CONTAR COM AS MISERICÓRIDIAS DIVINAS CRENDO QUE ELE SEMPRE NOS OUVE - Daniel 2.18 Para que pedissem misericórdia ao Deus do céu, sobre este mistério, a fim de que Daniel e seus companheiros não perecessem, juntamente com o restante dos sábios de Babilônia.
Eles estavam longe de casa, mas, pela fé, podiam continuar olhando para os montes de Sião de onde lhes viria o socorro. O Deus do céu ouviria as orações de seus servos e lhes responderia para a sua glória. Deus havia ocultado uma verdade profética no sonho e capacitou seu servo para que conhecesse tanto o sonho quanto sua interpretação e para que compreendesse os planos de Deus para o futuro. "Muito pode pela sua eficácia, a súplica do justo. Tiago 5.16". A oração fervorosa e eficaz dos justos é algo de grande proveito. Há mistérios e segredos a que somos levados pela oração. Com essa chave os segredos dos céus são destrancados. Batei, batei e abrir-se-vos-á.8 - QUANDO AS NOSSAS ORAÇÕES SÃO RESPONDIDAS NÓS DEVEMOS TRANSFORMÁ-LAS EM LOUVOR - Daniel 2.19 Então foi revelado o mistério a Daniel numa visão de noite; então Daniel louvou o Deus do céu.
Daniel ao receber a revelação do sonho de Nabucodonosor transformou imediatamente as suas orações em louvores. Ele havia orado com toda certeza de que Deus o atenderia lhe dando a revelação, que também deu graças pelo favor a qual recebeu de Deus. É através da oração que hora da necessidade alcançamos orientações especial que vem por meio da inspiração mística. Em determinadas situações precisamos de orientação especial por meio de eventos extraordinários. Assim aconteceu com Daniel e seus amigos; eles oraram e a resposta chegou e assim acontece com todos que buscam a Deus nos momentos de grande dificuldade.
9 - SÓ DEUS TEM SABEDORIA INFINITA DE CRIAR, E PLANEJAR E PODER DE EXECUTAR E REALIZAR - Daniel 2.20 Falou Daniel, dizendo: Seja bendito o nome de Deus de eternidade a eternidade, porque dele são a sabedoria e a força;
Deus intervém na história humana, e nós agradecemos e O louvamos por isso. Essa foi a atitude de Daniel ao celebrar a grande vitória alcançada através da oração. O segredo revelado foi a grande vitória, pois Deus é aquele que sabe todas as coisas. A importância desse segredo revelado é que além de livrar Daniel e seus amigos da morte, juntamente com todos os sábios, também o elevaria no conceito do rei, o qual os designou para cargos mais altos no seu reino.
10 - NENHUMA MUDANÇA ACONTECE POR ACASO, MAS SEMPRE PELA VONTADE E CONSELHO DIVINO - Daniel 2.21 E ele muda os tempos e as estações; ele remove os reis e estabelece os reis; ele dá sabedoria aos sábios e conhecimento aos entendidos.
Deus é o Deus que no momento certo intervém na história humana, individual e coletiva. Ele levanta reis e derruba reis, determinando o curso das nações dentro da história que Ele escreveu, e tudo que Ele escreveu aconteceu, está acontecendo e acontecerá. Quando a verdadeira sabedoria é encontrada entre os homens, ela é um dom de Deus, que os capacita a entender o tempo e o modo das coisas.
11 - SÓ DEUS PODE REVELAR MISTÉRIOS E ILUMINAR AS NOSSAS MENTES PARA COMPREENDE-LOS - Daniel 2.22 Ele revela o profundo e o escondido; conhece o que está em trevas, e com ele mora a luz.
Deus revela o que está escondido no oculto e no profundo; conhece todos os segredos e os transmite a homens em necessidade. Deus é a luz e reside n luz, onde todos os mistérios são esclarecidos e a mente dos homens é iluminada. Para o crente fiel a Deus, Ele está sempre revelando algo novo em sua vida. Deus não só mora na luz, como também exige que os seus filhos andem na luz. Deus é o Pai das luzes, de todas as luzes. Daniel louva ao Senhor por ter lhe concedido essa revelação e porque Ele é a fonte de toda a sabedoria e força.
12 - A SABEDORIA E FORÇA QUE RECEBEMOS DE DEUS DEVEM SER RECONHECIDAS COMO DÁDIVAS - Daniel 2.23 Ó Deus de meus pais, eu te dou graças e te louvo, porque me deste sabedoria e força; e agora me fizeste saber o que te pedimos, porque nos fizeste saber este assunto do rei.
Ter fé é viver sem tramar, e a fé glorifica a Deus. Daniel e seus três amigos não podiam receber o crédito por aquilo que aconteceu, pois veio das mãos de Deus. A fé pode tudo que Deus pode, e a oração pode tudo aquilo que a fé pode, se a oração for feita com fé. "Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte. Tiago 1:6". A oração feita com fé chega ao Deus onipotente e o traz para dentro das nossas circunstâncias, e quando Deus entra em nossas circunstâncias é o momento em que recebemos a nossa vitória.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.

Aguardem a publicação do Esboço e Comentário
Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.                                                                                                                                                                         
http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/10/a-firmeza-do-carater-moral-e-espiritual.html

Daniel, nosso contemporâneo


A FIRMEZA DO CARÁTER MORAL E ESPIRITUAL DE DANIEL

Lição 2 - 12 de Outubro de 2014
Texto Áureo: “E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, [...] portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar’' (Dn 1.8).
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 1.1-8,17,20

QUEM TEM CARÁTER MORAL E ESPIRITUAL CONSERVA-O EM QUALQUER LUGAR

Introdução: 
A palavra caráter pode ser definida como características e traços relativos à maneira de agir e de reagir no sentido individual ou em grupo. É o conjunto de qualidades e defeito de alguém, é o que vão determinar a sua conduta e a sua moralidade, que envolve o seu caráter. Uma pessoa conhecida como "sem caráter", geralmente é qualificada como desonesta, por não apresentar firmeza de princípios ou de moral. Por outro lado, uma pessoa de "caráter" é alguém com formação moral sólida e incontestável. Quando uma pessoa tem um caráter firme, ela não se deixa levar por propostas de via mais fácil para a realização de algo, mesmo que naquele momento pareça ser o melhor caminho a seguir, é o caráter que vai determinar a escolha do indivíduo. Pessoas do mundo secular que demonstram um caráter íntegro são raridades em nossos tempos, basta olharmos para os poderes legislativo, judiciário e executivo e vamos observar que a maior parte deles, são pessoas desprovidas de caráter. No meio evangélico onde todos deveriam ser pessoas de caráter íntegro, infelizmente não é isso que vemos em nossos dias. Através do exemplo desses jovens personagens bíblicos que foram levados cativos para a Babilônia, é possível ver e aprender como é vivido o verdadeiro caráter em qualquer situação, por mais difícil que seja.
I. QUEM DECLINA NA FÉ E NÃO SE ARREPENDE NÃO ESCAPA DO JUÍZO DIVINO 

1. A situação moral e política de Judá foi o que os levou ao cativeiro babilônico - Daniel I.1 - No ano terceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou.
Os judeus por não desenvolverem um caráter íntegro tanto na parte política e religiosa foram despatriados por não darem ouvidos a Deus que os exortava ao arrependimento através de vários profetas e por último o profeta Jeremias. Durante décadas, os profetas haviam avisado os governantes de Judá que sua idolatria, imoralidade e injustiça dentro do reino os levariam à ruína. Vários profetas com Isaías, Miquéias, Habacuque previram o resultado da desobediência e finalmente o profeta Jeremias viveu para ver o cumprimento dessas profecias e daquelas que ele mesmo havia proclamado. Deus preferia que seu povo vivesse em cativeiro vergonhoso numa terra pagã a viver como pagãos na terra santa envergonhando seu nome. 
2. A situação espiritual de Judá estava toda inclinada para o pecado da idolatria - Ó meu monte, no campo, a tua riqueza e todos os teus tesouros, darei por presa, como também os teus altos, por causa do pecado, em todos os teus termos. Jeremias 17:3
Em vez de dedicar sua devoção e obediência ao verdadeiro Deus vivo que os havia abençoado, os judeus adotaram os ídolos das nações vizinhas e deram-lhes mais valor do que a Jeová. Eles construíram altares para esses deuses contrariando o mandamento divino que proibia essa prática. Com isso, contaminaram a terra, e por causa da idolatria, a herança do povo seria saqueada. Assim, perderiam tudo o que tinham por sua própria culpa. A lei que deveria estar gravada em seus corações foi ignorada e deram lugar para gravar em seus corações o pecado. Podemos esquecer-nos dos nossos pecados, mas eles não se esquecem de nós, pois ficam impressos em nosso coração até que peçamos perdão a Deus. Só assim podemos ser purificados e renovados. 
3. O império babilônico arrasou o reino de Judá porque Deus assim permitiu - Daniel 1.2 - E o Senhor entregou nas suas mãos a Jeoaquim, rei de Judá, e uma parte dos utensílios da Casa de Deus, e ele os levou para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e pôs os utensílios na casa do tesouro do seu deus.
Enquanto os judeus respeitavam e obedecia a lei do Senhor, não havia quem ousasse profanar o templo em Jerusalém e escapasse de morrer. Porém a iniquidade dos judeus transbordou a tal ponto que o próprio Deus os entregou nas mãos de Nabucodonosor. Este monarca foi usado por Deus como instrumento de juízo para levar o seu povo ao cativeiro na babilônia. (Hebreus 10.31 Horrenda coisa é cair nas mãos do Deus vivo). Deus é longânimo, e todo juízo que Ele pretende executar sempre avisa antes através dos seus profetas, pois a palavra diz que Deus não fará coisa alguma sem antes avisar aos seus servos os profetas. O desprezo aos avisos dos profetas do Senhor traz consequências desastrosas. (Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará. Gálatas 6:7).

II. QUEM POSSUI UM CARÁTER ÍNTEGRO SABE RESISTIR A TODA CORRUPÇÃO MORAL
1. A tentativa de aculturamento dos jovens hebreus não os distanciaram da sua fé em Deus - Daniel 1.3 - E disse o rei a Aspenaz, chefe dos eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real, e dos nobres. Daniel 1.4 - jovens em quem não houvesse defeito algum, formosos de aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e sábios em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para viver no palácio do rei, a fim de que fossem ensinados nas letras e na língua dos caldeus.
Daniel e seus três companheiros foram escolhidos para servirem na corte do rei de Babilônia. As exigências observadas eram que fossem da linhagem real; e serem pessoas nobres. Esses requisitos foram encontrados nestes jovens, pois eram perfeitos, e perfeitamente instruídos para toda boa obra. Daniel e seus três amigos foram parte de um remanescente judeu fiel na Babilônia, colocados lá pelo Senhor para cumprir os seus propósitos. Esses jovens se destacavam em todos os aspectos e eram os melhores e mais brilhantes e preparados por Deus para um ministério estratégico longe de seu lar. Embora tenham sido aculturados nos costumes dos caldeus eles demonstraram mesmo correndo riscos de morrerem executados, que a sua fé em Deus estava em primeiro lugar. 
2. Os jovens resistiram a participar do manjar do rei demonstrando um caráter fiel a Deus - Daniel 1.5 - E o rei lhes determinou a ração de cada dia, da porção do manjar do rei e do vinho que ele bebia, e que assim fossem criados por três anos, para que no fim deles pudessem estar diante do rei.
Estes jovens tiveram que passar por ardentes provas, mas em todas elas não perderam a sua identificação como servos de Deus. O programa de educação requeria que fossem ensinados nas letras e na língua dos caldeus, num curso intensivo de três anos. Seu bem-estar físico incluía o melhor que o reino podia oferecer, ou seja, as iguarias da mesa imperial. O tratamento recebido pelos jovens era o melhor possível, porém não foram tentados pela melhor alimentação, a qual o próprio rei se servia, pois isso feriria os seus princípios judaicos manchando assim o seu caráter como servos de Deus. As maças do diabo são bichadas. Sem dúvida a comida do rei, era a melhor da terra e os jovens recusaram, pois isso os contaminaria e se tornaria impuros diante de Deus. 
3. Ao receberam nomes de divindades babilônicas, não perderam a sua identificação judaica - Daniel 1.6 - E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. Daniel 1.7 - E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias, o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias, o de Abede-Nego.
Era costume dos hebreus, darem nomes as suas crianças com significado profético, não somente para distinguir esta pessoa, como também manterem uma conotação profética. Daniel e seus companheiros foram agraciados por seus pais com nomes proféticos. O nome Daniel significa "Deus é meu juíz", mas foi mudado para Belsazar ou "Bel protege a vida dele". Hananias quer dizer "O Senhor mostra graça", mas seu novo nome, Sadraque, significa "o comando de Aku". Misael quer dizer "Quem é como Deus", e seu novo nome, Mesaque, significa "quem é como Aku". Azarias significa, "O Senhor é meu auxilio" e seu novo nome, Abede-nego quer dizer "servo de Nebo". Eles não deram importância aos seus novos nomes, pois os seus nomes originais testificava a sua religião e nacionalidade. Essa mudança de nomes era um plano diabólico com intenções de apagarem a memória de Jerusalém, extinguir toda a ideia de religião e uni-los à política do mundo. Também havia a intenção de divulgar através desses jovens a falsa religião do monarca babilônico.
 
III. – QUEM TEM TEMOR DE DEUS NÃO SE CONTAMINA COM OS MANJARES DO MUNDO
1. Daniel, um modelo de fidelidade: evitou se contaminar com comida oferecida a ídolos - Daniel 1.8 - E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar.
A comida e a bebida dos monarcas babilônicos eram, antes de tudo oferecidas a ídolos pagãos, e, portanto Daniel e seus companheiros decidiram evitar participar desse manjar do rei. Daniel, como fiel judeu, não podia participar de comidas consagradas e dedicadas aos deuses pagãos. Os verdadeiros cristãos devem se abster de tudo que possa contaminar a sua alma, mesmo que seja muito atrativo ao paladar. O verdadeiro cristão deve seguir a risca os conselhos divinos que diz para em todos os tempos serem alvos os nossos vestidos, e que nunca falte o óleo sobre as nossas cabeças.
2. Daniel, um modelo de excelência, e pelo seu espírito excelente recebeu dons especiais - Daniel 1.17 - Ora, a esses quatro jovens Deus deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda visão e sonhos.
A nossa competência depende do nosso treinamento e isso envolve a nossa sobrevivência. Para uma convivência inteligente em qualquer lugar precisamos ser bem educados. Para servimos a Deus exercendo um ministério precisamos de dons divinos e dependência do Senhor. O treinamento e a educação são extremamente importantes, mas tudo isso não vai substituir a capacidade e a sabedoria que só Deus pode dar. Os jovens tiveram de estudar e se aplicar, mas Deus lhes deu aptidão de aprendizado. Deus os recompensou por isto com eminência no saber. Porque ao homem que é bom diante dele, dá Deus sabedoria, e conhecimento. Para Daniel ele deu uma porção dobrada, pois recebeu dons de visões, sonhos e interpretação. Ele foi investido de um espírito profético, pelo qual era capacitado a conversar com Deus, e receber as mensagens divinas em sonhos e visões. 
3. Daniel, um modelo de integridade pura convivendo no meio de uma sociedade corrupta - Daniel 1.20 - E em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos ou astrólogos que havia em todo o seu reino.
Quem busca a sabedoria divina e se aplica nela com todo o zelo, certamente se tornará alguém com uma espiritualidade elevada, assim como foi com Daniel. Daniel soube responder tudo o que lhe foi perguntado pelo rei da Babilônia com verdadeira sabedoria e ousadia. São exemplos que nos levam a entender que existem fontes de sabedoria variadas da parte de Deus, principalmente os seus mandamentos escritos na sua palavra. Precisamos nutrir esse desejo ardente por maiores dons espiritual, pois o verdadeiro cristão não pode ficar estagnado no seu desenvolvimento espiritual. Daniel tornou-se na corte um intérprete de testificador dos caminhos do verdadeiro Deus. Foi uma testemunha perante reis e um dos maiores profetas escatológicos da Bíblia.

Elaborado pelo Pastor Adilson Guilhermel Th.M.
Quer me ajudar a manter esta obra? É só enviar uma oferta pelos meios abaixo
 
Banco Itaú  Agência 9184
 Conta corrente  05524-3
 
A FIRMEZA DO CARÁTER MORAL E ESPIRITUAL DE DANIEL
Lição 2 - 12 de Outubro de 2014
Texto Áureo: “E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, [...] portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar’' (Dn 1.8).
Leitura Bíblica em Classe: Daniel 1.1-8,17,20


I. QUEM DECLINA NA FÉ E NÃO SE ARREPENDE NÃO ESCAPA DO JUÍZO DIVINO
1. A situação moral e política de Judá foi o que os levou ao cativeiro babilônico - Daniel I.1 - No ano terceiro do reinado de Jeoaquim, rei de Judá, veio Nabucodonosor, rei da Babilônia, a Jerusalém e a sitiou.

2. A situação espiritual de Judá estava toda inclinada no pecado da idolatria - Ó meu monte, no campo, a tua riqueza e todos os teus tesouros, darei por presa, como também os teus altos, por causa do pecado, em todos os teus termos. Jeremias 17:3

3. O império babilônico arrasou o reino de Judá porque Deus assim permitiu - Daniel 1.2 - E o Senhor entregou nas suas mãos a Jeoaquim, rei de Judá, e uma parte dos utensílios da Casa de Deus, e ele os levou para a terra de Sinar, para a casa do seu deus, e pôs os utensílios na casa do tesouro do seu deus.

II. QUEM POSSUI UM CARÁTER ÍNTEGRO SABE RESISTIR A TODA CORRUPÇÃO MORAL
1. A tentativa de aculturamento dos jovens não os afastaram da sua fé em Deus - Daniel 1.3 - E disse o rei a Aspenaz, chefe dos eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem real, e dos nobres. Daniel 1.4 - jovens em quem não houvesse defeito algum, formosos de aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e sábios em ciência, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para viver no palácio do rei, a fim de que fossem ensinados nas letras e na língua dos caldeus.

2. Os jovens resistiram participar do manjar do rei demonstrando um caráter fiel  - Daniel 1.5 - E o rei lhes determinou a ração de cada dia, da porção do manjar do rei e do vinho que ele bebia, e que assim fossem criados por três anos, para que no fim deles pudessem estar diante do rei.

3. Receberam nomes de divindades babilônicas, sem perder sua identidade judaica - Daniel 1.6 - E entre eles se achavam, dos filhos de Judá, Daniel, Hananias, Misael e Azarias. Daniel 1.7 - E o chefe dos eunucos lhes pôs outros nomes, a saber: a Daniel pôs o de Beltessazar, e a Hananias, o de Sadraque, e a Misael o de Mesaque, e a Azarias, o de Abede-Nego.

III. – QUEM TEM TEMOR DE DEUS NÃO SE CONTAMINA COM OS MANJARES DO MUNDO
1. Daniel, um modelo de fidelidade: evitou se contaminar com comida oferecida a ídolos - Daniel 1.8 - E Daniel assentou no seu coração não se contaminar com a porção do manjar do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto, pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar.

2. Daniel, um modelo de excelência, e pelo seu espírito excelente recebeu dons especiais - Daniel 1.17 - Ora, a esses quatro jovens Deus deu o conhecimento e a inteligência em todas as letras e sabedoria; mas a Daniel deu entendimento em toda visão e sonhos.

3. Daniel, um modelo de integridade pura convivendo no meio de uma sociedade corrupta - Daniel 1.20 - E em toda matéria de sabedoria e de inteligência sobre que o rei lhes fez perguntas, os achou dez vezes mais doutos do que todos os magos ou astrólogos que havia em todo o seu reino.

 

http://pastorguilhermel.blogspot.com.br/2014/09/daniel-nosso-contemporaneo.html

PERSONALIDADE DO ANO

PERSONALIDADE DO ANO
Responsabilidade Social

ENTRE PARA ESSA GALERIA DE AMIGOS

 

© 2011 Escola Dominical - Esboços da EBD | Os impérios mundiais e o reino do Messias

Template By Adilson Guilhermel - Design Google Blogs - PageNav pastorguilhermel